sábado, 4 de março de 2017

Short Fic Breaking the Rules - Capítulo 02- Todo cuidado é pouco





Edward PDV



—Até amanhã Charlie.- Bella disse se despedindo enquanto Charlie vinha em minha direção.


—Eu não ganho tchau?- Provoquei.


—Até amanha Sr. Cullen.


—Bella espere.- A ouvi suspirar alto enquanto se virava. Não seria fácil, mas eu a domaria.


—Sim Sr Cullen.


—Eu gostaria de refazer o convite que lhe fiz no sábado. Gostaria de jantar comigo na sexta?


—Minha resposta continua a mesma Sr Cullen.


—Eu já pedi para me chamar de Edward. Me chamando de senhor Cullen até me faz parecer velho.


—Eu agradeço o convite Edward, mas minha resposta ainda é não.


—E que tal um almoço então?- Eu a vi segurando as temporas tentando manter sua boa educação. Eu não desistiria. Eu queria aquela presidência há muito tempo.


—Não obrigada.


—Um café?


—O senhor é muito persistente. Parece não entender quando uma mulher lhe diz não.


—Vamos lá Isabella. Um café. Como amigos.


—Não somos amigos.


—Mas poderíamos ser. Se você me deixar te pagar um café, nós nos sentaríamos, conversaríamos e nos tornaríamos amigos.


—Acho pouco provável.


—Um café e eu lhe deixo em paz.


—Está bem! Eu saio daqui há uma hora.


—Ótimo. Eu levo Charlie em casa e venho buscá-la


—Ótimo.- Disse revirando os olhos.


Coloque Charlie no carro e comecei a dirigir até em casa.


—Edward?


—Pode ir falando.


—O que?


—O que você quis perguntar desde que entrou no carro. Desembucha maninho.


—Eu só queria saber umas coisas.


—E que coisas seriam essas?


—Ah nada de mais... Sobre você, sobre aquela chata da Tânia, sobre a tia Bella...


—Do começo Charlie. Sobre a Tânia primeiro. Pode falar.


—Você ainda ta namorando ela?


—Não. Não estou.- Ainda lembrou quando cheguei na casa de Tânia e a peguei transando com o limpador da piscina. Charlie nunca gostou muito dela, e eu a usava mais para passar o tempo quando vinha para Forks. Mas minha mais nova distração se tornou uma professora de jardim de infância, então estava tudo bem.-Próxima pergunta.


—Você gosta da tia Bella?- Quando ele perguntou isso, eu não sabia o que responder. É claro que ela era gostosa, e que eu a pegaria assim que tivesse chance, mas é claro que não passava disso. Um meio de conseguir a tão desejada presidência.- Ela parece uma ótima moça, e parece gostar de você Charlie, então sim, eu gosto dela.


—Não. Gostar assim não Edward. Eu to falando de gostar igual o papai gosta da mamãe. Ela disse que acha você bonito sabe.


—Ela disse isso?- Sorri ao ouvir isso. Quer dizer que a Srt. Swan me achava bonito? Então seria mais fácil do que eu havia pensado.


—E pensando bem, ela disse que era segredo. Boca grande- O ouvi murmurar e dei risada.


—E o que mais ela disse Charlie?


—Eu perguntei se ela tinha namorado, e ela disse que não.


—E então?


—Aí eu perguntei por que ela não namorava você ?


—Charlie!


—O que? Eu prefiro ela do que aquelas chatas que você namora. Elas sempre são legais comigo na sua frente, mas quando você não ta olhando elas ficam mandando em mim.


—Tudo bem, já entendi. O que mais a tia Bella te disse?


—Ela disse que tinha regras de épica. Por isso não podia namorar com você.


—Épica?


—É. Que a chata da diretora não deixa ela namorar você porque você é meu irmão.- Ele disse revirando os olhinhos.


—Ah ética.- Então ela não pode namorar responsáveis dos alunos, isso certamente complicaria as coisas.


Chegando em casa Charlie desceu do carro e eu voltei para a escola para pegar Bella. Eu teria que pensar em alguma coisa. Se a escola realmente proibisse relacionamentos entre professoras e responsáveis pelos alunos, então Bella nunca me daria uma chance. Ela me parece certinha demais para quebrar as regras e arriscar seu emprego, por mais charmoso que eu possa ser, precisarei fazer com que ela confie em mim, e que acredite que é perfeitamente seguro entrar em uma relação comigo.


Chegando na escola Bella estava na porta. Eu parei o carro e desci.


—Olá de novo.


—Se eu for com você, você me deixa em paz? Só um café. Depois disso você me deixa em paz? Certo?


— Certo. A menos que você queira mais do que um café. Aí nesse caso eu terei que ser mais insistente.


—Isso não é uma possibilidade. Não se preocupe.


—Vamos?


—Vamos.- Ela ia abrir a porta, mas eu fui mais rápido e abri para que ela entrasse. Ela pareceu surpresa com o gesto. O que mês fez pensar... Com que tipo de cara ela andava saindo?


Durante o caminho para a cafeteria o único som que se ouvia era o rádio. Eu liguei um cd e uma musica começou a tocar.


—Debussy?


—Conhece?


—Sim. Mas não imaginei que alguém como você gostasse desse tipo de música.


—Desse tipo?


—Clássica.


—Espera aí, alguém como eu? O que quer dizer exatamente?


—Não sei exatamente, mas você me pareceu ser o tipo de cara que gosta mais de musicas de boates.- Eu ri e abri o porta luvas mostrando meus CDs


.-Pode olhar.-Eu disse e ela olhou.


—Tchaikovsky?Beethoven e... Mozart? Definitivamente uma surpresa.


—E você? Gosta de que tipo de música?


—De rock clássica á musica clássica. Eu escuto musicas variando de acordo com meu humor.


—Livros?


—Leio de tudo. Nessa área não tenho muito filtro. Você não me parece um cara que lê muito.


—Julgando de novo Isabella... Que coisa feia para uma professora.


—Desculpe. Tem razão. E não me chame de Isabella, isso me lembra quando eu fazia coisas erradas quando era pequena e minha mãe me chamava a atenção. Isabella, venha já aqui. Não toque nisso Isabella, você vai quebrar. - Ela gesticulava enquanto dizia o por que de não gostar de ser chamada de Isabella, e eu não pude segurar meu riso.


—Não ria. Não é engraçado.


—Talvez não seja para você.


—É claro que você acha engraçado. Aposto que sua mãe não abreviava seu nome, então não poderia usar ele todo na hora das broncas.


—Aí é que você se engana. Ela não abreviava, é verdade, mas para isso servem os nomes compostos não é. Edward Anthony o que você pensa que está fazendo? Edward Anthony desça já daí.- Agora era sua vez de rir.


—Seu segundo nome é Anthony?


—Acha engraçado?


—É claro que sim.- Ela disse enquanto ria.- Não é um nome muito bom para uma criança.


—Ei... Foi em homenagem ao meu avô. Ele foi major. Um homem muito bom e... Ah quem quero enganar. É realmente ruim para uma criança.- Eu disse enquanto ria com ela. Espere, ria com ela? Por que eu estava rindo? E por que estava falando sobre meu avô? Eu precisaria tomar muito cuidado. Bella era uma pessoa muito fácil de se gostar. E me apaixonar por ela colocaria meus planos a perder. E esse era um risco o qual eu não podia correr.