domingo, 5 de março de 2017

Short-Fic Come Back to Me Capítulo 04- Nem pense nisso


Edward PDV
Eu estava voltando do plantão quando a vi parada na entrada de casa.
—Só pode ser brincadeira.- Estacionei o carro e fui ao seu encontro.- O que quer aqui?
—Nos conhecemos no hospital Edward, não foi a situação mais apropriada já que Isabella estava internada e tudo mais.
—E de quem foi a culpa?
—Eu admito que tivemos um começo difícil, e que deve ter sido chocante para Isabella me ver depois de anos, mas eu quero me aproximar da minha filha, e deixe me ser clara, eu não vou embora até falar com ela.
—Deixe me ser claro também Sra. Dwyer, a senhora não vai voltar a ver a Isabella, porque foi isso que ela escolheu. E se sua filha não a quer por perto, não serei eu a permitir sua presença. Agora vá embora ou eu vou chamar a policia.- Disse me virando para o carro.
—Isso não vai ficar assim. Eu tenho direitos de mãe. Eu não pude acompanhar o crescimento dos meus dois netos, mas do que está a caminho eu pretendo estar por perto. – Suspirei e me virei para ela.
—Não, não vai. Bella não a quer por perto, e duvido que Emmett a queira também. Acha mesmo que algum de nós permitira que você fique perto de nossos filhos? Só pode estar louca se pensa assim.
—Eu teria muito cuidado Sr. Cullen. Eu observei Isabella durante muitos anos antes de finalmente aparecer, e sei muito sobre ela. Uma das coisas que aprendi é que ela é muito apegada ao passado. Algumas historias de quando eu estava grávida, historias de mim e Charlie ou de quando Emmett nasceu, algumas poucas lagrimas e aos olhos dela eu serei a pobre mulher que Charlie oprimiu.- Ela disse sorrindo diabolicamente.
—Acredita mesmo nisso? Ela não suporta olhar para você.
—Eu admito que cometi um erro ao revelar a verdade logo de cara, mas com o tempo ela vai entender meus motivos. Todo mundo quer ter uma mãe Edward. Ela não será diferente. Depois de tantos anos sem uma, ela só esta ressentida. É uma questão de tempo pra ela deixar que eu me aproxime.
—Ai que você se engana Renée. Ela teve uma mãe. Isabella e eu crescemos juntos. Esme foi uma mãe para ela tanto quanto foi para mim. E eu não vou deixar que você a manipule. Fique longe.
—E se não ?
—Então você terá problemas comigo. Não vou deixar você machucá-la. Especialmente agora.
—Ah sim. Não vamos querer que ela tenha algum estresse não é mesmo? Duas gravidezes conturbadas foram o bastante.
—Como sabe tanto sobre ela?
—De quem acha que Isabella herdou o gênio curioso que ela tem? Eu tenho meus meios. As coisas seriam tão mais simples se você simplesmente me deixasse entrar.
—Isso não vai acontecer.- Eu disse secamente e ela balançou a cbeça achando divertido.
—Parece que vamos fazer do modo difill não é? É uma pena. Você me parecia um rapaz esperto.- Ela disse se virando para ir embora.
—O que quer dizer com isso?
—Digamos que assim como sei coisas sobre Bella, sei dos seus... Problemas conjugais menino. E eu sei que se eu quiser afastar você e minha filha, eu tenho pelo menos dois aliados.- Ela disse sorrindo e indo embora.
Eu voltei para o carro e entrei em casa. O carro de Bella estava na garagem então ela e Emmett tiveram problemas. Que ótimo. Subi as escadas em silencio e encontrei Charlie e Elena dormindo enroscados em Bella em nossa cama. Sorri com a cena. Fui tomar meu banho e quando voltei encontrei um lugar ao lado de Bella. Quando me deitei ela acordou e Elena resmungou e voltou a dormir. Bella sorriu ao me ver e estendeu sua mão. Eu segurei e perguntei se estava tudo bem. Ela assentiu e Elena se agarrou mais a ela como se estivesse tendo um sonho ruim.
Quando amanheceu parecia que eu não havia dormido. Resolvi levantar antes que acordasse todos com minha inquietação. Desci e fui para cozinha preparar o café para Bella e as crianças era domingo e tudo que eu queria era ficar na cama com a minha família. Esquecer um pouco dos problemas e das pessoas que constantemente tentavam me afastar da Bella. E pela conversa de ontem a noite eu sabia que Renée faria o inferno em nossas vidas e se não estivesse errado, teria ajuda. Quando ela disse aquilo só consegui pensar em duas pessoas. Riley e Tania. Eles haviam sumido a alguns anos, e depois da tentativa de estupro e das ameaças que Rosálie fez a Tânia, não tínhamos ouvida mais nada sobre eles.Por que eles dariam as caras agora? Ainda não sabia se contava ou não para Bella sobre Renée andar vigiando casa, pensei em manter segredo, mas se tem uma coisa que aprendi esses anos com Bella é que segredos logo vem átona e que Bella não suporta que mintam ou escondam as coisas dela. Especialmente algo tão serio como a louca da sua mãe estar vigiando.
—Bom dia.- Bella disse abraçando minhas costas e eu saltei com a surpresa. Não tinha visto ela chegar.- Desculpe, não queria assustar você.
—Bom dia.- Disse lhe beijando.- As crianças ainda estão dormindo?
—Estão. Charlie estava com um pouco de cólica e Elena teve alguns pesadelos.
—Pesadelos?- Bella assentiu.
—A morte de Rosie mexeu com todos. Ela tem medo que assim como Rosie não voltou quando foi dar a luz as meninas, eu não volte também.- Ela disse olhando para baixo.
—Acho que os últimos acontecimentos tem mexido com todos. O que disse a ela?
—Que eu não vou a lugar nenhum.
—Isso é verdade.- Eu disse a abraçando.- As coisas vão melhorar Bella. Ninguém vive nas trevas para sempre.
—Espero que esteja certo. Mas o que ela disse me fez pensar. E seu eu..
—Não.- A cortei.- Não termine essa frase por favor.
—Edward...
—Não Bella. Só porque aconteceu com Rosálie, não quer dizer que vá acontecer com você. Você ficará bem. O bebê ficará bem, e daqui a seis meses vocês estarão em casa com todos nós, entendeu?
—Sim. Obrigada. Precisava ouvir isso.- Ela disse se agarrando a mim.
—Vem. Eu fiz panquecas. Vamos acordar os pequenos.