domingo, 5 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 20- Revelações

Bella PDV
Eu já estava pegando meu material agora que o ultimo aluno já havia saído, mas ouvi uma batida em minha porta. O único que eu esperava era Edward, mas ele sabia que essa hora não haveria mais ninguém então não teria batido.
—Entre. Ah oi Riley. Tudo bem?
—Oi Bella. Estou bem sim. Eu queria falar com você. Você está com tempo?
—Claro Riley. Sente aqui. – Disse apontando para a cadeira na minha frente. - Algum problema?
—Não exatamente. É que eu preciso falar com você sobre um assunto delicado. - Riley parecia preocupado.
—Qual o problema?
—Bella. Há quanto tempo nos conhecemos?
—Nossa Riley, nem sei, desde os quinze, dezesseis anos?
—Isso é bastante tempo. E eu não consigo mais esconder o que eu sinto Bella.
—Do que você está falando Riley?-Eu não estava gostando do rumo que a conversa estava tomando.
—Eu estou apaixonado por você Bella. - Riley confessou agarrando minha mão. Eu estava tão chocada que nem consegui puxar minha mão de volta.
—Riley. Eu gosto muito de você, mas não desse jeito. E além do mais, eu estou com o Edward. E eu o amo. Você e eu somos amigos Riley.
—Eu não acredito.
—Não acredita em que? É como eu me sinto.
—Você sente alguma coisa por mim Bella. Só não quer admitir. - Disse puxando meu braço.
—Riley me solta. Eu amo meu marido e meus filhos. Nós somos apenas amigos.
—Não Bella. - Disse apertando ainda mais meu braço. Levantei-me da cadeira e tentei ir embora, mas Riley estava na minha frente.
—Bella... Você precisa saber... - Disse chegando cada vez mais perto. Ele deu mais um passo em minha direção e eu para trás, até que minhas costas encostaram-se à parede e eu não tinha para onde sair. - Eu mereço você. Não aquele cara.
—Riley... Me deixa passar.
—Não Bella. Eu sou o homem que você merece. - Disse chegando mais perto e agarrando meu braço com mais força.
—Riley me solta!
—Eu sei que você me quer Bella. - Tentei empurrá-lo, mas ele segurou meus braços e prensou seu corpo contra o meu.
—Não... Me solta... Socorro- Comecei a gritar e ele tentou me beijar para que eu me calasse.
—Não minta Bella... Eu sei que você também me quer. – Eu tentei me afastar, mas ele pressionou seu corpo ainda mais e eu estava sentindo sua ereção, tentei gritar, mas ninguém me ouvia já que a sala estava fechada.
—Não... Por favor, não. - Ele segurou minhas mãos com uma das suas enquanto a outra foi subindo pela minha blusa. Eu já estava com lagrimas escorrendo por meus olhos pensando no que estava prestes a acontecer.
—Vai ser divertido Bella. - Avançou lambendo meu pescoço- Aposto que você vai implorar por mais quando eu terminar com você.
—Não.- Tentei empurra-lo, mas ele era mais forte.
—Sim. Estou esperando por isso a muito tempo.-Ele estava distraído então pisei em seu pé. Ele se afastou o suficiente para que eu pudesse gritar. Edward viria me buscar e já devia estar perto.
—Edwaaaard... Socorro. - Mas ninguém apareceu. Ele se recuperou da pisada e me prensou na parede de novo apertando meu pescoço-
—Ah!.- Gritei quando senti o aperto e sua mão entrou em minha blusa novamente apertando meu peito e sua boca mordeu meu pescoço. Eu já estava desesperada e não sabia mais o que fazer além de chorar e implorar para que ele não fizesse.
—Acho que seu maridinho não vem querida.
—Por favor... Não... Deixe-me ir Riley.
—Nunca... Você será minha...
—Bella já... Mas que merda...
—Edward socorro... – Disse entre lagrimas. Mal terminei minha frase Edward já estava jogando Riley no chão e estava por cima dele distribuindo socos
—Desgraçado... Nunca... Nunca mais chegue perto da minha mulher entendeu?.- Enquanto Edward batia em Riley eu não consegui mais me manter em pé e escorreguei pela parede até o chão e solucei.
—Se você tocá-la de novo conta a vontade dela... - Meus soluços tiraram Edward do transe que ele estava enquanto batia em Riley, e ele veio em minha direção.
—Bella? Você está bem?- Eu não conseguia falar, então balancei a cabeça em um sinal de positivo e continuei soluçando. - Vem aqui amor. - Me joguei em seus braços e deixei que ele me confortasse.
—Obri..gada amor.- Disse ainda entre soluços.
—Ele te machucou Bella?
—Acho que não. Não sinto nada.
—Venha.
—Aonde vamos?
—Prestar queixa contra esse verme.
—Eu... Só quero ir embora Edward. Ficar o mais longe possível dele. - Eu já estava mais calma quando me lembrei das brigas que tive com Edward por causa desse cretino. - Eu sinto muito. Muito mesmo. Se eu tivesse te dado ouvidos isso não... - Disse voltando a chorar capciosamente.
—Shii... Não é culpa sua amor. Você é uma pessoa muito generosa Bella. Sempre vê bondade nas pessoas. Mesmo que ela não exista. Isso não foi culpa sua, só daquele verme. Vou te levar para casa. Prestaremos queixa amanhã.
—Tudo bem.
—Pegue suas coisas e vamos. Só vou passar um recado.
—Edward... Eu não acho que...
—É bem rápido amor. - Edward se aproximou de Riley que ainda estava caído no chão e o agarrou pela gola da camisa. - Se você se aproximar da Bella novamente. Um metro que seja. Eu juro que você ira se arrepender. Estamos entendidos?- Riley apena assentiu com a cabeça e Edward o jogou no chão novamente.
Edward segurou minha mão e me levou em direção à porta. Eu só queria ir embora e ficar o mais longe possível daquele monstro.
Na manhã seguinte acordei e Edward não estava do meu lado na cama. Me levantei e fui tomar um banho. Depois de me despir, me olho no espelho e me assusto com o que vejo. Meu pescoço está com marcas roxas dos dois lados e também tem um grande hematoma no lado do meu seio direito. Olhando aquilo as lembranças de ontem vieram e comecei a chorar novamente. Edward não devia ter visto as marcas porque meus cabelos estavam cobrindo elas. Tendo aquela visão das marcas que aquele monstro me deixou comecei a chorar novamente. Eu queria um banho longo. Me sentia suja. Quando Edward entrou no banheiro me viu sentada no chão dentro do Box com a cabeça entre as pernas enquanto chorava baixinho.
—Bella?- Levantei minha cabeça lentamente. E ele se aproximou. Quando chegou perto o suficiente para ver as marcar, o olhar de surpresa e raiva estava estampado em sua cara.
—Aquele... – Voltei a baixar a cabeça e chorar. Ouvi a porta do Box abri e senti as mãos de Edward em minhas contas. Quando o olhei, ele estava debaixo da água comigo com roupa e tudo.
—Eu sinto muito amor.
—Não foi você que fez isso comigo.
—É. Mas se eu tivesse chegado antes.
—Eu me sinto tão...
—Tão?
—Tão suja!! Eu vejo essas marcas, e lembro ele me tocando Edward.
—Está doendo muito?
—A dor maior é a emocional. Ainda não acredito que ele quase... Se você não tivesse...- Voltei a chorar. Dessa vez mais alto.
—Não pense mais nisso amor. Ele vai ser afastado do cargo e vai responder processo por tentativa de estupro. Você não terá mais que vê-lo.
—E se ele quiser se vingar?
—Ele não vai. Não seria tão louco.
—Eu tenho medo Edward.
—Eu estou aqui. Não vou deixar que nada de mal aconteça com você ou com as crianças. Tudo bem?- Assenti com a cabeça.
—Você já terminou seu banho?
—Sim.
—Quer ir para a cama comigo?
—Você não tem que ir trabalhar hoje?- Perguntei torcendo para que a resposta fosse não. Eu não queria ficar sozinha.
—Hoje não. Troquei meu plantão com outro médico. Hoje vou passar o dia todo na cama com você. Parece uma boa idéia para você?
—A melhor que eu ouvi a semana toda. - Edward me ajudou a levantar e pegou uma toalha para me secar. Vesti uma camisola de cetim e fui para o quarto junto com Edward.
Quando chego ao quarto vejo uma bandeja cheia de guloseimas. Edward era um cozinheiro fantástico. E na bandeja que ele havia preparado estavam meus pratos favoritos.
Assistimos a um filme enquanto comíamos tudo que Edward havia preparado. Me sentia cansada, não havia dormido muito noite passada, e enquanto Edward desenhava círculos imaginários pelas minhas costas fui vencida pelo meu cansaço.
Senti os beijos de Edward em meu couro cabeludo, depois em minha bochecha e finalmente ele escovou seus lábios nos meus.
Edward tocou delicadamente meu rosto e iniciou o beijo. Um beijo doce e apaixonado ao mesmo tempo. Passando um tempo eu estava impaciente, queria mais. Queria ser estar no controle. Queria esquecer tudo e amar e ser amada pelo meu marido. Montei em seu colo enquanto ele beijava meu pescoço. Ele segurou a barra da minha camisola e a ergueu, tirando-a pela minha cabeça. Depois de alguns beijos eu comecei fazer o mesmo com sua roupa. Tirei sua camisa e a joguei no chão o deixando apenas de cueca.
Edward foi descendo os beijos. Pelo meu pescoço, passando pela minha clavícula e parando em meus seios. Depois de distribuir vários beijos desceu mais pelo meu abdômen até chegar a seu destino. Minha cintura estava coberta com um lençol. Eu não estava com calcinha ou shorts, estava completamente nua e pronta para meu marido.
Edward enterrou sua cabeça entre as minhas pernas, e sua cabeça estava coberta pelo lençol. Eu gemia e suspirava seu nome.
—Ohh Edward... - Assim que gemi seu nome ele parou e foi subindo sua cabeça para fora do lençol. Mas no lugar daquele emaranhado de fios cor de cobre, estavam cabelos loiros.
—Acho que seu maridinho não vem querida.- Não era o Edward, era o Riley. Com a surpresa dei um grito e acordei ofegante e assustada. Muito assustada. Aquele monstro conseguia me alcançar até em meus sonhos.
—Bella! Acorda. Você estava tendo um pesadelo amor. – Edward me olhava com um olhar preocupado. Mas antes que conseguisse explicar comecei a chorar e soluçar.