sábado, 4 de março de 2017

Short Fic Breaking the Rules- Capítulo 03- Isso é um erro, mas não consigo evitar



Bella PDV



O encontro não foi tão ruim. Edward acabou sendo... diferente do que pensei que seria. Eu ainda o achava metido e convencido, mas podia ser aqgradavel quando queria. Estava me preparando para sair para minha caminhada quando ouvi a campainha. Olhei pelo olho mágico e vi um entregador com um buque enorme de flores Abri a porta ainda chocada com a visão. O buque era realmente muito grande.


-Srta. Swan?


-Sou eu.


-Entrega para a senhorita.


-Quem mandou?


-Veio com um cartão, isso é tudo que eu sei. Precisa assinar aqui por favor.


-Pronto.


-Obrigado, tenha um bom dia.


-Você também.- Entrei segurando o enorme buque de tulipas laranjas ainda sem entender. Peguei o cartão e parei quando li o nome.


-Por que Edward Cullen está me mandando flores?- Me perguntei abrindo o cartão.


Eu sei que o combinado era só um café, mas não consigo me afastar de você. Faz pouco tempo que a vi, e já preciso vê-la de novo. As tulipas laranja representam meu fascínio por você Isabella. Eu sei que não fazia parte do nosso acordo um segundo encontro, mas também não fazia parte do nosso acordo a senhorita ser tão encantadora. Gostaria de sair comigo novamente?


PS: Eu sei ser bem insistente quando quero.


-Era o que eu precisava mesmo.- Peguei meu telefone e liguei para Alice. Eu me arrependeria, mas mesmo assim, precisava dos concelhos da minha amiga.


-Alo?


-Alice, ei, é a Bella.


-Oi Bella. Como está? Anda tendo sonhos quentes com irmãos dos seus alunos?


-Alice...


-O que? Perguntar não ofende sabia?


-Eu sai com ele.- Disse mordendo os lábios.


-O que? Quando? Onde? Como foi?


-Respira Alice. Ele não parava de insistir, alem do mais era só um café.


-Por que eu sinto um mas no final dessa frase?


-Mas eu não pensei que ele fosse como é. E certamente não esperava que ele mandasse flores essa manhã.


-Ele mandou flores? Que cavalheiro. O que dizia no cartão?


-Eu não disse que tinha um cartão.


-Ah Bella. Você acabou de dizer que ele era diferente, depois falou das flores, nem precisava falar do cartão. Isso eu sei pela sua voz. Agora, o que dizia no cartão?


-Eu vou ler pra você.- Li o cartão e Alice começou a gritar ao telefone.- Ali, por favor, não faça eu me arrepender de ter ligado.


-Desculpe, eu surte por um momento. Você vai sair com ele novamente não vai?


-Não.


-Ah que isso Bella. Você viu o que dizia no cartão? Eu vou repetir para o caso de não ter entendido. Eu sei ser bem insistente quando quero. Em outras palavras, ele não vai deixa-la enquanto não sair com ele.


-Eu sei o que diz o cartão Alice, mas isso é contra as regras. Se alguém da escola descobre, eu perco meu emprego.


-Isso é bastante simples Bella. Não deixe que descubram. Se alguém perguntar, vocês são amigos. Você não pode ser amiga dos responsáveis dos seus alunos?


-Bem, isso não é proibido, mas...


-Sem mas. Brincadeiras a parte, eu tenho uma sensação boa sobre esse cara.


-Eu não sei Ali...


-Bella. Uma vez na vida. Pare de analisar e faça. Uma vez.


-Está bem. O que de pior pode acontecer não é?


-Exatamente.


-Tenho que desligar Alice. Obrigada pelo concelho.


-Sempre que precisar amiga.


Desliguei o telefone e disquei o de Edward.


-Alo?


-Ed-dward.- Disse me odiando por gaguejar. O que ele tinha que me deixava tão nervosa?


-Bella?


-Sim. Eu recebi as flores. É relmente muito fofo da sua parte.


-Fico feliz que tenha gostado. Recebeu o cartão também.


-Sim, eu recebi.


-Então... Eu terei minha resposta?


-Sim.


-Sim, eu receberei ou sim é minha resposta?- Ele perguntou confuso.


-Sim, eu gostaria de sári com você- Disse mordendo os lábios.


-Não consegue se manter longe também ão é?


-Por favor não me faça me arrepender.


-Desculpe, eu estava brincando. Fico feliz que tenha aceitado. Posso te pegar hoje?


-Isso seria bom.


-Jantar as oito. Eu passo aí. Tenho uma reunião agora Bella. Tenho que desligar, vejo você mais tarde.


-Claro. Ei, você não sabe onde eu...- Ele desligou antes que ela terminasse. Como ele poderia busca-la. Ele não sabia onde eu morava, as flores. É claro que ele sabia onde ela morava.


Coloquei as flores na água e sai.


A aula foi mais longa do que o normal, o dia todo foi. Talvez eu estivesse mais ansiosa para esse encontro do que pensava. Talvez isso seja um erro. Eu estava terminando de me vestir então a campainha tocou. Coloquei meus saparos e fui atender a porta.


-Ola.- Quando o vi, não tinha certeza se estava pouco produzida ou se esse charme e elegância que ele transbordava eram naturais.- Você está linda.


-Você também não está mal. Ele trazia outro buque, um menor do que o da manha, com tulipas laranja.


-São para você.


-Obrigada. São lindas.


-Como você.- Ele disse com um sorrido de lado.


-Deixe-me coloca-las na água e podemos ir.


-Claro. – Coloquei as flores em um vaso na sala esaimos.


O jantar foi tranqüilo e muito agradável. Trocamos historias de infância. Edward falou de seus pais. Eu não tinha muito o que compartilhar. Esme pareceu ser uma mãe incrível. Ele era um exemplo de cavalheiro. Abria portas, puxava cadeiras e tirou seu paletó colocando em meus ombros quando caminhávamos pelo parque. Quando começamos a caminhar nossas mãos estavam ao lado dos corpos e se esbarraram. Com o toque senti como se uma corrente elétrica percorresse meu braço. Ele deve ter sentido o mesmo porque olhou para sua mão com um olhar curioso. As mãos voltaram a se esbarrar de vez enquanto, quando ele timidamente segurou minha mão e sorriu. Eu não a puxei de volta, eu gostava da sensação de formigamento. Ele ganhou confiança e começou a desenhar círculos nas costas da minha mão enquanto caminhávamos e conversávamos. Já estava tarde quando ele me trousse para casa me acompanhando até a porta de casa.


-Eu não vou convidá-lo para entrar.- Eu disse olhando para baixo. Se eu olhasse em seus olhos fraquejaria.


-Não esperava que convidasse Bella. Me diverti muito está noite.


-Eu também. Muito.- Murmurei.


-Então isso significa que posso ganhar um encontro numero três?


-Edward...


-Que isso Bella. Você mesma disse que gostou. Vai dizer que agora que me conhece não gosta nem um pouco de mim.


-Mais do que deveria.- Murmurei para mim mesma.- Não é isso Edward.


- O que é então?


-Existem algumas regras e...


-Regras são feitas para serem quebradas Bella.


-Não se custaria meu emprego.


-Ninguém precisa saber Bella. Para quem olhar, somo apenas amigos. Não existem regras contra isso, certo?


-Não mas...


-Sem mas. Eu gosto de você Bella. Você é diferente. É divertida, inteligente, bonita e ao contrario da minha ex namorada, gosta do meu irmãozinho.


-Não é difícil gostar do Charlie, ele é adorável.- Edward respirou fundo e olhou para os lados como se procurasse alguém, então me beijou. O beijo começou lento. Sua boca na minha causava pequenos choques, sua mão segurava minha nuca me prendendo. Eu sabia que era errado, mas não me importava o bastante para afsta-lo, então fiz o que queria fazer desde que o conheci. Enterrei minhas mãos em seu cabelo lhe dando leves puxões e o ouvi gemer. Sua língua pediu passagem e eu cedi. Ela acariciava a minha e meus dentes. Não demorou para o ar se fazer necessário e ele se afastar e me trazendo de vlta a sanidade. Eu havia permitido que ele me beijasse.


-Desculpe. Eu realmente precisava disso. Por favor, por favor saia comigo de novo.


-Eu não...


-Não precisa responder agora, mas tenha em mente que eu pedi por favor duas vezes. Três contando com essa. E eu não costumo pedir Bella. O que você está fazendo comigo?- Ele perguntou meio atordoado.


-Eu prometo pensar.


-Isso é o bastante por agora.- Eu disse e ele acenou e foi embora. Entrei em casa e me atirei no sofá com uma das mãos no lábio ainda inchado pelo beijo.


-Droga, acho que estou apaixonada.