sábado, 4 de março de 2017

Short Fic- Breaking the Rules- Capítulo 01- A grande aposta



Bella PDV


Era mais um dia normal de trabalho. Eu estava terminando de arrumar minhas coisas e logo o sinal tocaria anunciando o final das aulas.


-Crianças arrumem seus materiais e façam uma fila na porta.


Eu sempre levava todas as crianças até seus pais. Todos os dias. A fila era organizada por ordem de chegada dos pais. E o pequeno Charlie era sempre o último. Já que seu pai chegava sempre depois do horário para buscá-lo.


Depois que todas as crianças haviam ido. Ficamos somente Charlie e eu. Foi quando um homem alto com cabelos de uma cor que eu nunca havia visto chegou e Charlie correu em sua direção. Seus cabelos eram uma bagunça. Parecia um acobreado. Mas foram seus olhos que me chamaram a atenção. Era um verde escuro muito bonito.


-Charlie não corre. -Disse indo ao seu encontro


-Edward!Você veio!


-Claro que eu vim campeão. Mamãe pediu para vir te buscar.


-Vem conhecer a tia Bella. - Charlie desceu do colo do lindo rapaz e veio em minha direção, o puxando pela mão.


-Charlie, você não pode sair correndo desse jeito. - O adverti.


-Desculpa tia. É que eu fui dar oi pro meu irmão. Olha ele aqui.


-Olá senhorita...?


-Swan. Isabella Swan. Mas meus alunos me chamam de Bella.


-Sem dúvida é.


-Como disse?


-Nada. Me chamo Edward Cullen. Sou irmão mais velho do Charlie. Vim buscá-lo.


-Eu entendo Sr. Cullen, mas tenho ligar para Dona Esme. O seu nome não está na lista dos responsáveis pelo Charlie.


-Isso por que eu estava fora da cidade. Voltei semana passada.


-Como eu disse. Entendo. Mas ainda sim tenho que ligar para a mãe do Charlie. É pela própria segurança do Charlie.


-Acha que estou mentindo Srta Swan?- Ele perguntou de um jeito provocativo.


-Não é questão de estar mentindo Sr. Cullen. Eu apenas não posso entregar as crianças a pessoas que não estão na lista de responsáveis.


-Tudo bem. Eu vou ligar para minha mãe e a senhorita pode falar com ela então. - Disse virando os olhos. Ele discou um número no celular e passou para mim.


-Edward? Já pegou o Charlie?


-Alô? Dona Esme. Aqui é a Bella. Professora do Charlie.


-Ah sim. Bella. Por que está com o telefone do meu filho?


-Dona Esme. O senhor Cullen veio buscar o Charlie, mas acontece que o nome dele não está na lista de responsáveis. Então não podia liberar o Charlie sem falar com a senhora antes.


-Ah claro querida. Eu esqueci completamente. Edward é meu filho mais velho. Ele não estava na cidade antes, mas agora ele irá buscar o Charlie todos os dias. Poderia colocar seu nome e telefone na lista?


-Claro Dona Esme. Eu coloco. Espero que a senhora entenda. É pela própria segurança do Charlie. - Ao ouvir isso ele sorriu presunçoso.


-Imagine querida. Eu entendo. Mas pode deixar sim. Bom, se é apenas isso... Tenho que desligar agora.


-Sim era apenas isso Dona Esme. Obrigada. Tchau. - Desliguei e devolvi o telefone para seu dono.


- Então Srt. Swan. Agora que foi tudo esclarecido. Será que eu posso levar meu irmãozinho?


- Claro. Eu só preciso do seu número para colocar na lista de responsáveis.


-Aqui. - Anotou o número em um papel e me passou. -Se era só isso. Vamos Charlie?


-Aonde vamos?


-Vamos pegar Tânia e depois vamos ao parque.


-Ah não. Você ainda namora ela Edward? Ela é a maior chata.


-Não seja assim Charlie. Se despeça da professora e vamos. - Charlie virou os olhares e veio se despedir de mim. Me abaixei para receber um beijo, mas Charlie sussurrou em meu ouvido.


-Ela é a maior chata. Preferia que você viesse tia. - sorri com seu comentário e Edward pigarreou chamando a atenção de Charlie.


-Vamos? – Perguntou impaciente.


-Está bem.- Charlie respondeu bufando.


-Que isso campeão. Te pago um sorvete.


-Sorvete!!! - Correu em direção ao irmão que o pegou no colo.


-Até amanhã Srt. Swan.


-Até amanhã. - Acenei com a cabeça.


Voltei para buscar o meu material. Esse irmão do Charlie podia ser muito bonito, mas era um arrogante. Achando que com um sorriso vai conseguir tudo o que quer.


Cheguei em casa fui tomar uma banho quente para relaxar. Era quinta à noite, então decidi preparar a aula de amanhã.


Na manhã seguinte. Acordei bem cedo e fui fazer minha corrida. Eu tinha minha rotina. Eu acordava todos os dias às 6 da manhã e corria exatos 7 km. Voltava, tomava um banho, meu café, e ia para o trabalho que ficava apenas dois quarteirões da minha casa. No caminho eu passava na banca e comprava o jornal do dia.


Quando cheguei a escola fui direto para minha sala para arrumar a lista de responsáveis, e colocar o nome e telefone daquele... Senhor na lista. Não entenda mal, eu gostaria de chamá-lo de outra coisa. Mas eu não usava palavrões. Um dos motivos eram meus alunos claro. Quando você trabalha com crianças têm que tomar muito cuidado com o que fala. Mas o principal motivo são meus pais. Eu cresci em uma casa onde palavrões eram quase que a primeira língua falada.


Charlie era sempre o primeiro a chegar. Ele ia direto para sua cadeira sempre bem quietinho, mas hoje ele parecia diferente. Mais animado do que o normal.


-Aconteceu alguma coisa Charlie? Você não para na cadeira.


-Aconteceu sim tia Bella. Eu não tenho mais que ver aquela chata da Tânia agora. - Eu não costumava me envolver em assuntos pessoais dos alunos, mas Charlie era diferente.


-Por que não?


- Eu não entendi direito tia. Eu estava no carro. Edward disse que íamos pegar Tânia e depois iríamos para o parque. Então eu não precisava descer. Mas quando ele entrou na casa eu ouvi ele falando alto. E depois ele saiu de lá com aquela chata correndo atrás dele. Mas tinha um moço sem camisa vindo atrás dela. Meu irmão entrou no carro e saiu dirigindo. Aí quando perguntei se ele não ia voltar pra pegar aquela chata, ele disse que eu não tinha mais que me preocupar com ela.


- E você gostou disso?


-Claro. Ela não gostava muito de mim mesmo. Não é como você tia. Ela só me mandava fazer as coisas. Dizendo que eu tinha que me acostumar com ela. Já que ela ia casar com meu irmão. Acho que ela não vai mais né tia?


-Eu acho que não querido. - Disse sorrindo e passando a mão em seus cabelos.


-E você tia?


-O que tem eu?


-Você tem namorado também tia?


-Não querido. Eu não tenho. - Ele pareceu pensar em alguma coisa por um tempo.


-Quantos anos você tem tia Bella?


-Eu tenho 25 querido. Por quê?


-Sabe tia. Meu irmão tem 26. Sabe. Você não tem namorado, eu acho que ele não ta mais namorando aquela chata. Por que vocês não namoram?


-Charlie!!


-O que? Eu ia achar muito mais divertido passar à tarde com você. Você é legal comigo.


-Querido, fico feliz que goste de mim, mas as coisas não funcionam desse jeito.


-Por que não? Você gosta de meninas como a mãe da Lilly?- Ele perguntou confuso.


-Charlie!- Cada idéias que essas crianças de hoje tem.


-O que? Meu irmão é bonitão não é?- Ele balançou as sobrancelhas e eu ri.


-Bem, sim, mas a questão não é essa Charlie. Você é muito pequeno para entender.


-Então explica ué.


-Querido. Não é porque dois adultos não namoram que tem que se gostar. Entende? Além do mais, existem algumas regras de ética.


-O que é isso de regras de épica tia?


-É ética Charlie. E são coisas que se podem ou não fazer.


-E o que isso tem a ver com você namorar meu irmão?- Disse bufando e revirando os olhinhos.


-Tem tudo a ver senhor cupido mirim. Uma das regras da escola é que professores não podem namorar pais ou responsáveis dos alunos. Agora chega desse assunto Charlie. As outras crianças já estão chegando e vamos começar a aula. - ele bufou mais uma vez, mas ficou quieto pelo resto da aula.


Na hora da saída fiz a mesma coisa. As crianças formaram uma fila, mas dessa vez o responsável pelo Charlie já estava esperando. Ele podia ser um metido, mas pelo menos era pontual.


-Parece que seu irmão está esperando Charlie. Até segunda.


-Até segunda tia.


-Nenhuma objeção sobre eu levar meu irmão hoje Srt. Swan?


-Não Sr. Cullen. Agora que já falei com a dona Esme, o senhor está na lista dos responsáveis. Então pode levar o Charlie sem objeções da minha parte.


-Que bom que nos entendermos então. Porque de agora em diante eu virei buscá-lo todas os dias.


-Como eu disse. Agora que o nome do senhor está na lista, não tenho porquê barrar a saída do Charlie.


-Ótimo. Vamos campeão. -Charlie correu em direção ao seu irmão, que o pegou no colo. Os dois estavam conversando e quando Edward disse alguma coisa, Charlie arregalou os olhinhos e desceu do colo dele correndo em minha direção.


-Tia!!


-Esqueceu alguma coisa Charlie?


-Esqueci. Amanhã é meu aniversário. Você vai, não vai tia?


-Eu não sei Charlie. Eu gosto muito de você, mas não acho que seja uma boa idéia.


-Por favor tia!!-Ele pediu piscando os olhinhos que eram tão verdes quanto os do seu irmão mais velho.


-Eu não sei...


-Vai tiaa!! Eu quero te mostrar meus brinquedos favoritos. Por favor.- Ele continuou com os olhinhos, mas dessa vez fez um biquinho.


-Está bem. Eu vou. Mas não vou poder ficar muito tempo..


-Oba!! A tia vai! – Ele correu gritando para seu irmão, que sorriu o pegando no colo novamente.


-O aniversário será as três. Na casa dos meus pais. O endereço está na ficha do Charlie.- O irmão arrogante de Charlie falou, me olhando dos pés a cabeça e eu senti um calor subindo por todo meu corpo.- Tem uma piscina. Traje de banho é opcional. Você ficaria muito bem com um querida. - Disse isso sem parar de me avaliar e sorrindo, e eu senti meu rosto esquentando. Tenho certeza que devo ter corado.


-É... Eu vejo você amanhã então Charlie.- Edward sorriu com a minha incoerência.


-Até amanhã então Srt. Swan.- Quando ele se despediu lançou um sorriso torto em minha direção. Senti meu rosto corar, mas me mantive firme. Não queria que ele soubesse que podia fazer isso comigo.


-Até amanhã Sr. Cullen.- Se ele me chamaria pelo meu sobrenome, eu também o faria.


Eu não queria me enfiar na casa dos Cullen, mas como dizer não para aqueles olhinhos.


Terminei de arrumar minhas coisas e fui para casa. Chegando em casa tomei um longo banho. Como estava calor, decidi dormir apenas com a calcinha e o sutiã. Vesti apenas uma camiseta cumprida enquanto fazia o jantar, mas antes de me deitar tiraria.


Fui para cozinha e olhei para geladeira. Peguei vários ingredientes e uma massa de pizza pronta no congelador. Depois de montar a pizza e colocá-la no formo fui até o quarto escolher uma roupa para o aniversário do Charlie. Seria durante o dia. Ainda me lembro das insinuações daquele... Aquele arrogante.


Depois de escolher o vestido voltei para cozinha. Terminei de comer e arrumei minha sujeira. Eu morava sozinha, mas gostava de ordem. Ainda não queria ir para a cama. Então sentei no sofá para ler meu livro.


Ele estava ainda mais lindo. Se não fosse a política da escola e o fato dele ser um idiota, eu certamente ficaria interessada nele.


Ele foi se aproximando mais e mais de mim, mas por alguma razão eu não recuei. Foi aí que eu percebi que não controlava meu corpo. Os que eram pra ser meus braços passaram em volta de seu pescoço e suas mãos vieram para minha cintura. Eu tentava me soltar, mas meu corpo não obedecia meus comandos. Sem controle nenhum, vi meu corpo reagir sozinho, enlaçando minhas pernas em sua cintura. Ele beijava meu pescoço enquanto minhas mãos estavam em seu cabelo. Eu tentei mais uma vez retomar o controle do meu corpo, mas não consegui. Então meu corpo continuou funcionando sozinho. Minha boca atacou a sua enquanto minhas mãos tentavam abrir sua camisa. Mas as mãos dele soltaram minha perna e pararam minhas mãos.


-Você é muito impaciente Srt. Swan.- Ele disse sorrindo da mesma maneira que fez naquele primeiro dia na escola.


Acordei sentindo o suor escorrer por meu pescoço. Eu realmente acabei de sonhar com Edward Cullen? Não bastava ter que vê-lo na escola. Ele apareceria em meus sonhos agora. Sem conseguir voltar a dormir resolvi me levantar e me preparar para o dia. Seria um longo dia.


A luz do sol já entrava pela janela. Minhas costas doíam um pouco. Eu havia adormecido no sofá enquanto lia. De novo.


Tomei um banho frio para acalmar meu corpo depois desse sonho maluco e sai para minha corrida. Ao chegar em casa preparei meu café e liguei para Alice. Eu não tinha certeza se devia falar disso com ela, porque conhecendo minha amiga, aquela maluca mandaria eu me jogar para cima dele.


Peguei o telefone ligando. Depois de quatro toques ela atendeu.


-Sério Bella? Oito da manhã? De um sábado? É bom ser importante.


-Grande amiga você Alice. Eu querendo conversar e você mal humorada.


-Conversar sobre o que às oito da manhã? – Eu me arrependeria do que estava prestes a fazer. Eu sabia que sim, mas fiz assim mesmo.


-Tem um cara e...


-O que?- Ela gritou ao telefone. - Nem mais uma palavra. Estou indo para aí agora.


O que uma fofoca sobre um cara não faz né? Nem uma hora depois ouvi minha campainha, mas Alice não podia tocar uma vez e esperar. Ela tinha que ficar segurando o botão até eu abrir a porta.


-Pelo amor de Deus Alice! Aonde é o incêndio?


-Eu espero que debaixo da sua saia Bellinha. Como assim tem uma cara? Como o conheceu? De onde ele é? Como se chama? Quantos anos...


-Alice respira! Ele é o irmão mais velho de um dos meus alunos. Eu não sei de onde ele é. Ele é tão...


-Gato?


-Arrogante!


-Perai. Volta. Como assim arrogante? Eu pensei que você estava afim dele. Não está?


-Não Alice. Se você tivesse me deixado terminar de falar saberia. Ele se chama Edward. Ele é um arrogante, metido, prepotente e...


-E você gosta dele.- Ela cantarolou sorrindo.


-Você não ouviu o que eu disse Alice?


-Claro que ouvi Bella. Por isso mesmo que eu digo. Você gosta dele.


-Eu não.


-Gosta sim. Posso até apostar que sonhou com ele essa noite.- Quando ela disse isso eu corei. E foi a confirmação que ela precisava.- Ah eu sabia!! Sonhou com ele não foi? E como foi? Foi quente?


- Alice! Tudo bem ele apareceu no meu sonho, mas eu não gosto dele. Ontem o Charlie me convidou para seu aniversário. E quando eu disse que ia, esse... Homem mediu meu corpo todo dizendo que traje de banho era opcional. E que eu ficaria ótima em um. Alem de me chamar de querida. Ele nem disfarçou Alice.


-Bella qual é? O cara deve ser solteiro, e não é por nada não, mas você é gostosa. Alguns caras são mais objetivos só isso.


-Ai quando ele disse isso, eu corei. Eu queria mandá-lo para a...


-Sua cama?


-Alice!


-Eu estou brincando Bella. Você ainda vai ao aniversário?


-Vou.


-Aproveita para mostrar para ele que você não se sente intimidada.


-Na verdade essa é uma ótima idéia Alice.


-Que horas é o aniversário.


-Daqui duas horas.


-Ótimo. Vem. - Ela disse me puxando para o quarto.


-O que vai fazer.


-Te deixar mais gata do que você já é.


Quando fiquei pronta eu não acreditei. Eu parecia inocente, mas ao mesmo tempo muito sexy. Alice realmente sabia o que fazia. Meus olhos eram azuis, mas com a maquiagem que Alice fez, eles ficaram destacados. Meus cabelos caiam sobre meus ombros em cachos e eu usava meus brincos de perolas e um colar de coruja, junto com um vestido azul claro e sapatilhas pretas.


Eu estava na porta dos Cullens, quase cogitando a idéia de voltar para casa. Mas eu não seria covarde. Aquele arrogante não teria controle sobre mim. Era aniversário de Charlie, e eu estaria lá por ele.


Tomei coragem e toquei a campainha. E correndo em minha direção havia um Charlie muito feliz.


-Você é um pirata!


-É só minha fantasia tia.- Ele disse sorrindo.- Eu queria que meu irmão vestisse uma também.


-E ele não quis?


-Ele parece bravo tia. – Eu já estava ultrapassando a linha do certo e errado, mas não me importava. Quanto mais informações conseguisse daquele idiota, melhor poderia responder as suas provocações.


-Por que diz isso querido?


-Ele estava de bom humor, mas eu perguntei se aquela chata da Tânia viria pro meu aniversário. E ele está emburrado agora, e não quer vestir a fantasia. Eu fiz alguma coisa errada tia?


-Você não fez nada errado querido. Ele deve estar com algum problema. Adultos às vezes tem problemas.


-Quem está com problemas?- Edward apareceu na porta perguntando e eu saltei com a surpresa.


-Charlie queria saber por que o irmão dele não quis vestir a fantasia de pirata. Ele pensa que você está bravo com ele, por isso não quer colocar a fantasia.


-Maninho vem aqui.- Edward se pos de joelhos e Charlie foi para perto dele.- Você não fez nada de errado. Eu que fiz. É seu aniversário. Eu prometo que na hora do parabéns eu visto a fantasia. Combinado?


-Mesmo?


-Mesmo.


-Eba!! A tia Bella pode ser a mocinha em perigo?


-Se ela quiser.


-Você quer tia?- Piscou os olhinhos para mim de novo.


-Claro Charie.


-Vou contar pro papai. Ele pode ser o vilão- Disse isso saindo correndo.


-Srt Swan. Que bom que veio. Charlie parece gostar muito de você.


-Eu também gosto muito dele Sr. Cullen.


- Edward. Sr. Cullen é meu pai. E considerando que você não está na escola. Eu poderia chama-la de Isabella?


-Bella.


-Realmente o apelido lhe cai melhor. A festa é nos fundos. Venha.- A contra gosto fui até os fundos acompanhada por ele.


Assim que chegamos até a festa, tentei manter o Maximo de distancia dele.


Charlie trouxe a fantasia de seu irmão, que logo a vestiu. O que eu não sabia, é que eles fariam uma pequena peça de teatro. Tudo improvisado, claro.


Carlisle, pai de Charlie, era o vilão que seqüestrou a mocinha, que era eu. Enquanto isso, Edward era o mocinho que tentaria me resgatar, fala sério? E Charlie seria seu parceiro.


Eu estava "amarrada" na cadeira, e Charlie tentava lutar contra Carlisle. Ele era um bom ator, porque ao sentir o soco que suas pequenas mãozinhas deram, Carlisle caiu no chão dramaticamente, enquanto Charlie gritava para que Edward fosse me salvar. E ele obedeceu vindo ao meu encontro e me soltando.


Eu ia andar com minhas próprias pernas, mas ao tentar fazer isso, ouvimos as reclamações do pequeno pirata.


-Não Edward!! A tia Bella ta machucada. Você tem que pegar ela no colo.- Ele disse revirando os olhinhos. Edward olhou para mim, e obedeceu. Estávamos desconfortais com tanta intimidade, mas Charlie estava se divertindo, então valia a pena.- O capitão ta acordando!! Foge Edward, foge!!- Carlisle se levantou e Charlie correu puxando seu irmão, que saiu correndo pelo quintal, comigo ainda em seus braços. Mas ele não viu um pequeno pião que estava no chão e tropeçou, nos derrubando. Ele caiu ficando em cima de mim.


Seu rosto parecia ainda mais bonito. Seu queixo, sua mandíbula, seus lábios carnudos, e seu olhos... Eu poderia me perder nesses olhos. Quando me dei conta ele estava se aproximando. Mais e mais. Próximo de mais para o meu gosto. Então o empurrei. E ele pareceu sair de um transe se levantando.


A pequena apresentação acabou por ai. Carlisle estava cansado de correr, e nem Edward, nem eu queríamos repetir o que havia acabado de acontecer. Cantamos e o bolo foi cortado. Eu já ia embora quando o idiota do Cullen se aproximou. Ele estava acompanhado de um belo rapaz. Pele morena e cabelos tão pretos quanto seus olhos.


-Isabella... Esse é James. James, essa é a Srt Swan. A professora de Charlie que eu lhe falei.


-Anda falando de mim por ai Sr Cullen?


-Não exatamente. E eu já disse que pode me chamar de Edward. Sr. Cullen é meu pai.


-Não fique aborrecida querida. Edward me falou de você, mas foi mais da sua... Desobediência


-Minha desobediência?


-Entenda querida, Edward aqui, está acostumado a ter tudo o que quer, sempre que quer. Não é muito comum que as pessoas lhe neguem as coisas ou descumpram suas ordens.


-Em primeiro lugar, eu não sou sua querida senhor...?


-James. James Hunt.


-E em segundo lugar Sr Hunt. Eu estava cumprindo ordens. Ordens da escola. Não posso entregar meus alunos a qualquer estranho que afirma os conhecer. E quanto ao Sr Cullen, talvez esteja na hora de aprender que o mundo não gira ao seu redor, e que não pode ter tudo que se quer.


-Parece que lhe causei uma péssima primeira intenção Isabella.- Edward disse.


-Com certeza não foi à melhor. Mas não tem porque se preocupar com isso.


-Ao contrario. Eu não gosto de deixar más impressões ao meu respeito. Que tal consertarmos isso?


-E o que tem em mente?


-Um jantar. Sexta à noite?


-Não obrigada.


-Tem compromisso?


-Não.


-Namorado?


-Não que seja do seu interesse, mas não.


-Então por que a recusa?


-Por que eu não quero.


-Isso não é uma boa resposta. Vamos. Se não nessa sexta, qual dia então?


-E que tal essa resposta... No dia em que porcos voarem. Agora já vou indo. O vejo segunda quando vier buscar o Charlie Sr. Cullen.-Me virei e fui embora, o deixando de boca aberta com a recusa.


Edward PDV


-Perdeu o jeito Cullen?


-Claro que não Hunt. Ela só tem um temperamento forte, mas é só uma questão de tempo até ela se render ao meu charme.


-Não sei não. Ela não parece disposta nem a ser sua amiga. Quanto mais se envolver com você meu amigo.


-Quer apostar?


-Quer saber? Vai ser divertido ver o grande Edward Cullen não conseguir a garota pelo menos uma vez.


-Você vai perder essa James. Quais são as regras e o que eu ganho?


-Que tal isso. O baile anual da empresa. Tem que leva lá como sua acompanhante, mas eu quero provas Cullen. Quero ver ao menos um beijo. Sem que você seja estapeado por isso.


-O baile é daqui um mês. .


-Duvidando das suas habilidades meu amigo?


-Não. Claro que não. Ela estará lá. E o que eu ganho?


-Metade das minhas ações na empresa. Assim você realiza seu tão sonhado objetivo de se tornar o presidente. Eai Cullen? Um mês é o suficiente para acalentar fera?


-Feito. - apertamos as mãos fechando a aposta. Não seria fácil amansar essa fera, mas eu não perderia a chance de me tornar o presidente da empresa.