sexta-feira, 3 de março de 2017

One-Shot Um pedido Especial








—Vamos Edward, um pouco de animação. É ano novo.


—Para mim é só mais um ano. Um ano que eu vou ficar preso nesse negócio.-Bella suspirou e sentou-se em seu colo. Fazia um pouco mais de quatro anos. Edward havia sofrido um acidente que o deixara em uma cadeira de rodas sem o movimento das pernas. Bella passou um dos braços em seu pescoço e acariciou seu rosto.


—Talvez seja um bom ano amor. Talvez os tratamentos finalmente possam fazer efeito ou, ou quem sabe...


—Chega Bella. Você não entende? Eu não vou voltar a andar. Nunca mais. Eu não vejo motivos para continuar com esses tratamentos. A cada seção, a cada ida ao médico eu só me frustro mais. Você está com um homem incompleto. Não vê isso?


—Não vejo. Não é assim que eu vejo você Edward. E mesmo que você não volte a andar...


—Não vou. - Bella colocou uma de suas mãos em sua boca o calando.


—Mesmo que você não volte a andar isso não fará diferença para mim. Nem para mim, nem para o Charlie.


—É isso que você não entende Bella. O Charlie... O Charlie não poderá brincar direito com o pai. Nunca vai saber como é fazer uma guerra de bolas de neve, ou andar de cavalinho. Ou qualquer brincadeira entre pai e filho que exija algum movimento das minhas malditas pernas.


—Edward. Ele ama você como você é. Nada mais importa.- Bella disse acariciando seu rosto.


—Eu já vou para cama. Estou indisposto.


—Tudo bem. - Ela disse o beijando. --Eu amo você.


—Eu também amo você. - Ele disse suspirando. - Só acho que você e Charlie mereciam coisa melhor. - Ele olhou para baixo.


—Você é o melhor para nós. - Ela disse lhe dando mais um beijo e saindo de seu colo. - Vou ver como Charlie está.


Quando ouviu isso Charlie saiu de trás da porta e correu para seu quarto. Nenhum dos dois havia percebido, mas ele ouviu toda a conversa entre eles. Charlie tinha apenas cinco anos, mas era mais inteligente do que a maioria dos garotos da sua idade. Quando Bella entrou no quarto e Charlie estava sentado na cama.


—Oi meu anjinho. Pronto para dormir?


—Sim mamãe.


—Então já para de baixo das cobertas rapazinho. - Ela disse e ele sorriu se enfiando de baixo das cobertas.


—Cadê o papai?


—Ele está um pouco cansado filho. Foi se deitar. Animado para o ano novo?


—Sim! Eu gosto de ver as luzes.


—Você se importaria muito se víssemos as luzes do quintal esse ano Charlie?


—Não. Por que mamãe?


—O papai anda muito cansado ultimamente. Ele prefere ficar em casa esse ano.


—Papai pode ver as luzes com a gente?


—Claro.


—Então não me importo. - Ele sorriu mostrando uma janelinha no dente que havia caído.


—Eu já disse que você é o melhor filho que alguém poderia pedir?


—Já. - Charlie disse e Bella acariciou seus cabelos que eram idênticos aos de Edward. Charlie suspirou fechando os olhinhos.


—Boa noite anjinho. - Bella disse lhe dando um beijo na testa.


—Boa noite mamãe. - Bella saiu do quarto e fechou a porta. Charlie esperou uns minutos e se levantou ficando de joelhos na cama.


—Papai do céu? É o Charlie... Eu queria pedir uma coisa. Será que você não pode consertar as pernas do papai? Eu amo muito ele. Do jeitinho que ele é, e a mamãe também. Mas ele ta tão triste. Meu aniversário ta chegando- Charlie continuou falando como se estivesse conversando com alguém. – Eu sei que eu tinha pedido um presente, mas eu posso mudar não posso? Ajuda meu papai a melhorar? Eu queria pedir mais uma coisa. Você pode fazer meu papai andar antes do meu aniversário. Logo logo vai ser ano novo e vai ter um montão de luzes. Eu queria que meu pai tivesse melhor lá. Eu amo tanto ele e a mamãe. Mas o papai ta tão triste. Você ajuda ele? Eu prometo que não peço mais nada. - Charlie pediu com as mãozinhas entrelaçadas. – Obrigado papai do céu.Amém. - Ele disse e voltou a dormir.


Faltavam três dias para o ano novo. Na manha seguinte de seu pedido Charlie levantou correndo e foi até o quarto de seus pais. Encontrando Edward deitado e Bella ao seu lado, deitada em seu peito com os braços em volta de seu pescoço. Charlie pegou impulso e pulou sobre a cama.


—Bom dia mamãe, bom dia papai.


—Bom dia campeão.-


—Bom dia anjiinho.- Bella disse abrindo os braços e Charlie se jogou entre eles.


—Alguém acordou animado hoje.


—Sim papai. Daqui dois dias vamos ver as luzes!! – Edward revirou os olhos e Bella cutucou seu braço.


—Sim Charlie, vamos ver as luzes lá do quintal.


—Do quintal?- Edward perguntou.


—Charlie por que não vai escovar os dentinhos? Mamãe já vai fazer o café.- Assim que Charlie saiu Bella olhou para Edward.


—Pensei que fossemos para a casa dos seus pais.


—Eu falei com Charlie. Ele não se importou de ficarmos aqui, alem do mais você tem andado muito indisposto. Meus pais moram muito longe.


—E eu atrapalhando vocês de novo.- Edward disse com uma carranca.


—Não seja absurdo Edward. É claro que você não está atrapalhando nada. Charlie fica feliz somente em ver as luzes. E eu ficarei feliz desde que esteja com você. Agora vamos levantar. Precisa de ajuda?


—Não.- Ele disse rapidamente e Bella suspirou.- Bella...- Edward disse segurando sua mão antes que ela se levantasse.- Eu sei que tenho sido grosso as vezes, é só que...


—Tudo bem Edward.- Eu entendo que deve ser frustrante não conseguir fazer tudo sozinho, mesmo a gente adaptando a casa, você ainda precisa de ajuda com algumas coisas, eu sei como se sente. Você acha que aceitar minha ajuda vai fazer de você menos homem, mas está errado. Não vai.


—Eu sei.


—O que você parece não saber, é que quando eu ofereço minha ajuda, não é por obrigação ou pena. É porque eu amo você Edward. E eu sei que se a situação fosse inversa, você faria tudo isso por mim.


—Faria.- Ele disse suspirando.


—Vou preparar o café da manhã. Me chame se precisar de alguma coisa.


—Tudo bem.- Bella foi para a cozinha e Charlie estava sentado em seu lugar esperando.


—O que meu menino quer de café da manhã?


—Panquecas e suco de laranja?


—Então panquecas e suco de laranja.- Bella foi para a pia preparar a massa. Ela colocou um prato cheio de panquecas na frente de Charlie e voltou para o fogão para pegar a calda de chocolate quando ouviu um barulho.


—Merda.- Ela ouviu Edward xingar e correu para o quarto derrubando a panela com a calda no chão.


—Edward? – Ela o chamou e ele não respondeu.- Edward?- Ela disse mais alto e dessa vez ele respondeu. Ele estava caído sentado no chão do banheiro.


—Aqui. Eu escorreguei.


—Você se machucou?- Bella disse tentando se acalmar. Ele não parecia machucado.


—Não. Você pode me ajudar?


—Claro, claro. Vou pegar suas roupas.- Edward havia acabado de sair do banho. Ele caiu quando foi passar do banco para a cadeira de rodas, e como ele se vestia quando estava na cadeira, ainda estava completamente nu.


—Obrigado.


—Mamãe, Papai?


—Tudo bem Charlie. Volte para a cozinha.- Bella gritou do quarto.


—Tem como ficar mais humilhante que isso?- Edward perguntou emburrado.


—Edward...- Bella vinha em direção ao banheiro com suas roupas.


—Não Bella. Me diz, o que eu fiz para ter que viver assim? Eu devo ter sido muito ruim para ter que isso me acontecesse.


—Edward não diga isso. Foi um acidente. Não foi sua culpa.- Ele levantou a cabeça e pareceu pensar em algo olhando para Bella.


—Tem razão. Não é minha culpa. É sua.


—O que..- Um tapa não teria doido tanto. Será que ele realmente achava que a culpa era dela.


—Você me ligou. Eu não vi o caminhão porque atendi sua ligação.- Assim que as palavras deixaram sua boca e ele a olhou nos olhos, soube que tinha ido longe demais. Sua Bella estava na sua frente. Sua Bella que nunca chorava por nada, estava agora com os olhos cheios de lagrimas.


—Eu nem sei o que...


—Não. Não diga nada. Só me de as roupas e saia por favor.


—Edward...


—Saia Bella. Por favor.- Ela saiu e ele conseguiu com muita dificuldade se vestir. Mas não a chamou para ajudá-lo a levantar. Ficou sentado, pensando o que havia feito para merecer tamanho castigo.


Flash Back


—É ano novo Edward. Você pode trabalhar outro dia.


—Eu sei Bella. Prometo que não demoro. Meus pais já chegaram?


—Sim. Estão com o Charlie no colo desde então. Vai ficar mal acostumado.- Edward sorriu.- É o primeiro ano novo do Charlie. Por favor... Venha para casa.


—Está bem. Eu posso terminar isso semana que vem. Só vou desligar tudo e já saio.


— Está chovendo horrores aqui. Aí está?- Edward olhou pela janela e parecia que o céu ia desabar, mas sabia com a esposa era preocupada.


—Aqui está garoando.- E para desmenti-lo um trovão ecoou.


—Edward...


—Eu já estou saindo. Amo você.


—Eu também amo você. Tome cuidado.


—Eu sempre tomo.- Ele desligou o telefone e começou a desligar o computador e foi para o estacionamento. A chuva estava forte, mas Edward sempre foi um ótimo motorista.


Entrou em seu volvo dando partida e saindo. Não estava longe de casa quando o telefone tocou. Era Bella.


—Oi amor.


—Onde você está?


—Perto. Alguns quarteirões, eu chego..- Ele passou por um buraco e o telefone escapou de sua mão caindo no chão. Edward abaixou para pega-lo, mas não viu que o sinal havia fechado. Quando pegou o telefone passou pelo sinal e viu um caminhão que vinha em sua direção atingindo seu carro.- Merda...


—Edward?- Chamou Bella do outro lado da linha depois de ouvir um barulho.- Edward!!- Gritou ao telefone, mas Edward já não podia mais responder.


FlashBack Off


Quando Bella voltou ao quarto Edward havia conseguido se erguer e estava sentado olhando para a janela. Bella foi para trás dele e abraçou seu pescoço.


—Eu queria...- Ele disse suspirando.- Queria me desculpar.


—Tudo bem.


—Não está não. E você passar a mão na minha cabeça não ajuda em nada.- Ele disse a olhando.


—Eu não estou...


—Bella. Eu fiz merda. Disse algo que não devia ter dito, e que não é verdade.


—Edward. Eu entendo que você esta cansado e muito bravo com essa situação. Mas aconteceu. E começar a colocar culpa em alguém ou em si mesmo não vai ajudar em nada.


—Eu sei disso.- Ele suspirou de novo.- As vezes eu só queria que isso acabasse.


—Edward. Não diga isso.- Ela disse indo para sua frente e ficando de joelhos.- Como acha que eu ficaria sem você? Como Charlie ficaria? Não diga isso. Nunca mais.- Bella disse baixando a cabeça com os olhos marejados .


—Desculpa amor.- Ele disse segurando seu queixo e o erguendo.-Não chora está bem? Eu só...queria que as coisas fossem diferentes.


—Entre nós?- Bella perguntou fungando.


—De certa forma.


—Sabe..- Ela disse sem olhar para ele.- As vezes eu pensava... Pensava que eu tivesse um pouco de culpa no que aconteceu.


—Você? Como você poderia ter culpa Bella? Se é sobre o que eu disse, eu estava irritado e...


—Não. Pense nisso Edward. Eu pedi que você voltasse para casa.


—Eu não devia nem ter saído para começo de conversa.


—Ou então, se eu não tivesse te ligado para saber onde você estava. Você teria visto o sinal fechado e...


—Bella... Eu não me culpo mais, então por que você faz isso? Mesmo com o que eu disse. Eu sei que foi um acidente. Eu sei que tenho sido horrível, mas foi um acidente.


—Eu me culpo por que depois desse acidente Edward, você parece incapaz de ser feliz novamente. E quando nos casamos eu prometi que o faria feliz, e eu tenho falhado.


—Não tem não. Tem sido difícil, mas acredite, seria impossível sem você e o Charlie.


—Então o que te perturba tanto? Se abre comigo.- Bella disse sentando em seu colo. Esme havia buscado Charlie para passar o dia, e os dois estavam sozinhos.


—Sinceramente? – Bella assentiu.- Eu tenho medo.- Bella olhou confusa para ele esperando que continuasse.- Medo que um dia você acorde e decida que está cansada de viver com um homem incompleto. Medo de que eu não seja mais o bastante. Medo de que você me deixe.- Ele disse baixando a cabeça e Bella viu seus olhos molhados.


—Isso nunca vai acontecer Edward.


—Você não pode ter certeza.


—Posso sim. Eu amo você. E eu sempre vou amar você. Mesmo que você nunca volte andar. Eu te amarei para sempre.- Ela levantou seu rosto.- Eu te amarei para sempre Edward. Nunca pense que você e seu amor não são o suficiente. São o bastante para mim e Charlie. São mais que o bastante.- Ela disse o beijando e subindo em seu colo, as mãos dele foram para a cintura dela levantando seu vestido. Ela ergueu os braços o ajudando a se livrar do vestido e depois começou a levantar a camisa dele. Ela saiu de seu colo e puxou a cadeira para perto da cama. Ele se moveu se sentando na cama.Bella esperou pacientemente que ele se ajeitasse e depois subiu em seu colo e as mãos dele foram para sua bunda. As mãos de Bella passeavam pelo peito de Edward e ela podia sentir ele se arrepiando com seu toque. Suas mãos desceram mais até chegar em sua calça onde ela desabotoou e puxou junto com a boxer.


Bella começou a distribuir beijos em seu pescoço enquanto as mãos de Edward passeavam por seu corpo. Eles entelaçaram uma das mãos, enquanto a outra de Bella estava na nuca de Edward e a dele estava guiando seu membro para a entrada de Bella.


Quando ela se esfregou nele, ambos gemeram com o contato e ela se sentou começando a se movimentar. Desde o acidente as posições era um pouco limitadas, mas o sexo entre eles sempre foi incrível, e ainda era.


As mãos de Edward passeavam por todo corpo de Bella. Ele a sentia se arrepiar ao seu toque e gemer sem parar de se movimentar. Ele estava no seu limite, então levou uma das mãos entre seus corpos fazendo Bella vir na mesma hora. Ele não demorou muito e veio também e Bella se deitou em seu peito.


—Eu amo você.- Edward disse e Bella o olhou sorrindo.


—Eu também amo você. Muito.- Ele afastou uma mecha de cabelo de seus olhos e continuou a olhando.


—Eu sei que pareço infeliz e até mesmo ingrato alguns dias, mas eu quero que saiba que não sou.


—Edward...


—Não Bella. Eu preciso dizer. O fato de estar preso em uma cadeira de rodas não me da direito de magoar as pessoas que eu amo. Eu quero que saiba que eu amo você e o Charlie e que sou muito mais feliz com vocês do que poderia ter sonhado um dia. E que vocês me fazem feliz. Muito feliz. Eu prometo tentar não ser tão rabugento está bem?- Edward a olhava e via que ela novamente estava com lagrimas nos olhos.


—Ah Edward. Nós amamos você. Muito amor.-Bella disse acariciando seu rosto.- Eu entendo que você se sinta preso e eu queria poder fazer alguma coisa para melhorar isso, mas eu não posso.- Ela disse fungando.


—Ei... Não era para você estar chorando Bella. Você mesma disse lembra? É ano novo, animação. Esse pode ser um ano bom não é?- Ele disse com um sorriso triste.


—Sim. Pode sim. Eu só... Ando meio emotiva por esses dias. Eu nunca choro lembra?


—Lembro.- Ele disse limpando suas lagrimas.- Minha garota durona.


—Não sou mais uma garota.


—Para mim é. E sempre vai ser minha garota.- Ele disse a beijando.


—Sabe... Charlie vai passar a noite com Esme e Carlisle. Temos a noite toda para nós.


—Eu tenho algumas idéias então.


Naquela noite os dois se amaram até de madrugada. Enquanto isso Charlie repetia seu pedido da noite anterior, e fez o mesmo na noite seguinte.


Era tarde de 31 de dezembro e Bella estava na cozinha preparando o jantar. Eles receberiam apenas alguns amigos e os familiares. Viriam passar a noite seu irmão Emmett e a esposa Rosie com a filha de dois anos, a pequea Caroline. Viriam também o melhor amigo de Edward Jasper, com Alice que era a melhor amiga de Bella e esposa de Jasper. Eles trariam seus gêmeos, Cloe e Brandon. Carlisle e Esme também estavam presentes assim como Charlie e Renée.


Charlie estava brincando no quarto do casal enquanto Edward descansava um pouco. Ele andava mais indisposto do que o normal por esses dias. Isso andava preocupando Bella.


—Charlie- Bella o chamou sussurando para não acordar Edward.


—Sim mamãe.


—Venha brincar para ca filho. Deixe o papai descansar um pouco.


—Tudo bem mamãe.


Mais tarde Edward acordou e viu que Charlie não estava mais brincando. Se ajeitou na cama e puxou a cadeira para perto. Ainda faltavam algumas horas para o jantar, mas como ele era lento talvez devesse começar agora. Se arrumou na cadeira e foi em direção ao banheiro. Bella deixava tudo em lugares que ele pudesse alcançar. Não por não querer fazer as coisas para ele, mas porque ele sempre gostou de ser independente, e Bella fazia o que podia para manter as coisas assim.


Depois do que pareceu um longo tempo Edward havia tomado banho e estava pronto. Estava muito cansado. Nem parecia que havia dormido boa parte do dia. Posicionou a cadeira e foi em direção as escadas. Depois do acidente Bella pensou em se mudarem para uma casa térrea, mas Edward foi contra. Disse que ali era o lar deles, e que muita coisa já havia mudado. Não precisavam de mais uma mudança, então a casa toda foi adaptada, inclusive a escada. Onde foi colocado um equipamento onde prendia--se a cadeira e ela era levada até em baixo.


Quando ele chegou Charlie, o pai de Bella e Carlisle estavam na sala junto com Emmett, Jasper. E as crianças. As mulheres deviam estar na cozinha, mas Edward não havia visto o pequeno Charlie..


—Edward. Como vai filho?


—Bem. Muito bem, apenas um pouco cansado.


—Isso é normal?- Jasper perguntou preocupado.


—Sim. Alguns dias me sinto um pouco mais cansado. Desculpe não podermos ir na sua casa esse ano Charlie.


—Que isso rapaz. O importante é que estamos todos aqui. E que você cuide da sua saúde. Vocês poderão ir ano que vem.


—Iremos sim Charlie.Vocês sabem onde Bella está?


—Na cozinha. Alice, Rosie e Esme estão com ela. Meu neto também está com elas. O que andam dando para ele? Ele cresceu uns quinze centímetros desde a ultima vez que o vi.


—É ele cresceu bastante mesmo Charlie. Vou ver como elas estão na cozinha. Volto logo.


—Tudo bem rapaz.


Edward empurrou a cadeira até a cozinha e sentiu o cansaço voltar. Talvez alguma coisa estivesse errada. Ele nunca havia ficado tão cansado. Chegou até a porta da cozinha, mas recuperou o ar antes de entrar. Não preocuparia Bella com isso. Eles já não puderam viajar por essas crises de cansaço. Não estragaria a festa em sua casa também.


—Olá meninas.


—Amor- Bella deixou o prato na mesa e veio seu encontro.- Descansou? Se sente melhor?


—Sim. Muito melhor.


—Não anda se sentindo bem filho?


—Só um pouco cansado mãe. Nada demais. Como vai Renée? Alice?


—Bem Edward. Como tem passado?


—Muito bem. Sua filha tem feito um ótimo trabalho.


—Deus Edward. Não precisamos dos detalhes sórdidos.- Alice disse.


—Eu não quis dizer..- Edward corou e começou a gaguejar e as mulheres começaram a rir.Ele não quis dizer isso naquele sentido, mas Alice nunca perdia uma oportunidade de tirar uma com sua cara.


—Nós sabemos filho. Não de ouvidos a Alice.- Esme disse.


—Hora eu estava brincando seu bobo.


—Cade o Charlie?


—No quarto. Disse que queria arrumar umas coisas.


—Que coisas?


—Ele não disse. Disse que era uma surpresa.- Edward olhou para Bella.- Ei não me olhe assim. Eu sei que você não gosta de surpresas. Descobri isso na sua festa de aniversario. Eu não sei o que ele esta aprontando.


—Meu afilhado é um anjo. Não apronta nada Bella.


—Então te apresentaram o afilhado errado Alice, porque eu sei o filho que eu tenho.- Bella disse sorrindo.- Vou ver o que ele esta fazendo. Pode colocar isso no forno para mim Esme?


—Claro querida.


—Porque não fica na sala com os meninos amor? O jantar não demora.- Ela disse o beijando.


—Claro.


Bella subiu até o quarto e a porta estava encostada, mas antes de entrar ela pode ouvir a voz de Charlie. Como se ele conversasse com alguém. Ela sabia que era errado, mas ficou lá ouvindo.


—Papai do céu? É o Charlie... De novo. Eu sei que eu tenho pedido a mesma coisa a semana toda, mas... É muito, muito importante.. Será que você não pode mesmo consertar as pernas do papai? Eu amo muito ele. Do jeitinho que ele é, e a mamãe também. Mas ele ta tão triste e tão cansado. Ele dorme o dia todinho e quando acorda ainda ta cansado. Eu fiquei no quarto com ele hoje. Até ele dormir. A mamãe não sabe. Ele pediu pra não contar. Mas ele não ta respirando direitinho papai do céu. Eu sei que pedi como presente de aniversário, mas não da pra ser antes?- Charlie continuou falando como se estivesse conversando com alguém.- Ajuda meu papai a melhorar?. Logo logo vai ser ano novo e vai ter um montão de luzes. Eu amo tanto ele e a mamãe. Mas o papai ta tão triste. Você ajuda ele? Eu prometo que não peço mais nada. - Charlie pediu com as mãozinhas entrelaçadas. – Obrigado papai do céu.Amém. - Ele disse se levantando e Bella correu para seu quarto com os olhos cheios de lágrimas. Ela andava muito emotiva por esses dias. Ela contaria a todos essa noite o motivo disso. Edward não havia lhe contado que não conseguia respirar direito. Não devia ter contado nem mesmo ao Charlie. Mas ele era esperto e deve ter percebido, e com isso Edward pediu para que não contasse.


Mais tarde estavam todos na mesa de jantar comendo e bebendo quando Bella se levantou.


—Eu queria aproveitar que estão todos aqui para contar uma coisa. – Todos olhavam para ela e Alice saltitava na cadeira. – Em breve teremos mais um membro na família. Eu estou grávida.- Ela disse sorrindo para Edward quando Alice gritou.


—Eu sabia! Eu sabia, eu sabia eu sabia.


—Bella...- Edward disse sorrindo e levando suas mãos até o ventre de Bella.


—Como sabia Alice?- Bella perguntou.


—Que isso Bella. Você nem tocou no Champanhe e está bebendo o suco do Charlie. Eu não sou cega ok?


—Ela pode apenas gostar do suco do Charlie?- Emmett disse.


—Emmett... Você já provou esse suco?


—Não.


—Pois eu já. É horrível, muito saudável, mas horrível. Está de quantas semanas Bella?


—Quatro semanas. Eu queria fazer uma surpresa. Edward?


—Eu.. Eu nem sei o que dizer Bella. Quando pesou que estou completamente feliz, você consegue me surpreender ainda mais. Eu amo você.- Ele disse a beijando.


—As luzes papai!!- Charlie gritou interrompendo os dois.


—Parece que alguém esta impaciente hoje.- Bella disse.


Todos foram la para fora se preparar para ver as luzes. Começou então um show de fogos. Challie estava sentado no chão na grama nos pés de Edward e Bella em seu colo e assim começaram a contagem.


—Dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um... Feliz ano novo!


—Feliz ano novo Bella.- Edward disse a beijando.


—Feliz ano novo amor. Um ano cheio de coisas boas.- Edward levou suas mãos até a barriga de Bella acariciando.


—Sim. Um ano cheio de coisas boas.


Tudo estava ótimo e todos reunidos e desejando um feliz ano novo uns aos outros, mas Edward não estava se sentindo muito bem então sussurrou no ouvido de Bella para que ninguém ouvisse.


—Você se importaria se eu entrasse um pouco?


—Não. Algum problema? Não esta se sentindo bem?


—Estou bem Bella. Calma. Eu só queria descansar um pouco.


—Edward...


—Falando sério Bella. Estou bem.


—Tudo bem. Eu te faço companhia. - Ela disse.


—Não precisa. Fique aqui e veja as luzes com Charlie.


—Tem certeza?


—Tenho sim. Só vou deitar um pouco. Talvez mais tarde eu volte.- Ele disse sorrindo e ela saiu de seu colo.


—Tudo bem. Se precisar de alguma coisa é só me chamar está bem?


—Tudo bem.- Ele disse lhe dando outro beijo.


Edward se arrumou e conseguiu subir as escadas e foi para o quarto. Ele queria um outro banho, mas estava tão cansado que ficou com medo de cair no chuveiro. Isso já havia acontecido uma vez, e ele com certeza não queria repetir a experiência.


Decidiu ir direto para a cama. Tirou suas roupas ficando apenas com a boxer e já estava se ajeitando na cama quando seu pé ficou para fora dos lençóis. Ele pegou sua perna e começou a puxá-la quando o lençol passou por seu pé lhe causando cócegas. Chocado com isso ele soltou sua perna. Ele não sentia cócegas. Ele não sentia nada. Mas podia ser impressão dele, não podia? Olhou para suas pernas e pés esperando que algo acontecesse. Continuou olhando, e quando havia desistido conseguiu fazer um leve movimento com o dedão esquerdo. Ainda chocado com aquilo tudo que conseguiu fazer foi gritar por Bella.


—Bella!- Ele gritou o mais alto que conseguiu, e em menos de três minutos ela estava entrando no quarto correndo com todos atrás dela.


—Edward? O que aconteceu? Por que gritou?- Ela estava ofegante e ele sorrindo com lagrimas nos olhos.


—Está tudo bem. Mais que bem. Não queria te assustar. Desculpe. Senta aqui. Você não pode ficar nervosa. O bebê..


—Tudo bem. Eu estou bem. Estamos bem. Por que gritou Edward?


—Olhe isso. – Ele disse puxando o lençol de suas pernas.


—Cara se cobre.- Emmett disse sorrindo mais aliviado. O grito de Edward havia preocupado todos.


—Não é nada disse Emm. Olha.- Ele puxou o suficiente para deixar seu pé de fora e começou a tentar repetir o movimento.


Todos estavam olhando e nada acontecia.


—Vamos...


—Edward.


—Espere um pouco Bella eu..- Ele estava quase desistindo quando conseguiu fazer um leve movimento. Tão leve que se todos não estivesse olhando ele poderia dizer que era fruto de sua imaginação.


—Aí meus deus Edward.- Bella gritou.- Você.. você..


—Sim Bella. Eu consigo mexer. – Charlie assistia tudo sorrindo.


—Meu pedido se realizou mamãe.


—Sim Charlie. Se realizou.- Bella disse com lagrimas nos olhos quando sentou na cama beijando Edward.


—Que pedido filho?


—O meu papai. Papai do céu ouviu meu pedido. Eu pedi pra você ficar melhor papai. Assim você não vai ficar mais triste.


—Acho que no ano novo tudo é possível.- Bella disse sorrindo abrindo os braços onde Charlie se enfiou.


—Até os pedidos mais improváveis.- Edward disse beijando Bella.


Ele tinha um filho incrível, uma lindo esposa que amava mais que a própria vida e que o amava com a mesma intensidade, outro filho a caminho e a chance voltar a andar. O que mais ele poderia pedir? O ano estava apenas começando, e ele já se sentia imensamente feliz.