domingo, 11 de junho de 2017

CAPÍTULO 09- UM ORIGINAL



Vingança para o mal - 09: Antes tarde, do que nunca.






—Você vai mesmo insistir com isso?

—Mari, por favor.

—Por favor digo eu tio. Eu não acredito que você vai ficar com essa.. Essa...

—Mariana, já chega. Eu estou indo para o altar. A birra acabou. Miranda é uma mulher incrível e espero que logo você perceba isso.

—Eu acho que quando a máscara cair vai ser tarde.- Maro disse saindo correndo .

—Mari?- Mônica a chamou.- Você está chorando.

—É claro que não.

—Tudo bem se estiver Mari. Tudo bem se estiver triste. Eu sei que tipo de mulher Miranda é, mas seu tio...

—É estúpido de mais para perceber qual é o jogo dela? Ele é. Eu não estou triste. Eu estou com muita raiva.

—Mari..

—Não Nica. Meu tio... A única família que me restou, prefere acreditar naquela vadia do que na própria sobrinha. E tudo bem, talvez eu não seja tão importante assim, mas e você? Por que vai desistir dele?

— O que mais eu poderia fazer Mari? Eu fiz minha parte. Falei como me sentia, mas ele não sente o mesmo.

—Mas você nem..

—O que mais eu poderia fazer Mari? Obrigá-lo a ficar comigo? Eu tenho amor próprio.

—Eu sei.Não foi o que eu quis dizer. É que, se meu tio tem que se casar, eu prefiro que seja com você.

—Eu também querida, mas o mundo não é uma fabrica de realização de desejos . – Mônica olhou para Mariana pensando.- Mas talvez seja... Mari, eu quero que você vá para aquela sala e ajude Miranda a se arrumar.

—O que?- Mariana praticamente gritou.- Você está brincando Nica? Bateu a cabeça? Quer que eu ajude aquela...

—Obedeça Mariana. Uma vez na vida. Confie em mim e obedeça.

—Você é doida. Vocês todos são.- Ela disse fechando a cara, mas indo para a sala onde Miranda se arrumava.

—Mari..- Miranda disse com descaso. – Veio prestigiar minha vitória?

—Isso ainda não acabou.

—Está acabado Mariana. Você perdeu. Eu vou me casar com seu tio. E uma das primeiras coisas que vou fazer é afastá-lo daquela sem sal da Mônica. Ele é comprometido e ela se declarou para ele. É uma vadia mesmo.

—Sua...

—O que? Não gosta que eu fale dela assim? Ah sim, vocês são amiguinhas não é? Ela ficou no lugar da sua mãe? Tinha esperanças de que ela ficasse com seu tio? Esqueça. Ele é meu. Agora...O que achou do vestido ?

—Você fica gorda nele - Mari respondeu com raiva.

—Eu também adoro você sua coisinha. Mal posso esperar para depois do casamento. Vou te colocar pessoalmente no avião ora suíça.

—Meu tio não vai com essa loucura até o final. ..

—Olhe para mim garota. A fase rebelde não foi o bastante. E depois do casamento daqui uns meses Eduardo vai estar tão envolvido com nosso filho que nem vai se lembrar de você.


—Você não está grávida- Mari rosnou.

—Detalhes, detalhes. Depois do casamento vou ter muitas chances de engravidar. Você acha que ele vai ser esperto o bastante para fazer as contas? Ele me ama e quanto a você... Vai passar bons anos no colégio interno.

—Eu discordo disso Miranda. - Uma voz grave soou na sala fazendo Miranda se virar Paralisada.

—Eduardo meu amor eu...

—Deixou a máscara cair? Concordo plenamente.

—Não querido, eu posso explicar.

—Eu acho que não preciso de explicações Miranda. Mesmo não sendo tão esperto como você disse. O casamento estava acabado.

—Mas e o nosso filho?- ela perguntou segurando sua barriga.

—Aquele que você pretendia fazer depois do casamento? Acho que não vai ser possível. Acabou Miranda. Agora pegue o pouco de dignidade que lhe resta é sai da minha frente.

—Você não pode fazer isso!! Ela gritou. Minha família toda está lá fora.

—Isso é ótimo. Assim você consegue carona com alguém para ir embora já que eu não estou nem nunca mais estarei disponível para você.


—Ahh- ela gritou se virando para Mari- Você armou isso! Sua... - E antes que ela chegasse até ela, Mônica apareceu e se colocou em sua frente.


—Não termine essa frase nem se atreva tocar nela. Porque vai ser a última coisa que vai fazer. - Miranda gritou e saiu da sala chorando.

—Eu vou esperar lá fora. - Mônica disse saindo e Eduardo assentiu.

—Mari, eu não tenho palavras para dizer o quanto lamento

—Tudo bem tio. Ela disse olhando para baixo.

—Não, não está. Eu devia ter ouvido você. Se tivesse feito isso não teríamos chegado a esse ponto.


—Eu pensei que você já estivesse no altar.

—Eu estava.

—Então como ouviu?


—Mônica disse que você havia torcido o pé e precisava de mim.


—E você veio por mim?

—Na mesma hora. Assim que cheguei na porta ouvi as palavras de Miranda. Eu sinto muito Mari, eu acho... Que estava cansado de ficar sozinho.

—Você só está sozinho porque quer.

—Não diga besteiras.


—Vocês são tão cegos assim? Você nunca notou como a Nica olha para você?

—Isso é coisa da sua cabeça.

—Como a psicótica da Miranda?Ela perguntou e ele a olhou. - Desculpe. Um dias vocês vão ver que um esta caído pelo outro.

—Vamos ver Mari. Vamos ver.

—Que bom que você ouviu a conversa com aquela megera. Seria uma merda ir para um colégio interno.

—Seria mesmo. Vem, vamos para casa. Você tem que colocar um dólar no pote.

—Merda.

—Dois dólares agora.





CONTINUA...



CONTINUA...