domingo, 5 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 16- Nossa princesa





Edward PDV
Ainda não acredito que serei pai. Bella grávida é uma das coisas mais bonitas que já vi em minha vida.
Ela acabou de completar 24 semanas, e nós já marcamos uma consulta com Stefan. No final da semana vamos descobrir o que estamos esperando. Isso se nossa garotinha colaborar.
Bella continua firme com a idéia de que é um menino. Enquanto eu tenho certeza de que as previsões de Alice estão corretas. Se ela fosse tão teimosa quanto à mãe, então eu tinha minhas duvidas de que ela colaboraria. Coitado do Emmett, uma semana depois de que confirmamos o tempo de gravidez de Bella, a pequena Caroline veio ao mundo. Ele ficou apavorado quando a bolsa de Rosálie rompeu.
FlashBack On
Edward... O telefone. - Bella murmurou ainda sonolenta. Olhei no relógio, duas da manhã. Quem poderia ser essa hora? Quando pego o celular, vejo o numero de Emmett.
—Alô.
—Edward, está na hora!! Pega a Bella e vai pro hospital. Rosie!! Eu já peguei as bolsas... O que mais eu preciso... Acho que é isso...Ja peguei tudo. Eu já estou no carro. Acho que peguei tudo.
—Emmett? Coloque-a no viva voz. Quero falar com Rosie.
—Mas que... Rosie!!!- O ouvi gritar e bater a porta do carro. Ele realmente estava tão preocupado em pegar as bolsas que havia a esquecido dentro da casa?-Apenas pegue a Bella e vá para o hospital esta bem?
—Estamos indo. - Desliguei o telefone e me levantei.
—O que aconteceu?
—Parece que a bolsa de Rosálie estourou. Eles estão indo para o hospital.
—Nossa sobrinha vai nascer.
—Parece que sim.- Bella pulou da cama e correu até o armário se vestindo. Eu também me vesti, e no caminho para o hospital fiquei imaginando se ficaria tão perdido quando nossa garotinha estivesse nascendo.
Flashback Off
—Nem acredito que vamos finalmente saber.
—Isso se ela colaborar. Se for tão teimosa quanto à mãe, então eu duvido que ela se mostre tão cedo.
—Engraçadinho. Eu ainda acho que é um rapazinho. Vamos ver.
—Alice nuca erra.
—Tão convencido. Vamos tornar isso mais interessante então.
—O que tem em mente?
—Uma aposta.
—Uma aposta? E quais são os prêmios.
—Se for um menino, e será então você não pode me proibir de trabalhar durante a gravidez.
—Bella... Já conversamos sobre isso. Sua família tem históricos nada bons em relação à gravidez. Eu ficaria mais tranqüilo sabendo que você está descansando em casa.
—Não tem tanta certeza sobre seu palpite Sr. Culle?- Ela perguntou com um sorriso travesso.
—Estou muito certo do meu palpite Sra. Cullen. – Suspirei sabendo que cederia. - Tão certo, que aceito sua aposta. E o que eu ganho se for uma menina?
—O que você quer?
—Que você se livre daquela picape velha. Eu sei o quanto você a adora, mas aquilo é perigo sobre rodas.
—Isso não!!
—Ei... Você disse o que eu quisesse.
—Menos isso. Meu pai me deu a picape quando eu fiz 16 anos. Escolha outra coisa. - A olhei, e seus olhos suplicavam para que eu não pedisse isso. Eu sabia o quanto aquele carro significava para Bella, mas ainda sim era muito perigoso. –Por favor, Edward. Outra coisa.
—Muito bem. Então... Já sei. Se for uma menina, e será. Você vai ficar em casa descansando durante a gravidez.
—Ei... Você não está sendo justo.
—Eu não disse que seria. É uma coisa ou outra Bella. Você pode escolher.
—Está bem!! Se realmente for uma menina, então eu ficarei em casa.
Eu sabia que Bella amava aquela picape, mas só tive certeza disso quando ela abriu mão do seu trabalho que ela adorava, para não perder sua picape.
—Sr. e Sra. Cullen? O Dr. Salvatore vai vê-los agora. - Nos levantamos e fomos em direção a sala, onde Stefan nos esperava.
—Bella, Edward. Que bom vê-los. Então Bela, como estamos?
—Estamos bem curiosos na verdade. - Bella disse fazendo Stefan rir.
—Se tiverem sorte, poderão saber hoje. Vá para a salinha se trocar por favor, Bella.- Ela foi até a sala vestir o avental enquanto ficamos esperando.
—Então Edward. Ansioso?
—Muito. Mais do que pensei que ficaria.
—E a faculdade de medicina, como anda?
—Eu tenho feito o melhor que posso, mas desde que descobrimos sobre a gravidez, não tenho me concentrado muito.
—Por que não?
—Digamos que Bella é um pouco... Desastrada e muito teimosa. E sempre que estou longe, fico imaginando se ela e o bebê estão bem. Ainda mais conhecendo o histórico de saúde da família dela durante a gravidez.
—Eu o conheço muito bem Edward, Bella eu conheço um pouco menos, mas sei o suficiente para saber que ela não irá gostar nada de saber que você não está focado na faculdade por esses motivos. O histórico familiar dela é realmente ruim, mas não significa que vá acontecer algo ruim com ela. Com tanto que ela siga minhas orientações e se cuide, ela e o bebê ficarão bem. Ou você acha que ela colocaria em risco sua própria vida e da do filho de vocês por teimosia?
—Claro que não.
—Então você não tem com o que se preocupar.
—Quem não tem com o que se preocupar?- Perguntou Bella aparecendo no consultório.
—Eu. Já que será uma garotinha. Tão linda quanto à mãe. - Eu disse isso e ela revirou os olhos.
—Você não está tentando convencer Stefan a dizer que é uma menina só para você ganhar a aposta não é?
—Não seja absurda Bella. E alem disso, não preciso que Stefan minta. Alice nunca erra.
—Vocês apostaram sobre o sexo do bebê? – Stefan perguntou aparentemente se divertindo com a situação.
—Sim. Eu ainda acho que será um menino, mas Edward pensa ser uma menina, ainda mais com a previsão de Alice.
—Então vamos descobrir quem tem razão. – Stefan pesou Bella, e também tirou sua pressão sanguínea. Eu não vi o resultado, mas ele parecia um pouco preocupado.
—Tudo bem Stefan?
—Claro. Você está com um bom peso pelo tempo de gravidez, mas sua pressão está um pouco elevada. Vamos cortar o sal, tudo bem Bella? Pelo menos até a próxima consulta.
—Claro. Mais alguma coisa que eu possa fazer?
—Por enquanto vamos tirar só o sal, mais como uma... Uma precaução. Se o resultado não for o esperado, então cortamos mais coisas.
—Tudo bem.
—Vamos ver como está o bebê?
—Sim.- Bella disse entusiasmada, mas eu só conseguia pensar em sua saúde e na saúde do nosso bebê.
—Pode deitar aí Bella.- Ela se ajeitou na cama, enquanto Stefan levantou a camisola na parte da barriga. Sua barriga já estava bem à mostra. Quando Stefan colocou gel em sua barriga, ela respirou fundo olhando para o monitor esperando a imagem aparecer.
—É quente. - Ela olhou pra mim sorrindo, e voltou a olhar para o monitor. Eu olhava para ela e não conseguia desviar o olhar, isso até um som encher a sala. O coração da nossa garotinha. Eu pensei que o som do coração da Bella fosse o mais bonito que eu havia escutado, mas isso mudou ao ouvir o pequeno coraçãozinho do nosso bebê.
—Isso...- Olhei para o monitor e uma imagem apareceu.
—Olhem só o que temos aqui. Duas perninhas, dois bracinhos. Cinco dedinhos em cada mão, e cinco em cada pé. - Stefan continuou mostrando, até que...
—Olhem só... Parece que o papai acertou o palpite. É uma linda garotinha.
—É?- Perguntei ainda não acreditando que isso era real. Eu parecia estar em um tipo de transe. Só percebi que meus olhos estavam úmidos quando senti a mão de Bella em meu rosto.
—Parece que Alice nunca erra mesmo. - Ela disse sorrindo, sem parecer chateada por ter perdido a aposta.
—Eu amo você.
—E eu a você. - Beijei seus lábios tentando mostrar todo o amor e gratidão que eu sentia por ela.
Depois de ver que Bella e o bebê estavam bem, Stefan pediu para que Bella fosse se trocar.
—Então Edward. Uma garotinha a caminho. Como se sente?
—Muito feliz. Só um pouco preocupado, sobre a pressão de Bella.
—Algumas mulheres tem problemas com a pressão no começo da gravidez Edward, por isso pedi para ela cortar o sal. Não acho que seja nada preocupante.
—Mesmo assim Stefan. Com o histórico dela...
—Não pense nisso Edward. Pelo menos por enquanto. Vamos esperar para ver como estará na próxima consulta. Tudo bem?
—Se você não acha que seja nada preocupante.
—Edward. Ela está bem. As duas estão. - Bella voltou sorrindo e acariciando sua barriga.
—Tudo bem?-Perguntei a Bella.
—Claro. Eu a senti se mexendo. - Disse sorrindo. - Mais alguma coisa que devemos saber Stefan?
—Por enquanto é só isso mesmo Bella. Eu vejo vocês no próximo mês.
Chegando no estacionamento, abri a porta do carro para que Bella entrasse, depois fui para o lado do motorista.
Quando entrei no carro Bella sorria acariciando sua barriga, mas parecia pensativa.
—Algum problema?
—Agora que sabemos que é uma menina, não tem mais como segurar a Alice.
—Ela vai querer comprar tudo. - Ela arregalou os olhos como se não fosse isso que estava pensando.
—Eu nem pensei nisso. Eu pensei no chá de bebê, mas você tem razão sobre as compras.
Chegamos em casa e Bella ia direto para nosso quarto. Ela devia estar cansada, ela tem passado muito tempo dormindo, mas antes ela me chamou.
—Amor...
—Sim
—Você estará ocupado agora?
—Pra você nunca. - Eu disse sorrindo.
Cinco meses depois
—Por que Alice parece tão irritada?
—Porque eu disse a ela que se ela não parasse de dar ordens, talvez fosse ao chá de bebê da Elena descalça.
—Você não faria isso. Faria?
—Não. Mas Alice não sabe disso
—Você é uma mulher má Isabella.
—E você não sabe o que faz comigo quando me chama de Isabella. Obviamente.
—É. E o que eu faço com você... Isabella- Sussurei em seu ouvido. Sentindo os pelos de sua nuca se arrepiarem .
—Você quer mesmo jogar esse jogo?
—Eu não estou fazendo nada.- Levantei minhas mãos em sinal de rendição.
—Você não vai achar divertido quando eu o atacar aqui na sala, no meio de todo mundo.
—Você não faria.
—Não. A Bella tímida não faria. Essa que está em sua frente é a Bella grávida com os hormônios a flor da pele. Tente-me e verá.
—Proposta tentadora essa. - Estávamos na sala dos meus pais, quando Bella olhou para os lados com um sorriso travesso. Pegou em minhas mãos e me puxou em direção ao meu antigo quarto.
Nos últimos meses Bella tem estado insaciável. Sempre que eu chegava em casa, ficávamos no quarto, parávamos apenas quando estávamos esgotados. Depois de fazer amor, a aninhei em meu peito e nos cobri com o lençol.
Bella!!!— Alice gritou lá de baixo.
—Ahn. Eu amo sua irmã, mas se ela me mostrar mais uma amostra de tecido para toalhas, eu vou surtar.
—Ela está exagerando não é?
—Era para ser divertido, mas ela é tão...
—Mandona?
—É.
—Ela está animada. Você é mais... Desapegada. Ela não tem filhos ainda, e Rosie quis cuidar de todos os detalhes com o da Caroline. Alice gosta de planejar as coisas, e você gosta de agradá-la, então eu acho que o poder sobe a sua cabeça.
—Eu sei que ela não faz por mal, mas ainda sim estou exausta.
—Que tal isso. Você fica aqui bem quietinha, e eu desço e digo para Alice que você precisa descansar.
—Mas eu quero ficar um pouco com você.
—Eu só vou dizer a ela que você precisa descansar um pouco e já volto.- Beijei o topo de sua cabeça e me levantei me vestindo.
Tentei ficar o mais apresentável possível e fui para a sala atrás da Alice.
—Edward, você viu a Bella?
—Vi. - E não disse mais nada. Resolvi esperar ela perguntar antes de entregar a localização da Bella.
—E? Cadê ela? Eu preciso da opinião dela para as amostras das toalhas e...
—Alice... Eu sei que você gosta de planejar essas coisas, mas a Bella está grávida de quase 9 meses. Ela precisa descansar. Mesmo que ela queira, ela não consegue acompanhar o seu ritmo.
—Ah. Eu pensei... Ela não disse nada.
—Você sabe como ela é. Ela nunca diz.
—Ela está no seu antigo quarto?
—Está. Dormindo um pouco. Eu vou ficar um pouco com ela, e mais tarde vocês terminam os preparativos.
—Tudo bem.
Subi de volta para o quarto, e ao entrar vi Bella adormecida. Ela tinha vestido uma camisa minha que estava no armário. Era a coisa mais linda que eu já havia visto. Ela com seu barrigão enrolada no lençol com seus cabelos espalhados pelo travesseiro.
Tirei minha camisa e fui em direção a cama. Quando me deitei ela foi abrindo seus lindos olhos castanhos e se aconchegou em mim.
—Você voltou. - Ela disse sorrindo manhosa.
—Claro que voltei. Eu só fui falar com a Alice.
—Ela ficou muito zangada?
—Ela entende que você precisa descansar.
—Eu não percebi o quão cansada estava até me deitar aqui. - Ela disse bocejando e se aconchegado mais em meus braços.
—Dorme um pouco. Vocês precisam descansar.
—Essa me parece uma boa ideia.
—Durmam minhas meninas. - sussurrei em seu ouvido e em alguns minutos ela já havia adormecido.
Algumas semanas depois
—Bom dia.
—Argh. Já amanheceu?
—Já. - sussurrei sorrindo contra seus cabelos. - Dormiu bem?
—Não. Sua filha se mexeu a noite inteira.
—Agora ela é só minha filha?
—Quando se comporta assim é. - Ela disse sorrindo.
—Pronta pra levantar?
—Eu preciso?
—Precisa. Temos uma consulta com Stefan.
—Tudo bem, mas preciso de um banho primeiro. - Me levantei e a ajudei a levantar. Com a barriga, ela não conseguia mais se levantar sozinha.
—Vou preparar seu café.
—Tudo bem. - Ela disse sorrindo
—Desci para preparar nosso café, e enquanto eu preparava seu suco ouvi seu grito.
—Edward!!- Ao ouvi- lá gritando soltei o copo da minha mão e corri em sua direção.
—Bella?- Cheguei correndo ao quarto.
—Não entre em pânico está bem?
—O que aconteceu? Por que gritou?
—Eu não tenho certeza, mas ou Elena passou dos limites brincando com a minha bexiga, ou está na hora de conhecer nossa pequena. - Havia uma grande quantidade de água no chão e Bella estava com as mãos sobre a barriga, quando deve ter sentido uma contração e gemeu com a dor. - É definitivamente está na hora de conhecer nossa pequena.
—Fique sentada aqui por um minuto. Vou pegar as bolsas. - Ela se sentou em nossa cama e eu fui em direção ao quarto que preparamos para Elena e peguei as bolsas. Quando voltei ao quarto Bella espalmava sua barriga e estava chorando. - Bella?
—E se tiver alguma coisa errada?
—Por que acha isso?
—Stefan disse que seria para o dia 25. Ainda é dia 18
—Amor, a data que Stefan deu foi aproximada. Alguns bebês não esperam o dia certo. Está tudo bem com nossa filha. Está bem?- Ela assentiu e tentou se levantar, mas suas pernas falharam. Então eu a peguei no colo a carregando até o carro. Estávamos a caminho do hospital quando liguei para Stefan.
—Edward?
—Stefan a bolsa de Bella estourou.
—Vocês já estão a caminho do hospital?
—Sim.
—Vou preparar a sala para o parto. Como estão as contratações? Ele perguntou e ouvi Bella gemer novamente de dor. - Eu diria sete minutos.
—Ótimo. Quando vocês chegarem à sala estará pronta.
—Depois de falar com Stefan, ligue para meu pai e pedi para que ele avisasse a todos.
—Chegamos no hospital, Stefan nos esperava com uma cadeira de rodas para Bella.
Ela foi levada até uma sala para a preparação para o parto, e Stefan pediu para que eu fosse para outra, para trocar minhas roupas, mas quando Bella viu que eu estava indo para longe dela ficou nervosa.
—Edward?
—Ele vai colocar as roupas certas para poder ver sua menininha nascer Bella.- Stefan disse tentando acalmá-la.
—Stefan... Ainda não está na hora... - Ela disse entre sua respiração que estava pesada. Stefan estava explicando que a data que os médicos programam é sempre uma semana acima da data correta. Assim os pais não se preocupam se o bebê passar da data. Ela parecia mais calma, então fui me vestir
Fui levado a uma sala para colocar as roupas certas, e logo depois fui para a sala de parto. Bella já estava deitada e olhava para tudo em sua volta.
—Edward...
—Eu estou aqui amor.
—Eu estou com medo
—Não tem porquê ficar. Vai dar tudo certo, e logo vamos conhecer nossa pequena. - Ela gemeu novamente e vi Stefan entrando na sala.
—Stefan? Não aplicaram a anestesia?
—Ela recusou.
—Bella?
—Eu não quero Edward.
—Assim será muito mais doloroso Bella.
—Eu ...- Respirou fundo. - Eu não me importo. Não quero anestesia. - Já havíamos conversado sobre isso e ela não queria anestesia, disse que queria sentir cada sensação. Não se importava com o quão doloroso poderia ser. - Só fique ao meu lado... Por favor.
—É claro que eu ficarei amor. - Segurei sua mão e beijei sua testa.
—Muito bem Bella. Está na hora. A enfermeira que está ao seu lado vai contar até 10 e quero que você conte com ela. Quando terminar quero que você empurre. Entendeu?
—Sim...
—Então conte.
—Um, dois... Três, quatro, cinco, seis... Sete, oito, nove...dez...
—Empurre.
—Ahh!!
—Conte de novo. - Ela contou e fez força.
—Eu não... Não consigo Edward. - Ela disse olhando para mim. Sua testa estava suada, e alguns fios estavam grudados em sua testa.
—Consegue sim amor. Estamos quase lá. Só mais um pouco.
—Eu consigo ver a cabeça Bella. Eu quero que você use toda sua força.
—Ah!... Não consigo... Me desculpe.- Ela disse chorando.
—Bella olhe para mim. Você consegue. Estamos quase lá amor. Logo vamos conhecer nossa filha. Nossa Elena. Você é a mulher mais forte e mais corajosa que eu conheço. Eu amo você, e você pode fazer isso.
—Agora quero que empurre com toda sua força Bella.
—Pronta para conhecer nossa filha?- Perguntei e ela assentiu empurrando com toda sua força.
—Ah!!! E um choro ecoou pela sala.
—Que linda menininha.-Ao ouvir o choro Bella relaxou um pouco.-Quer cortar o cordão Edward?
—Sim. - Eu fui em direção a minha filha. Ela era tão pequena, e tão delicada. Ela tinha os cabelos castanhos de Bella. Cortei o cordão e a enfermeira a enrolou na manta. Levando em direção a Bella.
—Ela é tão pequena. - Bella disse sorrindo e chorando ao mesmo tempo.
—Ela se parece com você.
—Você acha?
—Claro. Desde o cabelo até o narizinho arrebitado. Aposto que tem seus olhos também.
—Eu amo você.
—E eu amo você. - Disse dando um beijo em seus lábios e um na testa da Elena.
—Eu sei que os papais de primeira viagem querem ficar com essa linda princesinha, mas eu preciso leva- lá - a enfermeira disse. De início não a reconheci, mas olhando bem, vi que era Ângela. A mesma enfermeira que cuidou de Bella no tempo que ela ficou no hospital depois do acidente. - E agora você vai para o quarto Bella. Você precisa descansar, e mais tarde a pequenina vai voltar para o quarto com você. - Bella olhou mais uma vez para Elena, e então Ângela a pegou no colo a levando.
Quando fui até a recepção, todos estavam esperando por notícias.
—E minha irmã e minha sobrinha Edward?
—Elas estão bem Emm. Bella foi levada para o quarto, para descansar. A enfermeira está cuidando da Elena. Logo as duas estarão no quarto e vocês poderão visitá-las.
—Edward?
—Stefan. Está tudo bem?
—Agora está tudo bem. Bella já está no quarto, e Elena logo irá para lá também.
—Por que agora está tudo bem?
—No meio do parto houve uma... Complicação.
—Que tipo de complicação?
—O cordão estava enroscado no pescoço da bebê. Ela estava em uma posição ruim. Por isso Bella precisou fazer muito mais força do que o normal.
—Mas está tudo bem agora? Com as duas?
—Sim. Elas estão bem. Eu só estou dizendo isso, porque se no futuro, vocês decidirem ter outros filhos, vocês têm que ter em mente que seria uma gravidez de risco. Com os problemas de pressão que ela teve nesses últimos dois meses.
—Nós não conversamos sobre mais filhos. Mas eu acredito que isso seja uma possibilidade. Quando você diz, que seria uma gravidez de risco. O que quer dizer exatamente?
—Quero dizer que Bella tem que ficar em repouso absoluto. Pela saúde dela e do bebê. Eu sei que vocês não planejam isso para agora, mas é sempre bom saber dos riscos. Cuidado nunca é demais.
—Eu entendo e agradeço Stefan. Eu estava tão concentrado em Bella, que não percebi nenhuma complicação durante o parto.
—Foi uma pequena complicação Edward. Nada excessivamente preocupante. Mas como eu disse cuidado nunca é demais. Bella já está no quarto, e pode receber visitas.
Entrei no quarto e Bella estava com Elena nos braços, enquanto Ângela mostrava a ela como amamentar.
—Olá papai. - Bella disse sorrindo.
—Oi amor. - disse me aproximando das minhas meninas. - Amores na verdade. Como se sente?
—Um pouco cansada. Ângela falou que é normal. Elena é tão gulosa. Ângela estava mostrando como amamentá-la.
—Todos querem ver vocês.
—Todos estão aí?
—Claro. Emm veio com Rosie, Alice está com Jasper, meus pais estão aqui e sua avó está com o Sr. Jenks, mas a enfermeira disse que você pode receber duas pessoas de cada vez, além do seu acompanhante. Que sou eu é claro. Quem você quer ver primeiro?
—Pode chamar minha avó e o Emm?
—Claro. Eu já volto.
Voltei para a recepção e todos estavam ansiosos.
—Já podemos ver a Bella e a Elena, Edward? - Alice perguntou, mal se agüentando de animação.
—Elas já podem receber visita, mas a enfermeira disse que só podem entrar dois de cada vez. Dona Marie e Emm, querem ser os primeiros?- Quando disse isso olhei para meus pais, mas eles não disseram nada. Eles sabiam que mesmo Bella fazendo parte da nossa família, a família dela era muito importante para ela. Depois que Charlie faleceu há alguns anos, ela se tornou ainda mais apegada a eles. Ainda mais a sua avó
—Nem acredito que vou conhecer minha bisnetinha.
—E eu minha sobrinha. - Emmett disse tido orgulhoso.
—Vocês poderão ir ve-las assim que eles saírem. - Disse para os outros. E levei Emmett e Marie para o quarto onde Bella e Elena estavam.
Bella já havia dado de mama, e agora só embalava Elena em seus braços enquanto acariciava seu rostinho.
—Baixinha.
—Oi Emm. Oi vovó. - Marie não disse nada, apenas olhava para as duas e sorria.
Os dois se aproximaram da cama, e Marie ainda sorria olhando para as duas.
—Ela tem seu narizinho arrebitado Bella. Aposto que vai ser tão teimosa quando você baixinha.
—Emmett, não diga uma coisa dessas da minha bisnetinha. Ela é tão linda Bella. Igualzinha a você quando nasceu.
—Você acha vovó?
—Claro que sim querida.
—Meu Charlie ficaria tão orgulhoso. - E ao dizer isso Bella começou a chorar. Eu sabia que seus hormônios ainda estavam um pouco instáveis ainda, e ouvir o nome de seu pai, não facilitava as coisas para ela. - Ah não querida. Não chore. Hoje é um dia muito especial.
—Eu sei vovó. Eu só... Só sinto muito a falta dele nessas horas. Não que eu não sinta sempre, mas se intensifica nesses momentos.
—Eu entendo querida.
—Não está chateado não é Emm?- Bella perguntou preocupada.
—Chateado? Por que estaria?
—Por termos escolhidos Alice e Jasper para padrinhos.
—Baixinha, você dá aula de literatura inglesa em uma universidade, mas com um pensamento desses.... Eu espero que minha sobrinha tenha puxado o bom senso do Eddie aqui. É claro que não estou chateado. Nem Rosie está. Além disso, vocês disseram que no próximo filho de vocês, Rosie e eu seriamos os padrinhos. E foi só ver a cara do Eddie pra ver que isso não vai demorar.- Ao ouvir isso ela sorriu.
—Tudo bem por aqui mamãe?
—Sim. Ela dormiu.
—Eles geralmente dormem. Eu só vim dizer que vocês terão alta amanhã de manhã.
—Mal posso esperar para levá-la para casa.- Bella disse. Ângela então colocou Elena em um bercinho ao lado da cama, e quando me aproximei de Bella ela me puxou pela camiseta me beijando.
—Tem criança na sala baixinha.
—Ora Emmett, deixe de ser chato. Até parece que você e Rosie não fazem coisa pior.
—Claro que não vovó.
—Então como explica você ter ficado trancado para o lado de fora como veio ao mundo mocinho.- Marie disse isso e Bella e eu começamos a rir.
—Você contou a ela?
—Claro que contei. Eu não escondo nada da vovó.
—Agora já vamos indo querida.
—Já?
—A recepção está cheia de pessoas que querem ver como você está e conhecer a pequena Elena. Amanhã você terá alta e eu ficarei muito mais tempo querida.
—Esta bem vovó. Mande um beijo para o Jackson.
—Mando sim querida.
—Mas eu quero ficar mais tempo vovó.
—Não seja egoísta Emmett. Os outros também querem visitar.
—Está bem.- Ele disse bufando.
—Não faça esse som para mim rapazinho. - Ela disse pegando em sua orelha.
—Ai vovó. Estou saindo, estou saindo. Tchau baixinha.- E Bella e eu ficamos rindo baixinho para não acordar nossa pequena.
Dois anos depois.
—Mamãe
—Oi princesa. Sentiu falta da mamãe? - Elena se mexeu em seu colo e quando Bella beijou seu pescoço ela deu gritinhos de alegria. - Eu acho que sentiu.
—Eu também. Só para constar. - Disse dando meu sorriso torto que ela tanto amava.
—Bobo. - Disse vindo ao meu encontro me beijando. Quando eu aprofundei o beijo, Elena deu um gritinho e colocou suas mãozinhas nos olhos de Bella.
—Parece que alguém está com ciúmes do papai. - Bella disse sorrindo.
—Parece que sim. Vem aqui pequena. -Eestendi meus braços e Elena esticou os seus bracinhos se jogando em meu colo. - E então?O que o médico disse?
—Que ele vai precisar fazer um reajuste na dosagem do meu anticoncepcional.
Ele acha que alguns números estão muito altos.
—Ele disse mais alguma coisa?
—Não que eu me lembre.- Elena bocejou e se aninhou em meu pescoço.
—Parece que alguém esta com sono.
—Acho que sim. Vou leva-la para a cama.- Bella disse tentando pegar Elena de mim, mas assim que ela a pegou, Elena começou a chorar. Ela era muito apegada a mim.
—Tudo bem querida... Shiu...
—Você pode fazer isso então. Eu vou tomar um banho.
—Tudo bem. – Falei normalmente, mas hoje era um dia muito especial. Hoje fazia 13 anos que Bella e eu nos conhecemos, e eu preparei uma surpresa.
Subi levando Elena para seu quarto, a coloquei em seu berço e cantarolei sua canção de ninar, e em alguns minutos ela dormia profundamente. Corri para o nosso quarto querendo ver a reação de Bella, mas quando chego ao quarto, ela não está mais lá e a porta do banheiro está fechada. Será que ela não viu as velas e as flores? Impossível. Bella era exepcionalmente atenta. Não tinha como ela não ter visto.
Eu já havia tomado meu banho, então tirei minhas roupas ficando apenas com a boxer, e me deitei esperando por Bella. A luz do quarto estava acesa, mas no banheiro havia um interruptor que controlava a luminosidade do quarto. E de repente o quarto foi ficando mais escuro, e então a porta do banheiro se abriu. E para minha surpresa, Bella saiu de lá, vestida com uma fantasia de treinadora de baseball sexy.
Quando a vi, perdi o ar por alguns segundos. Eu teria rido da referencia, mas estava completamente apaixonado e excitado pela visão que eu estava tendo. Ela estava linda, confiante e muito, muito sexy.
—Olá Sr. Cullen.
—Olá Sra.Cullen.
—Não, não, não, é treinadora Cullen para você. - Ela disse caminhando lentamente até a cama.
—Eu pensei que você não tivesse se lembrado.
—Como se eu pudesse esquecer o dia em que conheci o amor da minha vida. - Ela disse sorrindo e subiu na cama. Eu a puxei contra mim para um beijo. Minhas mãos passeavam por todo seu corpo, nunca ficando satisfeitas. Então a girei a deitando na cama, e ficando sobre ela. Fui descendo meus beijos por seu pescoço, e clavícula, até chegar ao sutiã azul que ela usava. Em segundos me livrei dele e continuei descendo meus beijos pelo vale entre seus seios e seu abdômen que havia voltado a ficar reto. A maternidade fez muito bem a Bella. Não que ela não fosse perfeita antes, mas agora? Seus seios eram um pouco maiores, sua barriga voltou a ficar plana, e seu quadril estava um pouco mais largo. Ela nunca esteve tão tentadora. Fui descendo e arranquei sua calcinha com meus dentes enquanto ela gemia.
—Edward... Por favor...
—Diga o que você quer amor.
—Você... Eu quero você.
—Paciência Bella. - Ela ainda estava com a cinta liga, e o boné da liga de baseball. Eu não pretendia tira-lo dela até que fosse necessário.