sábado, 8 de abril de 2017

Short Fic Breaking the Rules Capitulo 07- Não existem explicações



Bella PDV


O final de semana passou rápido. Tudo que eu quero agora é voltar pra minha rotina e esquecer que fui estúpida o suficiente pra cair na do Cullen. Olhei para meu celular desligado. Ele passou o final de semana inteiro ligando e mandando mensagens. Como se eu precisasse de mais explicações. Ele apostou que ficaria com a professora do irmão e ganhou fim da história. Não tem nada que ele possa fazer ou dizer que vai mudar isso.


Segunda feira finalmente chegou e com ela posso voltar minha atenção para o trabalho e meus alunos.


—Bom dia crianças.


—Bom dia professora.


—Hoje vamos mexer com tintas, então quero que um de cada vez, vocês peguem os aventais lá no fundo da sala. Não queremos que vocês saiam daqui com as roupas pintadas outra vez não é Braian?


—Não professora.- Ele disse corando.


—Muito bem. Agora que todos estão com os aventais, nós vamos começar a pintar.- Eu disse e Charlie levantou a mão.- Sim Charlie?


—O que vamos pintar professora?


—Hoje vocês vão pintar duas pessoas de sua família. Podem ser seus pais, tios, avós, padrinhos. Vocês escolhem. No final da aula vou recolher as pinturas e amanhã vocês poderão levar para casa.


O sinal estava prestes a tocar quando comecei a recolher os desenhos. Charlie foi o ultimo a terminar. E assim que peguei o desenho dele soube que estava encrencada. O sinal tocou e todos esperaram que eu autorizasse suas saídas.


—Vocês podem ir crianças. Até amanhã. Charlie... Pode esperar um minuto?


—Eu fiz alguma coisa professora?- Ele me perguntou confuso.


—É sobre seu desenho. Eu queria falar sobre seu desenho.


—Você não gostou?


—Não é isso Charlie. É só que talvez... Talvez você tenha entendido algumas coisas erradas querido.


—O que quer dizer?


—No seu desenho. Você fez seu irmão, o que é ótimo porque você parece gostar muito dele, mas eu quero saber por que eu estou no desenho também Charlie. Não entenda errado querido, eu gosto muito de você, mas não faço parte da sua família pequeno.


—Eu pensei...- Ele disse para si mesmo olhando pra baixo.


—O que você pensou?


—É só que... Eu ouvi meu irmão conversando com a tia Rosie. Eles falavam de você tia.- Bella engoliu seco.- Ele disse que gostava de você, mas aí ele me viu e quando eu perguntei, ele disse que tinha feito uma coisa muito feia e agora você estava triste com ele.


—Está bem Charlie. Eu entendi. Talvez você tenha entendido errado querido. Nós somos amigos Charlie. Agora... Ele já deve estar te esperando. Vamos.


—Mas o que ele disse é verdade? Ele fez uma coisa feia, e agora você está triste com ele?


—Sim Charlie. Mas vamos resolver isso. Não se preocupe está bem?


—Quando eu deixo minha prima triste a mamãe sempre me faz pedir desculpa e me deixa sem sobremesa. Será que ela vai fazer isso com ele tia?- Bella sorriu com a inocência de Charlie.


—Eu acho que ele é bem grandinho pra isso Charlie. Agora vamos.- Eu disse e Charlie pareceu pensar em algo.


—Eu preciso ir no banheiro primeiro.- Ele disse começando a pular.


—Então vai Charlie. Rapidinho.- Eu disse e ele disparou pela porta. Me virei para apanhar o material e ouvi alguém abrir a porta.- Já foi ao banheiro Char...- Quando me virei Edward estava na porta.


—Eu não preciso ir ao banheiro, mas eu queria conversar.


—Edward.- Disse suspirando. Ele estava bem na porta e eu não conseguiria sair sem chamar a atenção.


—Olá.


—O que faz aqui? Eu já ia levar o Charlie.


—Eu sei, mas se eu esperasse lá fora, então não poderíamos conversar.


—Não temos nada pra conversar.


—Eu não acho.


—Eu não quero saber o que você acha.


—Se você me deixar explicar Bella.


—Não tem o que explicar Edward. Aquelas mulheres no banheiro rindo de mim foram explicação suficientes.


—Eu não sei o que você ouviu Bella. Não tenho como me defender assim.


—Ahh me desculpe Sr. Cullen. Você quer se defender? Quer uma chance de explicar como você é inocente nessa história? Vamos lá então. Explique.


—Bella, por favor..


—Vamos lá Edward. Explique que você não sabia do que elas estavam falando. Que você não fez essa aposta idiota e que você não estava me usando pra ficar com a presidência da empresa. Vamos Edward. Queria sua chance aí está. Explique.


—Tudo bem. Eu sabia da aposta. No começo eu sai com você para ganhar a presidência, mas as coisas mudaram está bem? Eu ia te contar tudo.


—Quando? Quando eu descobrisse? Quando ganhasse a aposta? Tinha medo que fosse embora sem te dar o beijo da vitória?


—Não. É claro que não. Quando eu tentei te beijar eu já pensava em te contar. Então você foi ao banheiro e eu percebi que você não acreditaria em mim se eu te contasse depois de vencer. Então eu desisti. Eu ia te contar quando chegássemos em casa. Eu não queria estragar a noite.


—Oh me desculpe por estragar seus planos. Ouvir aquelas mulheres caçoando de mim e descobrir que o caro que eu gostava estava saindo comigo por uma aposta idiota realmente estragou minha noite. Então eu sinto muito se fui embora antes que você pudesse se explicar.


—Eu ia te contar a verdade. Eu ia fazer o certo. Por que não pode acreditar nisso?


—Lindas palavras. Principalmente agora que eu sei a verdade.- Eu disse, mas parei ao ouvir uma batida na porta.


—Srta. Swan, a diretora mandou chamá-la. Pediu que a senhorita fosse até sua sala.


—Bella.- Ele disse segurando minha mão e eu a puxei de volta.


—É Srta. Swan, Sr. Cullen. Eu espero voltar a vê-lo apenas quando o assunto for o Charlie. Charlie foi ao banheiro e o senhor conhece a saída.- Eu disse saindo da sala e indo para a direção.


—Queria me ver diretora?


—Sente-se Srta Swan.


—Em que posso ajudá-la Sra. Volturi?


—Eu gostaria de falar sobre seu contrato Srta. Swan. Eu costumava pensar que nossa escola não poderia encontrar uma professora tão boa quanto a senhorita. Eu estava pensando inclusive em colocá-la no nosso corpo docente. Permanentemente.


—A senhora fala no passado. Por acaso mudou de idéia?- Jane era a diretora do colégio. Muito simpática, e muito justa. E quando dispensava alguém antes do seu contrato vencer, sempre tinha seus motivos, por isso eu não entendia o que poderia ter acontecido.


—Eu falo no passado por que... - Respirou fundo. - A partir do final desta semana seus serviços não serão mais necessários Srta Swan.


—Desculpe? Como não serão necessários?


—A diretoria fez uma reunião, e devido as suas... Indiscrições, seus serviços não serão mais necessários.


—Indiscrições? Eu não entendo Sra. Volturi. Quais indiscrições? - Ao ouvir isso ela suspirou mais uma vez e colocou um envelope em cima da mesa.


Quando abri o envelope, encontro varias fotos. Minhas e do Edward. Em algumas estamos de mãos dadas, mas a pior de todas é a que saiu no jornal. Eu havia acabado de descobrir sobre a aposta e estava tão furiosa que o beijei.


—Srta Swan. Ter um namoro ou relacionamentos com pais ou responsáveis dos alunos é absolutamente contra as regras. A senhorita deveria saber disso. É realmente uma pena termos que dispensar uma educadora tão competente quanto a senhorita, mas regras são regras. A escola agradece pelo seu tempo de serviço, e claro, como a senhorita quebrou as regras do seu contrato, não tem direitos a receber. - Eu estava em choque. Alem de estar sendo espionada por deus sabe quem, eu havia acabado de perder meu emprego, e não teria direito a um centavo se quer.


—Quem tirou essas fotos?


—Isso não importa. O que importa é que a senhorita quebrou as regras, e terá que pagar o preço do seu erro.


—Eu posso ao menos me despedir dos meus alunos?


—A senhorita tem até o final dessa semana. Depois disso, está dispensada.


—Mais alguma coisa?


—Era só isso. Pode ir agora Srta Swan. Eu lamento, e espero que em um futuro emprego, a senhorita respeite mais as regras.- Eu peguei as fotos e me levantei indo em direção a porta, quando fui chamada novamente.- Srta Swan?


—Sim?


—As fotos tem que ficar. A senhorita entende não é? Como justificativa da sua dispensa.- Ela quis dizer como provas no tribunal, caso eu resolvesse entrar com um processo contra eles. Coloquei o envelope em cima da mesa e sai.


Quando sai da sala vi que Edward ainda estava parado na porta. Peguei meu material e saí de lá o mais rápido que pude.


Dirigi em direção ao meu apartamento enquanto pensava onde as coisas começaram a dar tão errado. Estacionei e deci do carro. Nem peguei meu material. Não precisaria dele tão cedo. Quando olhei para trás Edward estava terminando de estacionar seu carro. Tranquei o meu e corri para o prédio. Charlie estava no carro, mas ele veio atrás de mim.


—Bella espera..


—Vai embora.


—O que aconteceu? Você saiu chorando da escola. Eu ainda não terminei a conversa Bella.


—Você já fez mais do que deveria.


—Eu fui um idiota está bem? É isso que você queria ouvir? Eu digo. Eu sou um idiota. Eu fiz besteira e eu sinto muito, mas foi só uma aposta idiota.


—Só uma aposta? Você faz idéia do que eu abri mão pra ficar com você Edward? Eu perdi meu emprego. Eu acabei de ser mandada embora porque a diretora viu a foto do jornal e muitas outras que alguém tirou. Eu abri mão dos meus princípios. Eu gosto das regras. Gosto de segui-las. Você lembra? Eu nunca as quebro, mas dessa vez eu arrisquei, eu quebrei as regras. E pra que? Para o grande Edward Cullen ganhar uma maldita aposta?


—Bella Eu juro que não é assim. No começo até foi, mas com o tempo. Eu fui te conhecendo e as coisas mudaram. Eu amo você. Sabe disso. Você me conhece Bella


—Não eu não sei. Eu não conheço você. Não de verdade. Não use essas palavras, porque você não sabe o que elas significam.Pensei que conhecesse você, mas não. ,,- eu disse fechando a porta, mas sua mão estava no caminho impedindo o fechamento.


—Bella, por favor.


—Vá embora Edward. Eu não quero ver você. Nunca mais. - empurrei a porta com mais força, e dessa vez ele não se colocou na frente. Encostei minhas costas na porta e desci lentamente até o chão sentindo minhas lágrimas brotarem. Eu fui burra. Perdi o emprego e abri mão de muito mais por causa da estupidez que é o amor. Eu me mantive afastada por 3 anos dessa doença que é o amor, e quando decidi ceder, me machuquei ainda mais do que a primeira vez.