sábado, 11 de março de 2017

Short-Fic Come Back to Me Capítulo 08 Os Planos mudam



Bella PDV
—Ua... Parece que minha menina está animada hoje. – Disse enquanto passava minhas mãos por minha barriga. Maggie passou a manhã toda chutando. Eu tinha acabado de completar 6 meses de gestação.
Estava terminando de arrumar seu quarto. Faltava apenas a cadeira de balanço, que Edward e eu iríamos escolher hoje quando ele chegasse do trabalho. Faltava apenas isso e o quarto da nossa menina estaria pronto.
Terminei de dobrar suas roupinhas quando ouvi um grito vindo lá de baixo.
—Ahhhh. – Era a voz do Charlie. A principio pensei que ele estava brincando, ele brincava o tempo todo. Mas quando ouvi o segundo grito senti meu coração apertado e fui em sua direção.
—Ahhhhh
—Charlie? Charliee?-Quando ouvi meu menino gritando novamente, não pensei em mais nada. Simplesmente corri e sua direção. Mas eu estava no andar de cima, e ao correr em sua direção não calculei bem a altura dos degraus e meu pé falhou. Senti meu corpo tombando em direção a escada e entrei em desespero e tentei me segurar no corrimão, mas minha mão não conseguiu alcançá-lo a tempo. Só me lembro de gritar e atingir os degraus com força.
*******************************************************
Abri meus olhos, mas fechei logo em seguida porque fui cegada por uma claridade insuportável. Tentei novamente e dessa vez deixei que meus olhos se ajustassem a claridade.
Olhei em volta e vi Edward sentado no sofá ao meu lado. Seus cotovelos estavam apoiados em seus joelhos, seu rosto está escondido por suas mãos e seu cabelo está mais desgrenhado do que o normal. Ele não me vê, mas o chamo e ele olha para mim com um olhar aflito.
—Edward?
—Bella... Como se sente?
—Não sei. Só estou com um pouco de dor na... - Levei minha mão a minha barriga onde era a fonte da dor e me lembrei o porquê eu estava aqui. Eu caí da escada. Maggie!
—Edward? Maggie? Como ela está? Eu sinto muito. Eu devia ter prestado atenção enquanto descia as escadas. Mamãe vai ter mais cuidado amor. -Disse espalmando minhas mãos pela minha barriga por cima da camisola do hospital.
—Bella, com a queda... Stefan estava de plantão, foi necessário uma cesárea de emergência. Ela está na incubadora, Stefan diz que ela parece estar lutando mas... - Edward começou a dizer enquanto se aproximava da cama onde eu estava.
—Não. Ela vai ficar bem, não vai?
—Eu não sei Bella. Stefan disse para nos prepararmos para o pior. Ela tão pequena.- Edward disse com lagrimas nos olhos.
—O que eu... Como é que... Eu... – Edward não podia estar falando sério..
—Amor calma.
—Calma? Você está me dizendo que minha menina pode não sobreviver. Nossa menina. Nossa Maggie Edward. E você me pede calma. Eu...
—Bella, por favor, se acalme.
—Não, não, não. Não dá, não dá, não dá, não. Está doendo, isso dói, faz parar, por favor, faz parar, isso dói.- Comecei a gritar e chorar. Eu não conseguia mais pensar em nada. Tudo que eu sentia era dor. Não tinha espaço para mais nada. Minha menina estava lutando por sua vida com todas as chances contra ela por um descuido meu. Edward me abraçou e me apertou em seus braços enquanto eu chorava e soluçava esperando que a dor diminuísse. Mas ela não diminuía.
Depois de uma semana tive alta do hospital. Carlisle foi o médico que me socorreu e realizou a cirurgia junto com Stefan. Eles não me deixaram vê-la enquanto estava internada.
. Quando Edward me contou que suas chances de sobrevivencia eram pequenas e que não me deixariam vê-la enquanto eu não recebesse alta eu entrei em desespero então ele precisou chamar uma enfermeira para me sedar. Ela poderia partir a qualquer momento e então eu não a veria. Eu estava muito descontrolada e Carlisle disse que eu poderia ter estourado os pontos. Stefan disse que com a queda Maggie fraturou o fêmur esquerdo, e se conseguisse sobreviver, ganhar peso e sair da incubadora teria grande dificuldade em andar. Ele também disse que com o parto prematuro eu perdi muito sangue, e as chances de eu conseguir engravidar novamente era muito remota. Eu não me importava com isso, a única coisa que queria era ver minha filha. Edward permaneceu ao meu lado o tempo todo dizendo que não era minha culpa e que tudo ficaria bem.Elena e Charlie ficaram com Esme e Carlisle durante essa semana que passei no hospital. Edward recusava-se a sair do meu lado e ele também não queria deixar as crianças sozinhas. Quando recebi alta Edward me levou para ver minha pequena.
Ela estava na incubadora e haviam vários fios e agulhas ligados a ela. Ela usava apenas uma frauda e sua perna esquerda estava toda enfaixada.
—Ela é tão pequena, e tão linda.- Disse olhando para minha filha.
—Ela é.- Ela era tão pequena que metade de seu corpinho cabia na mão de Edward. – Ei não chore.- Edward disse me abraçando.- Ela ainda está aqui, e vai ficar bem. Aposto que ela é uma guerreira como a mãe.- Assenti ainda a olhando.
—Eu posso segura-la?
—Stefan disse que ainda é muito cedo, talvez daqui uma semana.
—Quando ela poderá vir pra casa.- Perguntei olhando em seus olhos.
—Eu não sei Bella. Ela precisa ficar forte o bastante.- Assenti e ele suspirou.- Escuta, eu sei que é difícil deixa-la, mas precisamos ir.
—Não por favor.- Implorei não suportando a idéia de deixa-la.
—É preciso Bella. Voltaremos amanha, eu prometo.- Edward disse me puxando e eu me afastei sentindo o buraco no meu peito se abrir novamente. Fomos para o carro e ele abriu a porta para mim e foi para o lado do motorista quando eu estava acomodada.
—Sabe, as crianças estão morrendo de saudades de você.
—Eu também. - Disse olhando pela janela do carro enquanto voltávamos pra casa. Eu tinha que viver, ainda tinha meus dois filhos em casa, mesmo com minha pequena no hospital.
—Como se sente?
—Bem. - Disse ainda olhando para fora. Não queria encarar Edward. Ele tem feito isso à semana toda. Perguntando como eu estava. Nessa semana que passei no hospital, passei por vários estágios. Dor, raiva, culpa. Eu queria que Edward gritasse comigo, e dissesse que a culpa era minha, que mostrasse que estava tão ferido quanto eu ou qualquer coisa assim. Até com raiva do Charlie eu fiquei. Por ele ter gritado e eu ter saído correndo. Mas logo descartei isso. Ele é só uma criança que gritou pela mãe quando se machucou. Não tinha culpa do que havia acontecido.
Chegamos em casa e eu fui tomar um banho e Edward disse que prepararia algo para comermos. Ele achou melhor deixar as crianças na casa de seus pais por mais essa noite para que eu me instalasse. E amanhã Esme os traria até aqui.
Subi as escadas e ia em direção ao nosso quarto, quando parei em frente à outra porta. A porta do quarto de Maggie. Ou do quarto que seria dela. Eu devia ter ido direto para o meu quarto, mas eu precisava entrar.
Entrei e o quarto estava do jeito que eu havia deixado. O travesseirinho, a manta que Esme tricotou para ela, os ursinhos espalhados pelas prateleiras da parede, as roupinhas dobradas. A única peça que faltava era a cadeira de balanço que eu iria comprar no dia da queda.
Pego uma das roupinhas e ando pelo quarto com ela na mão. Olho mais uma vez para o quarto, e me recosto na parede e escorrego lentamente pela parede até o chão enquanto as lagrimas que tentei manter escondida por toda a semana escorrem por meu rosto.

I found myself dreaming in silver and gold
Like a scene from a movie that every broken heart knows
We were walking on moonlight and you pulled me close
Split second and you disappeared and then I was all alone
I woke up in tears, with you by my side
A breath of relief, and I realized
No, we're not promised tomorrow
So I'm gonna love you like I'm gonna lose you
I'm gonna hold you, like I'm saying goodbye
Wherever we're standing, I won't take you for granted
Cause we'll never know when
When we'll run out of time
So I'm gonna love you, like I'm gonna lose you
I'm gonna love you, like I'm gonna lose you
In the blink of an eye, just a whisper of smoke
You could lose everything, the truth is you never know
So I'll kiss you longer baby, any chance that I get
I'll make the most of the minutes and love with no regret
So let's take our time to say what we want
Use what we got before it's all gone
No, we're not promised tomorrow
So I'm gonna love you like I'm gonna lose you
I'm gonna hold you, like I'm saying goodbye
Wherever we're standing, I won't take you for granted
Cause we'll never know when
When we'll run out of time
So I'm gonna love you, like I'm gonna lose you
I'm gonna love you, like I'm gonna lose you
I'm gonna love you like I'm gonna lose you
I'm gonna hold you, like I'm saying goodbye
Wherever we're standing, I won't take you for granted
Cause we'll never know when
When we'll run out of time
So I'm gonna love you, like I'm gonna lose you
I'm gonna love you, like I'm gonna lose you
Edward entrou no quarto e me encontrou chorando agarrada a roupinha.
—Bella...- Me encolhi ainda com a roupinha em minhas mãos e ele se aproximou.- Eu não sei mais o que dizer...
—Edward eu passei... A última semana com tanta... Raiva. De mim, de você. Do Charlie. Até do Charlie. Por ter gritado e eu... Argh!!
—Amor eu entendo que você esteja triste e brava consigo mesma, mas você tem que entender que isso foi um acidente. E que não foi sua culpa, nem de ninguém. Ela vai sobreviver. Vai ficar bem.
—Para com isso Edward. Ta legal. Você não está ajudando assim. Dizendo que a culpa não é minha e que isso foi um acidente. Eu a quero aqui, nos meus braços. Agora. Não quero pensar que a qualquer hora podem ligar do hospital dizendo que...- Solucei.
—Bella eu ...
—Eu não quero sua compreensão Edward.
—E o que você quer que eu diga. Que foi sua culpa? Que Maggie está naquela incubadora lutando contra todas as chances por sua culpa? Não vou dizer isso Bella. Porque não é verdade.
—Eu quero que você mostre que está sentindo alguma coisa. Porque quando olhei para aquela incubadora. Para todos os fios e agulhas e agora olho pra esse quarto vazio pensando que ele pode continuar assim, sinto algo morrendo dentro de mim. E essa dor só vai aumentar a cada dia, até que ela esteja aqui, nos meus braços.. E você parece bem. Não parece nem de longe tão machucado quanto eu. Eu sei que você não a queria no começo. Eu preciso que você me mostre que as coisas mudaram.
—Acredita mesmo nisso?Acho que isso não me machuca? Quer ver Maggie dentro daquela maldita incubadora ligada a todo tipo de fios e agulhas não me machuca? Ou receber uma ligação de Elena chorando desesperada dizendo que você estava desacordada na base da escada e que tinha sangue no chão, enquanto eu estava longe? Ou ver você se culpar e se odiar por toda essa semana e tentar me afastar cada vez que eu tentava me aproximar? Acha que nada disso me machuca Bella?
—Eu... - Ele sentou- se ao meu lado e olhou bem no fundo dos meus olhos.
—Bella olhe para mim. - Não ousei levantar minha cabeça, mas ele insistiu.- Por favor amor.
Edward pegou meu rosto entre suas mão e olhou em meus olhos.
— Eu sei que é difícil. Mas nós ainda temos dois filhos aqui Bella. Maggie vai voltar, mas até lá, Charlie e Elena te amam e precisam de você. Eu preciso. Eu amo você. Nós vamos passar por isso juntos. Mas você tem que me deixar ajudar. Por favor, não me afaste Bella. - Eu não consegui responder. Coloquei minha cabeça entre os joelhos e voltei a chorar. Senti Edward esfregar minhas costas enquanto eu soluçava mais e mais.
—Vou terminar nosso jantar. Por que não toma um banho? Eu levo seu prato até o nosso quarto. - Dei de ombros e o ouvi suspirar. –Tudo bem então. – Disse me dando um beijo no topo da cabeça e saiu do quarto.