sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 15- Acidentes acontecem




Bella PDV
Minha cabeça doía e meu estomago estava embrulhado. Quando abri meus olhos, minha visão estava embaçada, e eu estava torcendo para não estar em um hospital. Me sentia mal só de imaginar essa possibilidade. Mas quando minha visão foi melhorando, reconheci nosso quarto e Edward parado perto da porta.
—Edward?- Quando ele percebeu que eu havia acordado veio em minha direção, mas havia um outro homem sentado do lado na nossa cama.
—Como se sente Isabella?
—Bem... Ahn... E o senhor é?
—Ah claro. Eu sou o Dr. Salvatore. Carlisle me chamou. Pode me chamar de Stefan.
—Então Stefan? Sabe o que ela tem.
—Pelo que você falou Edward, eu tenho minhas suspeitas, mas quero fazer algumas perguntas antes para Isabella. Então Isabella.
—Bella.
—Certo Bella. Você tem tido enjôos?
—Sim. Principalmente quando acordo.
—E quanto ao seu apetite? Como ele está?
—Uma bagunça para falar a verdade. Em alguns dias não sinto vontade de comer, mas em outros como tudo que vejo pela frente.
—Já havia desmaiado alguma outra vez?
—Não. Essa foi a primeira vez.
—E quanto a sua menstruação?
—Bem, está atrasada, mas eu nunca fui muito regular. Por isso tomo anticoncepcional desde muito nova.
—Entendo. Eu vou pedir alguns exames, mas acredito que sei porque Carlisle me chamou.
—Sabe o que eu tenho Doutor?
—Minha especialidade é obstetria Bella. E você? Sabe por que Carlisle me chamou?- Quando eu ouvi a palavra obstetria tudo fez sentido para mim. Os enjôos, as mudanças loucas de apetite.
—Quer dizer que eu estou grávida?
—Isso eu só posso afirmar depois de avaliar seus exames.
—Mas existe essa possibilidade?
—Eu acredito que sim Bella.
—Mas e quanto ao anticoncepcional que eu tomo?
—No tempo em que esperávamos você acordar, eu fiz algumas perguntas para seu marido. Edward disse que Carlisle lhe receitou alguns medicamentos por causa de um princípio de pneumonia que você teve. Pedi a ele que me mostrasse à receita.
—E?
—Um desses medicamentos era um antibiótico muito forte. Em alguns casos ele pode cortar temporariamente o efeito do anticoncepcional. E se você teve relações sem outros tipos de proteção, então existe uma grande possibilidade de gravidez.
Eu? Grávida? E agora? Edward não disse nada ainda. Será que ele ficou bravo com a notícia?
—Edward?- O chamei mas ele parecia em choque, então o chamei novamente, mas mais alto dessa vez.- Edward!
—Sim? Eu... Desculpe... Eu só...
—Vou deixa-los sozinhos por um momento. Pelas caras certamente não é uma gravidez planejada. Com licença.- Disse saindo do quarto, enquanto Edward ainda estava parado sem dizer nada.
—Pode dizer alguma coisa? Por favor?
—Depois de todos esses anos, eu já deveria ter me acostumado, mas ainda não fiz.
—Do que está falando?
—De você. Depois de todos esses anos juntos, já devia ter me acostumado com você sempre conseguir me surpreender das maneiras mais incríveis que existem, mas ainda não me acostumei.
—Quer dizer que está feliz com a noticia?
—Você não está?- Perguntou surpreso.
—É claro que eu estou. É que você não disse nada, pensei que não tivesse gostado da noticia.- Ele caminhou em minha direção, e sentando na cama pegou minha mão.
—Bella. Sempre que eu penso que sou completamente feliz, e que não pode ficar melhor que isso, você me mostra que eu estou errado.- Ele segurou meu rosto e beijou meus lábios.- Só poderemos ter certeza depois dos exames, mas obrigado.
—Pelo que?
—Por tudo. Por me amar, por ter aceitado se casar comigo e agora, por me dar um filho.
—Um pedacinho de nós dois juntos.- Coloquei minhas mãos em minha barriga ainda plana, e Edward colocou as suas sobre as minhas.- Eu não sei se estou realmente grávida, mas confesso que adoro a idéia de ter um filho seu.
—Eu acho que está sim. Os exames serão apenas para termos certeza. Eu tambem adoro a idéia de ter um filho nosso.- Edward sorriu e deu um beijo em meus lábios e depois um em minha barriga.
No dia seguinte eu já me sentia melhor, então Edward e eu fomos até o hospital, mas Carlisle não parecia surpreso em nos ver lá.
—Bella. O Dr. Stefan está lhe esperando.
—Ele lhe disse alguma coisa pai?
—Nem precisou Edward. Eu imaginei quando você me ligou descrevendo os sintomas de Bella.
—Então o senhor sabe?
—Que eu tenho possivelmente um netinho a caminho? - Assenti com a cabeça.- Bella, eu sou médico. Eu tenho lhe acompanhado desde que você ficou doente. E eu convivo aqui no hospital com muitas mulheres grávidas. É claro que eu notei algumas semelhanças. E quando Edward me ligou contando dos enjoos e do desmaio, eu perguntei sobre seu apetite. E depois do que ele falou, eu não tenho duvidas de que Esme e eu seremos avós dentro de alguns meses.
—Oh... Eu pensei que o Dr. Salvatore havia dito...
—Não. De maneira alguma. Conheço Stefan há muitos anos. Ele é muito profissional. Nunca quebraria o código médico paciente. Eu confio completamente nele. Inclusive foi ele que trouxe tanto Edward quanto Alice ao mundo. Por isso o indiquei. Se você estiver realmente grávida, acredito que ele é o melhor para acompanhar sua gestação. Mas se quiser um médico de sua escolha eu compreendo.
—Não. Se você confia nele, então eu também. Agora vamos Edward. Quero saber se estou mesmo grávida.- Edward entrelaçou nossos dedos e fomos em direção a sala que Carlisle havia indicado.
Depois de algumas horas eu já havia colhido o sangue e o envelope com o resultado estava nas mãos do Dr. Stefan.
—Perfeitamente saudável Bella. E como eu já imaginava, você está mesmo grávida. Parabéns papais.- Eu teria um filho. Com o amor da minha vida. Olhei para Edward, e ele sorria tanto quanto eu. Ele pegou minha mão e sussurrou em meu ouvido.
—Eu amo você. Obrigado por esse presente.- Disse me beijando.
Saindo da sala encontramos Carlisle que esperava ansioso.
—Então?- Edward olhou para mim e eu assenti. Eu achei que ele devia contar.
—Parabéns vovô.- Edward disse e Carlisle sorriu e veio nos abraçar e nos parabenizar.
—Mas pode não dizer nada aos outros ainda Carlisle? O aniversário de Alice está chegando e eu gostaria fazer uma surpresa. Tudo bem?
—Claro querida.
—Pronta?
—Não!!- gritei do banheiro- Sempre que saio daqui o enjoou volta mais forte. Será que não tem nada que eu possa fazer?
—Enjôos são normais no começo da gravidez amor. Mas em todo caso, já marcamos uma consulta com Stefan. Se houve alguma coisa que possamos fazer, ele dirá.
—Eu sabia que teria enjôos. Só não sabia que seriam tão fortes e tão freqüentes.
—Quer que eu ligue pro meu pai? Agora que ele sabe da gravidez, pode tentar explicar o porquê de não estarmos lá.
—Não. Eu quero ir. Vamos contar a notícia e convidar Alice e jazz como já havíamos conversado. Eu só... Só preciso de uns minutos. -Olhei para minha barriga que já não estava tão plana quanto antes e a espalmei. -Olha bebê. Nós vamos à casa do vovô e da vovó. Vamos encontrar seus tios e tias e seus futuros padrinhos também. Então porque não para de brincar com o estômago da mamãe? Vamos contar a todos sobre você. Tenho certeza de que todos vão amar você meu filho- Filho? É filho. Quando Edward me perguntou se eu tinha alguma preferência, não quis admitir, mas a idéia de ter um menino me deixava muito feliz. Um mini Edward para conhecer e amar. Com seus lindos olhos verdes, cabelos acobreados e seu grande coração. Claro que se viesse uma linda princesinha também seria muito amada.
Parece que minha conversa havia funcionado, porque depois de alguns minutos, eu não estava mais enjoada. Escovei meus dentes pela quarta vez aquela manhã e fui em direção ao quarto.
Ao sair do banheiro, Edward estava sentado em nossa cama sorrindo. Certamente por ter ouvido minha conversa com nosso filho.
—Pronta.
—Melhor?- Edward perguntou.
—Com certeza. Vamos? Estou faminta. - Disse sorrindo envergonhada. Essa era outra mudança da gravidez. Sempre comi pequenas quantidades, mas agora parecia que sempre estava com fome. Ainda mais com todos esses enjôos.
Me aproximei de Edward que continuou sentado enquanto passava seus braços em minha cintura.
—Parece que a conversa com a mamãe funcionou não é pequena?- Ele disse para meu abdômen. Do mesmo jeito que eu pensava que teríamos um lindo menino, Edward tinha certeza que teríamos uma princesinha. Uma versão menor de mim, como ele dizia. Beijou minha barriga se levantou beijando meus lábios. -Vamos?
—Sim. Porque se continuarmos com isso não vamos a lugar algum. - Me soltei dele pegando minha bolsa e o presente de Alice e indo em direção a porta do quarto. Edward veio atrás de mim. Sempre que eu subia ou descia as escadas, Edward queria me ajudar. Eu achava um exagero, mas entendia sua preocupação. E conseguia ser um desastre sobre duas pernas às vezes. Não me perdoaria se acontecesse alguma coisa com meu filho por conta da minha falta de equilíbrio.
Chegando na porta de entrada, Edward abriu, esperou que eu passasse e a fechou trancando. Ele já tinha esse hábito. Mas com a descoberta da gravidez, esse gesto ficou mais freqüente. Não que eu estivesse reclamando.
No carro ele fez o mesmo. Esperou que eu me ajeitasse no banco e só depois foi para o lado do motorista.
Durando o caminho eu adormeci enquanto acariciava minha barriga. Edward me acordou sorrindo e colocando sua mão sobre a minha em minha barriga.
Chegando na casa de Carlisle, a decoração era simplesmente, mas igualmente linda. Alice realmente tinha talentos com decoração.
Ao chegar na porta, Edward a abriu e eu pude ver Carlisle sorrindo. Ele sabia que contaríamos a novidade hoje. Alice veio me abraçando.
—Bella!!! Você está atrasada. Espero que tenha uma boa desculpa mocinha. - Me olhou cerrando os olhos. Eu sabia que depois de ver seu presente de aniversário eu estaria perdoada pelo atraso.
—Nós vamos temos uma ótima desculpa anãzinha. - Edward disse sorrindo.
—Feliz aniversário Ali. - disse entregando a caixa com seu presente.
—O que é? O que é?
—Abra e descubra anãzinha - Edward disse sorrindo. Nem eu nem ele havíamos contado a novidade para ninguém. Se Carlisle não fosse médico, seria surpresa para ele também. Mas como prometido, ele não disse nada. Conversar com Edward, decidimos que convidaríamos Alice e Jasper para padrinhos do bebê. E que no próximo filho, chamaríamos Rosie e Emm.
—Alice abriu o presente é segurou a camiseta virada para ela
—Alice abriu o presente é segurou a camiseta virada para ela. De forma que só ela via a estampa. Então quando ela arregalou os olhos e deu um grito, todos ficaram confusos.
—Ah meus deus. Isso é sério?
—O que é Alice? - perguntou Esme. E Alice virou a camiseta gritando
—Eu vou ser tia!!! .
—Aí meu deus. Carlisle nós vamos ser avós.
—Sim Esme. Vamos ser avós.
—Ora, você não parece surpreso. - Esme olhou desconfiada para Carlisle. –Você sabia não é?
—Sabia querida.
—E não nos disse nada?
—Eles queriam fazer surpresa.
—Bem. Fizeram um ótimo trabalho. Não acredito que vou ser avó.
—Isso é sério baixinha?- Perguntou Emm. Eu estava preocupada com a reação dele. Desde que nosso pai morreu, ele vinha tomando conta de mim. Para ele eu ainda era sua irmãzinha. Mesmo sempre tendo sido a mais responsável.
—Muito sério Emm. Você e Rosie serão tios.
—E eu serei tia!!- Alice gritou e todos riram de sua animação.
—Bem Alice ... Na verdade. Bella e eu conversamos. Queríamos saber se você é Jasper aceitam ser os padrinhos.
—Isso é sério? Claro que aceitamos. Aceitamos não é jazz ? - Jasper sorriu com a empolgação de Alice.
—Claro que aceitamos. Parabéns gente.
—Viu. Aceitamos. Nem acredito nisso. – Veio correndo em minha direção me abraçando.
—Nós vamos ser muito amigas viu. Eu vou te ensinar tudo sobre moda, e vamos passear, e...
—Alice!!
—O que? Alguém tem que ensinar Bella. Você usou um tênis no próprio aniversario.
—Em primeiro lugar, eu fiz isso porque você estava uma mandona. E em segundo lugar... Você nem sabe se é uma menina. Como pode dizer essas coisas?- Ela estava de joelhos conversando com minha barriga quando se levantou dizendo.
—Acredite Bella. Eu sei. Será uma linda menininha.- Disse sorrindo.
—Você é vidente agora anãzinha?- Emmett perguntou achando graça.
—Eu não mexeria com ela Emmett. Desde pequena Alice é assustadoramente precisa em suas previsões.- Edward tentou avisa-lo.
—Besteira.
—Acha mesmo Emmett?- Alice perguntou com um tom divertido.
—Claro. Ninguém pode saber essas coisas.
—Como eu sabia que Você e Rosie ficariam juntos? Ou Jasper e eu.E Bella com meu irmão?
—Isso é fácil de ver anãzinha. O Eddie aí não saia mais la de casa desde que recebeu aquela bolada. Eu insisti meses para Rosie me dar uma chance, e você com Jasper, bem... Isso foi sorte.
—E quanto ao furacão naquelas férias?
—Isso foi coincidência. Uma grande e assustadora coincidência , mas ainda sim...- No verão passado Carlisle levaria toda a família para o caribe. No dia do embarque Alice fez o maior escândalo dizendo que estava com uma sensação muito ruim. E quando Emm tentou colocá-la no avião a força ela gritou tanto que todos nós fomos expulsos do avião. Carlisle tentaria mudar a viagem para a semana seguinte, mas no final de semana foi dada a noticia que um grande furacão havia atingido a costa do caribe devastando tudo. Daí em diante nós nunca mais discutimos com uma previsão da Alice, mas Emm ainda era cético. – Não existe isso de previsão.
—É mesmo?
—Emmett... Ultimo aviso.- Edward tentou alerta-lo pela ultima vez.
— Bem... Se você não acredita nisso Emmett... Não tem porque se preocupar não é?
— Por que deveria?
—Porque como eu disse que a primeira filha da Bella e do Edward será uma menina... Depois da pequena Caroline que vem aí, eu vejo mais duas para você e Rosie. Meninas também. – Ela disse com um ar sério balançando as mãozinhas em sua direção.
—Você está blefando.
—Estou?
—Claro. Não vamos ter gêmeos. Não é Rosie?Diga para a anãzinha.
—Na verdade Emm. Isso é uma possibilidade. Eu não sou gêmea, mas tem vários casos na minha família.
—Vocês estão brincando comigo.- Disse com um olhar meio desconfiado.
—Se você acha.
—Rosie manda ela parar!!- Todos começamos a rir do desespero de Emmett
—Pare com isso Alice. Está assustando o Emmett.- Disse Esme ao ver o desespero do meu irmão.
—Só estou brincando mãe. Vamos cortar o bolo!!
—Até que emfim.- Nem preciso dizer de quem saiu isso não é?
Eu havia marcado uma consulta com Dr. Stefan na próxima quinta. Edward e eu finalmente veríamos nosso bebê. Ainda era muito cedo, mas mesmo com a previsão de Alice, eu achava que era um menino.
—Nem acredito que vamos poder vê-lo
—Ele? Então ainda não acredita na precisão da minha irmã?
—Não é bem isso. Mas é o que eu acho.
—Sério?
—Sim. Quando eu imagino vejo um menino. Um mini você.- Disse sorrindo.- E você? Ainda acha que será uma menina?
—Com tanto que seja saudável não faz realmente diferença. Mas eu acho que Alice está certa.
—Uma menina então?
—Sim. Uma versão menor de você. Com cabelos e lindos olhos castanhos.
—O doutor disse que se tivermos sorte, poderemos saber depois de completar de 20 a 24 semanas.
—Vamos ter que esperar até lá então.
—Falar é fácil. Difícil é convencer Alice a não comprar um monte de coisas.
—Conhecendo minha irmã, tenho certeza de que ela já está planejando o chá de bebê.
—Eu não duvido.
—Sr. e Senhora Cullen? O Dr. Stefan os aguarda. - Disse a simpática enfermeira.
Chegando ao consultório Stefan já estava nos esperando. Como ele era amigo de Carlisle fazia muito tempo, ele pediu para que dispensássemos as formalidades e tratássemos ele pelo primeiro nome. Edward também já o conhecia.
—Edward, Bella! Que bom revê-los. Fiquei muito feliz quando Carlisle disse que vocês queriam que eu acompanhasse o nascimento de mais um Cullen.
—Carlisle falou muito bem de você Stefan. E como Edward o conhece desde que nasceu, não conseguimos pensar em um médico melhor.
—Que bom que pensa assim Bella. Então? Como passamos essa semana?
—No geral muito bem. Só o enjôos que não passam.
—Lamento Bella, mas você terá que conviver com os enjôos por pelo menos mais alguns meses. Se tiver sorte eles acabam depois do primeiro trimestre. Claro que existem casos onde ele pode se estender um pouco mais. Eu recomendo que coma alguma coisa ainda na cama. Depois se levante e comece seu dia. E quanto as tonturas?
—Foi apenas aquele dia. Acho que pelo enjôo, levantei muito rápido. Por isso o desmaio.
—Acredito que tenha sido isso mesmo. Bem.. Pronta para conhecer o bebê?
—Pronta!
—E quanto a você Edward? Está muito calado. Pronto para conhecer seu bebê?
—Sim. Eu acho que ainda não acredito que vou ser pai Stefan. Nem que vou finalmente conhecê-la .
—Parece que temos uma preferência aqui.-Disse Stefan sorrindo.
—Não exatamente. Mas eu acho que será uma menina.
—E quanto a você Bella? Tem alguma preferência?
—Não realmente, mas eu vejo um menino. Um mini Edward.- Quando disse isso Stefan sorriu.
—Bem, isso vocês só poderão saber depois de completar pelo menos 24 semanas. Claro q alguns bebês são mais tímidos então, vocês poderão saber se ele colaborar. Você sabe mais o menos de quanto tempo está?
—Pelas minhas contas cerca de 4 semanas.
—Teremos certeza depois dos exames que vou fazer hoje. Pode ir para aquela sala se trocar Bella.
Sai do consultório entrando na sala. Em cima da mesa havia um avental. Tirei minhas roupas e prendi meu cabelo depois de vestir o avental. Quando voltei para o consultório, Stefan anotou meu peso e também mediu a pressão sanguínea. Depois pediu para que eu subisse na mesa. Depois que me deitei, Edward pegou minha mão e ficou acariciando-a.
—Já temos como saber a data nascimento doutor?- Perguntei ansiosa.
—Pelo que você me disse, eu acredito que por volta de novembro. A data aproximada poderemos saber depois dos exames.
Como estava com poucas semanas, Stefan explicou que o ultrasson não funcionaria. Teria que ser o transvaginal. Não era confortável, mas valia a pena para conhecer meu pequeno.
—Obrigado mais uma vez Bella.
—Não tem que me agradecer. Eu amo você.
—E eu amo você.
—Tudo bem, vãos ver o que temos aqui. Vêem aquele pequeno ponto preto ta tela?- Edward e eu assentimos.- Esse é o coração. Ainda é cedo para ouvi-lo
—Não está muito rápido?- Perguntei preocupada. Parecia muito rápido para mim, mas como Edward estava se especializando em cardiologia e não disse nada, então presumi que estava tudo bem.
—Não Bella. É perfeitamente normal que bata rápido assim. Isso é um ótimo sinal. Pelo que estou vendo estamos certos sobre a data.- Ele olhou em uma tabela em sua mão. – Mais precisamente dia 25. Por hoje é só isso. Bella, você pode ir se trocar.
Desci da maca e voltei para a salinha para vestir minha roupa.
—Você e o bebê então muito bem Bella. Mas vou receitar algumas vitaminas, e eu recomendo que corte a cafeína também. Para os enjôos, como uma quantidade menor de comida, mas mais vezes.
—Tento qualquer coisa.
Chegando em casa fui tomar um banho. Não gostava muito de hospitais. Talvez pelo fato de ter passado muito tempo neles nos últimos anos. Enquanto eu tomava meu banho, Edward preparou algo para comermos. Eu já estava faminta. Eu já ia descer para comer quando Edward entrou no quarto com uma bandeja que tinha um dos meus pratos favoritos. Beirute médio com queijo, tomate, rosbife sem maionese. Quando vi o prato até lambi meus lábios. Meu pequeno deve ter gostado do cheiro tanto quanto eu porque não senti enjôo nenhum como andava acontecendo com meus pratos favoritos. Depois daquele dia Edward não podia mais fazer as panquecas de chocolate que eu tanto amava. O cheiro me deixava muito enjoada. O que era uma pena, porque eram uma delicia.
Me sentei na cama enquanto Edward trazia a bandeja até mim.
—Eu já disse que você é o melhor marido que uma mulher poderia querer?
—Incontáveis vezes Bella. Eu pensei que já que você teve que abrir mão das suas deliciosas panquecas, eu poderia te trazer seu sanduíche de rosbife. Mesmo que eu ainda ache nojento.
—Me da, me da, me da.- Tentei pegar o sanduíche e Edward riu.- HUMM.... Uma pena que você ache nojento, porque está uma delicia!! Não quer nem um pedaço?
—Não obrigado. É todo seu.
Depois de saborear meu lanche senti um cansaço muito grande. Parecia que não importava o quanto eu dormisse. Sempre estava cansada. Edward colocou a bandeja no criado mudo e já ia se levantar para limpar tudo quando segurei seu braço.
—Não vai não... Fica aqui comigo? Pelo menos até eu pegar no sono.- Eu pedi manhosa.
—Claro amor.- Ele disse sorrindo.E eu me aconcheguei em seu peito e fechei meus olhos.- Sempre. Sempre minha Bella- O ouvi sussurrar enquanto acariciava meus cabelos antes de adormecer.