sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 12- Planejando o futuro

Edward PDV
Flashback
—As duplas já foram escolhidas, e o trabalho deve ser entregue no começo da semana que vem.- Quando o professor distribuiu os papeis com os nomes do parceiro, levantei minha mão quase que imediatamente depois de ler quem seria minha dupla.
—Sim Sr. Cullen?
—Senhor Benner, eu posso fazer o trabalho sozinho?
—Não Sr. Cullen. As duplas já foram divididas, o senhor ficará com...- Olhou na planilha para verificar o nome.- Ah sim. O Sr. ficará com a Srta. Denali.
—Ótimo. – Murmurei mais alto do que pretendia.
—Lembrando que esse trabalho valerá um terço da nota final de vocês.
—Isso vai ser ótimo Edward. Posso passar na sua casa depois da aula para planejarmos o trabalho.
—Hoje não dá. Tenho planos com Bella.
—Ah. A namoradinha. Sabe, talvez não devesse contar sobre o trabalho. Ela parece ser bem ciumenta.
—Bella e eu não temos segredos. Não terá problema nenhum se eu contar.
—Sério? Segredo nenhum? Tipo, nadinha mesmo?
—Não. Por que a pergunta?
—Sei lá. É que a maioria dos caras não conta absolutamente tudo para a namorada. Ou deixa ela ver seu celular e coisas assim.
—Como eu disse. Bella e eu não temos segredos. Não terá problema nenhum se eu contar sobre o trabalho.
—Tudo bem então. Eu mando mensagem combinando.
—Tudo bem. Tenho que ir agora.- E sai o mais rápido possível da sala.


Terminei meu banho, mas saindo do banheiro Bella não estava mais no quarto.
—Bella? – A procurei por toda a casa. Não a encontrei em lugar nenhum. Já estava ficando preocupado. Peguei meu celular para ligar para ela quando vi a mensagem na tela. Era Tânia marcando para começarmos o trabalho. Se eu não precisasse da nota, teria desistido desse trabalho no momento em que o professor dividiu as duplas.
Ligando para Bella, as primeiras duas tentativas deram na caixa postal. Já estava muito preocupado quando na terceira tentativa, ela finalmente atendeu, mas havia algo errado.
—O que?- Bella disse secamente. E se eu tinha alguma duvida, tinha certeza agora. Bella era sempre doce, especialmente comigo.
—Bella? Tudo bem? Onde você está?
— Na minha casa.
—O que aconteceu? Por que saiu escondida?
— Pensei em te dar privacidade para você se preparar para seu encontro.—Ela parecia zangada, e eu não tinha a menor ideia do por que.
—O que? Que encontro?
—Como se não soubesse. Veja suas mensagens. Tânia vai ficar desapontada se você se atrasar. – Quando ela disse para checar minhas mensagens, senti como um estalo em minha cabeça. A mensagem de Tânia, o tal encontro. Era só o trabalho, mas Bella não sabia disso.
—Tânia? O que você... NÃO, não é nada disso. Você entendeu tudo errado Bella.
—Claro que eu entendi. Não precisa explicar nada.
—Mas...- Ela desligou antes que eu pudesse me explicar.
Peguei minha carteira, meu celular e minhas chaves e sai de casa. Precisava esclarecer tudo com Bella. No caminho para sua casa o meu telefone tocou. Pensava ser Bella, nem olhei o identificador.
—Bella?
—Não. Tente de novo gatinho..
—Tânia.- Disse com o asco.- O que você quer?
—Estou bem obrigada.
—O que você quer Tânia?
—Saber quando vamos sair para fazer o trabalho, você não respondeu minha mensagem. Acha que podemos fazer mais tarde?
—Acho que você já fez o bastante por hoje.
—Como assim?
—Como se não soubesse.- Berrei ao telefone.
—Ei. Eu não fiz nada de mais. Só mandei mensagem marcando para fazermos o trabalho hoje.
—Não é o que você fez garota. É como fez. Por que mandou a mensagem daquele jeito? Você sabia que Bella leria. Eu te disse que não tínhamos segredos.
—Foi uma brincadeira Edward.
—Olha não sei nem porque ainda estou falando com você.- Desliguei o telefone.
Chegando a casa de Bella bati na porta, mas ninguém abriu. Emmett não morava mais ali então Bella era a única que poderia abrir a porta.
—Bella!!- Não fui atendido. Eu não iria embora enquanto não explicasse tudo. Então continuei chamando.
—Abra a porta Bella!! Eu posso explicar. Foi um mal entendido.- Ela não abriria a porta, então comecei a procurar uma chave reserva na varanda. Olhei nos vasos, debaixo do tapete e em cima do telhado. Nada.
—Bella por favor eu amo você, me deixa entrar.- Olhei para a porta. Não parecia tão grossa. Tentaria chamá-la mais uma vez. Se ela não aparecesse eu entraria.
—Bella!! Abra essa porta ou eu vou derrubar!! – Não esperei mais. Olhei para a porta e com um pontapé ela se abriu.
Olhei em volta e ela não estava na sala, subi as escada e chegando ao seu quarto, vi Bella deitada em sua cama com os olhos fechados e fones de ouvido. A música estava tão alta que eu conseguia ouvi-la do lado de fora dos fones.
Me aproximei de sua cama, e vi seu rosto molhado por suas lagrimas. Meu coração se apertou ao imaginar o que ela havia pensado.
—Bella... – Disse sentando em sua cama acariciando seu rosto. Ela parecia triste. Quando me viu começou a chorar e virar se para o outro lado.
—Vá embora!
—Não sem antes explicar amor.
—Explicar o que? Que você tem me feito de idiota? Que tem saído com a Tânia?
—Não é nada disso Bella. Tânia e eu não temos nada. Exceto um trabalho em dupla da faculdade.
—Trabalho?
—O meu professor passou um trabalho em dupla. Ele escolheu as parcerias. E eu acabei com a Tânia. No outro dia ela disse que iria marcar para começarmos o trabalho, mas ela insinuou que eu não deveria deixar você saber. Disse que você ficaria com ciúmes, ela disse que poderíamos marcar, por mensagem, assim você não saberia, então eu lhe disse que não havia segredos entre nós, então eu não precisaria esconder nada.
—Se isso fosse verdade, você teria me contado.
—Eu ia te contar, mas não achei que fosse nada demais. Eu sei que você não gosta da Tânia, e ela sabe disso também. Por isso mandou aquela mensagem. Porque sabia que você leria.
—Você devia ter dito a verdade.
—Eu sei disso, e sinto muito.
—Eu devia ter perguntado também. Confiado mais.
—Eu te entendo. Se eu tivesse visto uma mensagem como aquela, também teria perdido a cabeça. Me perdoa?
—Sim, mas por favor, não esconda mais nada. Principalmente se a Tânia estiver envolvida.
—Eu prometo.- Disse a beijando apaixonadamente, me sentia muito mais leve, como se tivessem tirado um peso enorme de minhas costas.- Eu amo você.
—Eu também amo você.
—Então ainda vai se casar comigo não é?- Perguntei com um certo receio de que ela se negasse.
—Claro que vou seu bobo.
—Que bom. Porque eu descobri que não sei mais viver sem você.
—Eu acho que eu também não. - Disse suspirando em meus braços enquanto eu a envolvia com meu abraço.
Depois daquela confusão, resolvi fazer o trabalho por e-mail com Tânia. Assim Bella saberia tudo o que se passava, e Tânia não teria chance de espalhar mais do seu veneno por aí.
3 anos depois
Haviam se passado três anos desde que fiz o pedido de casamento a Bella. Algumas coisas estavam diferentes nesse tempo. Rosie e Emmett haviam se casado, e Rosie havia acabado de descobrir que estava grávida. Jasper viajava com menos freqüência a trabalho, já que pretendia se casar com Alice muito em breve. Eu ainda achava que Jasper viajava muito para um simples policial, mas ele não tinha motivos para mentir para minha irmã ou para qualquer um de nós acabei esquecendo esse assunto.Minha Bella me tomava muito tempo, e eu sem dúvida não me importava de passá-lo com ela.
Alice, Rosie e minha mãe ajudaram Bella com todos os preparativos do nosso casamento. Eu sabia que Bella sentia falta de seu pai, e também queria que sua mãe estivesse presente para ajudá-la com isso. Mas ela teve toda a ajuda que poderia precisar. As meninas acabaram fazendo amizade com uma moça no baile. Ela era filha de um casal de médicos que trabalhavam no hospital que meu pai era sócio. Seu nome era Isadora, e ela também ajudou Bella com vários detalhes do nosso casamento.
Bella me contou que Rosie pensava que essa moça era um pouco mais do que só amiga de Emmett, mas ao que parece todas as desconfianças haviam ido embora, porque as cinco pareciam amigas de infância.
Bella tinha acabado de se formar em literatura inglesa, e graças a um velho amigo de seu pai, conseguiu um emprego como professora na universidade onde concluiu o curso. Infelizmente para mim, era onde o professorzinho amigo de Bella trabalhava também. Ainda restavam mais três anos para que eu me formasse na faculdade de medicina, e ainda havia o período de residência.
Nos últimos três anos estivemos trabalhando. Todo o casamento e a festa foi um presente dos meus pais, mas nossa casa, nós compraríamos. Bella e Emmett resolveram vender sua antiga casa, já que nenhum dos dois moraria mais lá. E ela também tinha um bom fundo na poupança. Esse dinheiro veio de uma indenização do governo, pela morte de Charlie. Eu também tinha uma boa quantia na minha poupança. Esse dinheiro era para a universidade, mas como eu consegui uma bolsa integral, pude usar o dinheiro em nossa . E era a casa dos sonhos. Minha e de Bella. Eu lembro que quando começamos a procurar a casa, assim que chegamos nessa, Bella me disse que era essa. Nós nem havíamos olhado, mas nem foi preciso. Era perfeita.
A única mudança na casa, que foi feita sem o conhecimento de Bella, foi a estufa. Seria meu presente de casamento para ela. Minha mãe me ajudou a conseguir mudas das flores de nossa campina algumas mudas de dente de leão que eu sabia que eram as favoritas de Bella. Replantamos tudo dentro da estufa. Eu sabia que Bella adoraria o presente.
As meninas já haviam acabado de acertar os detalhes finais do casamento, e deram uma folga para Bella. Que estava na sala deitada no sofá. Me sentei e coloquei seus pés em meu colo fazendo uma massagem.
—Eu pensei que Alice fosse a vidente da família.- Ela disse sorrindo.
—O que?
—Como sabia que eu precisava de uma massagem nos pés? Alice e Rosie me arrastaram para sete floriculturas diferentes hoje de manhã. Mas valeu a pena.
— Sete? Não é atoa que seus pés doem.
—Mas valeu a pena. Encontrei as flores que eu queria. Achamos uma floricultura que vende dentes de leão.
—Não me admira vocês terem andado tanto. Essa flor não é fácil de se encontrar. É uma flor de campo. Selvagem.
—Agora eu sei disso. Quem manda você ser um noivo tão bom.
—Como assim?- Perguntei sorrindo.
—Quando você me deu aquele ramalhete de dentes de leão no meu aniversário, você não demonstrou o quão difícil foi encontrá-las.
—Eu nunca disse que comprei em uma floricultura.
—Ah... Bom isso explica porque foi tão difícil encontrá-las. Mas ainda sim são minhas favoritas. - Ela suspirava cada vez que eu apertava os nozinhos de seu pé. Olhou-me sorrindo. - O que foi? Parece pensativo.
- Eu estava pensando. Já sabe onde quer passar a lua de mel?
—Ainda não me decidi. Rosie mostrou um lugar que eu achei muito bonito.
—É mesmo? Onde?
— Geórgia. Mas o hotel fica em Atlanta.
—E como é?
—É um hotel de campo. É tão bonito Edward, é simples. Casas de madeira, campos floridos em volta.
—Parece muito bom para mim.
—Mesmo?
—Claro. O que te deixa feliz, me deixa feliz. E eu adoraria passar nossa lua de mel nesse hotel. Parece um ótimo lugar.
—Você é mesmo o noivo perfeito.- Levantou-se e veio ao me encontro. O que começou com um beijo calmo, ficou mais urgente rapidamente. Bella já estava no meu colo quando Rosie adentrou a sala.
—Arrumem um quarto.- Bella corou na hora depois de ouvir isso.
—Rosie!!
—O que? Não é mais como se fosse um segredo Bella. Vocês já estão noivos há três anos.
—Emmett está na cozinha. Não precisa esfregar na cara dele.
Bella desceu do meu colo e se sentou no sofá ao meu lado, Rosie sentou- se ao seu lado e começou a falar.
—Bella... Não sei como dizer isso a você, mas Emmett já sabe disso querida.
—Não. Ele suspeita.
—Não. Ele sabe. Tenho certeza que não descobriu da maneira que queria, mas ele sabe.
—Como assim?
—Digamos que a comemoração de natal de vocês foi... Meio alta?
—Aí meu Deus!!- Bella enterrou sua cabeça em meus braços tentando se esconder.
Eu me lembrava perfeitamente daquela noite. Bella estava ainda mais linda do que de costume, e me provocou a noite toda. A festa terminou muito tarde, então todos passamos a noite na casa de meus pais. A divisão dos quartos nunca foi um problema, havia o meu quarto, o de Alice e um de hóspedes do segundo andar, e o dos meus pais e outro de hóspedes no terceiro andar. Emmett e Rosie sempre ficavam no do segundo andar. Nós dois havíamos tomado duas ou três taças de vinho. Como eu disse, Bella me provocou a noite toda, e quando me vi sozinho com ela no quarto... Não pude me conter. E ela estava tão desinibida quanto eu. O que Rosie disse estava absolutamente certo. A melhor definição para nossa comemoração naquela noite é sem dúvida alta. Bella gemia e gritava meu nome, e eu fiz o mesmo com o dela. Nem lembrávamos que haviam outras pessoas na casa.
—Não tem do que se envergonhar Bella. Voe é adulta e estava com seu noivo. Perfeitamente normal.
—Emmett não demonstrou saber. – Disse ela começando a sair do seu pequeno esconderijo.
—Eu tive uma conversa com ele. No minuto que ele ouviu vocês, quis ir até o quarto de vocês. Por pouco não consigo mante-lo no quarto.
—Obrigada Rosie. Eu teria morrido de vergonha se ele tivesse invadido o quarto.
—Muito bem. Agora chega disso. Ainda faltam alguns detalhes do casamento.
Alguns meses depois
Finalmente chegou o dia. O dia em que faria minha Bella minha para sempre. Eu já a esperava no altar, estava muito nervoso. Andava de uma ponta a outra sem parar
—Cara... Se acalma, ela não vai fugir.- Disse Japer rindo do meu nervosismo.
—Falar é fácil né? Quero só ver você quanto estiver esperando minha irmã.
—Eu não tenho porque me preocupar. Conhecendo Alice ela vai chegar na hora marcada e nenhum minuto depois. Isso se não quiser chegar antes para conferir se está tudo como planejado.- O pior é que ele tinha razão. Alice era obcecada por horário e controle. Nunca se atrasaria, nem mesmo pela tradição das noivas.- Ela já deve estar a caminha Edward.
Assim que Jasper terminou a frase a música começou a tocar e pude ver Bella de braço dado com Emmett. Ela parecia um anjo. Linda e pura. E em seu pescoço pude ver... O colar do Sol e da Lua, o que eu havia lhe dado quando completou 16 anos, e lhe dei no seu aniversário depois que ela acordou do acidente. Ela estava tão linda, me sentia com tanta sorte. Sorte por te-la em minha vida, sorte por ela me amar tanto quanto eu a amo e sorte porque em breve, eu a teria só para mim.
A ansiedade estava me matando, parecia que a música não passava rápido o suficiente. Foi quando senti uma mão em meu ombro. Me virei para ver quem era, e vi Jasper sorrindo. Eu havia descido do altar e estava a caminho de Bella. Nem percebi que tinha feito isso. Olhei para Jasper que sorria com meu nervosismo, e Bella que estava tão ansiosa para chegar até mim que nem percebeu que eu havia caminhado alguns passo até ela.
Ela finalmente chegou até mim e sorria tanto quanto eu.
Ficamos de frente para o juiz, que começou o discurso.
—Senhoras e senhores, estamos aqui reunidos, para testemunhar a união, de Edward Cullen, e Isabella Swan. Vocês escreveram seus votos?