sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 09- Uma epfania



Bella PDV
Quando fiz o pedido, Edward abriu um sorriso tão grande não pude evitar sorrir também.
Eu o amava. Completamente. Eu sei que tecnicamente eu o conhecia há bastante tempo, mas como minhas lembranças sobre ele não voltaram, é como se eu o tivesse conhecido há apenas um ano.
E que ano maravilhoso. Depois que Edward percebeu que minhas lembranças provavelmente não voltariam. Ele poderia ter desistido. Mas da maneira mais doce possível decidiu criar novas lembranças entre nós. E essas pequenas atitudes me fizeram ter ainda mais certeza do que eu queria. Queria pertencer completamente a Edward. Queria ser amada por ele. E pelo seu sorriso ele queria exatamente a mesma coisa.
Percebi que ele estava tão nervoso quanto eu. Já que seria a primeira vez para os dois. Passei meus dedos em seu cabelo, o tirando de seus lindos olhos verdes. Foi quando ele segurou meu pulso com a maior delicadeza, e começou a deixar uma trilha de suaves beijos.
—Tem certeza? - Perguntou ele.
—Nunca estive tão certa. Eu amo você e quero pertencer a você de todas as formas possíveis- Me certifiquei de que estava olhando bem no fundo de seus olhos quando disse isso. Olhos que por sua vez, já não eram mais verdes. Pareciam duas azeitonas pretas. Foi quando soube que ele me queria tanto quanto eu a ele.
—Eu amo você. –Me disse também olhando nos meus olhos. - Não sabe o quanto ansiei por isso. O quanto eu te desejo. O quanto te amo.
Nossos beijos começaram castos, envolvidos por selinhos e sorrisos. Mas a impaciência, tanto de Edward quanto minha foi aumentando. E nossos beijos até então calmos, foram se intensificando. Ficando mais urgentes.
—Eu te amo tanto minha Bella- Ele disse antes de deixar escapar um gemido.
Não consegui responder. Os beijos estavam mais intensos, e eu já não tinha tanto ar nos pulmões nem conseguia raciocinar. Mas o gemido que me escapou, foi uma resposta muito satisfatória para Edward. Porque logo depois ele me apertou mais ainda em seus braços.
Percebemos que as roupas ainda estavam entre nós. Edward começou a erguer minha camiseta enquanto eu desabotoava sua camisa. A próxima peça a sair do caminho foi a minha calça, mas também consegui me livrar da dele. Então ele interrompeu o beijo e eu pensei que havia algo errado.
— Algum problema? - perguntei um pouco zonza pela falta de ar que os beijos me causaram. Mas com um beijo desse. Quem precisa respirar? Eu com certeza não.
—Tão linda... - Percebi que ele me olhava dos pés a cabeça. Eu estava apenas de roupa intima. Um conjunto azul Royal de renda. Eu sabia que azul era a cor favorita de Edward, mas ele me olhava como se eu fosse uma deusa fazendo uma aparição aos mortais. Com seu olhar tão intenso não pude evitar corar. Não por estar envergonhada ou algo do tipo, mas porque ele me olhava como se eu fosse a coisa mais linda que ele já viu na vida e eu nem precisava perguntar porque isso é exatamente o que Edward diria. - É ainda mais linda quando cora.
Depois disso Edward voltou a me beijar
Depois disso Edward voltou a me beijar. Sua mão passeava pelo meu corpo como se quisesse memorizar cada parte dele. Foi quando sua mão se prendeu a minha cintura que soube aonde ele iria. Minha covinha de Venûs. Edward sabia que era um ponto sensível e quando aplicou um pouco de pressão, minhas pernas vacilaram por um momento. Fez isso sem nunca deixar de me beijar.
Pulei sobre ele e enlacei minhas pernas em sua cintura. Ele começou a beijar meu pescoço e caminhar em direção a cama. Tinha certeza de que ficaria com uma marca no meu pescoço.
Senti a cama macia em minhas costas e o corpo de Edward contra o meu.
Primeiro tudo que ele fez foi me beijar. Em toda parte. Provava meus lábios de novo e depois meu pescoço, percorrendo-o com a língua. Meus seios prenderam sua atenção. Edward os segurou e beijou, mordiscando os mamilos, nunca deixando de me olhar nos olhos para ter certeza de que não mudaria de ideia. E se eu tinha alguma dúvida elas foram apagadas pelo que seu olhar transmitia. Desejo, compreensão, carinho e amor. Muito amor. Para mim, era como rastros de fogo correndo por baixo da minha pele, como se seu toque fosse algum tipo de droga que meu corpo precisava para sobreviver.
Ele foi deixando uma trilha de beijos por todo meu corpo. Vi que ele ainda estava com a boxer   preta que contrastava com sua pele branca e eu precisava dele. Foi quando ele se livrou do restante das roupas que estavam entre nós.
Sentir sua pele direto na minha foi uma das melhores sensações que já senti. Era como se um campo de eletricidade passasse por todo meu corpo. E pela pausa que ele fez, sei que ele sentiu o mesmo.
Continuou com a trilha de beijos. Hora voltava para minha boca e descia pelo pescoço e clavícula. Eu já estava impaciente, mas não conseguia formular uma frase que fizesse muito sentido.
Entre suspiros e gemidos consegui dizer o que queria. O que precisava.
—Edward... por favor... eu..- outro gemido me escapou, mas ele pareceu ter entendido que eu precisava dele por que deu um ultimo beijo casto em meus lábios e olhou bem no fundo dos meus olhos.
—Se doer muito. Por favor, me diga Bella. Não suporto a ideia de te machucar.
—Não vai- Disse isso enquanto envolvia suas costas com meus braços, para que ele entendesse que eu o queria. Que precisava dele.
Edward pareceu entender por que sem tirar seus olhos dos meus, abriu gentilmente minhas pernas e se posicionou entre elas. Avançando lentamente.
—Tem certeza Bella?
—Eu amo você... Quero você... Preciso de você.
—Eu amo você. Minha Bella. Só minha.
Enquanto me beijava, Edward avançou aos poucos. Ninguém me preparou para a dor que senti. Foi como se uma parte de mim tivesse sido rasgada. Não percebi que lagrimas saiam de meus olhos até Edward depositar suaves beijos nelas.
—Já vai passar amor. Prometo não me mexer até a dor passar. - Não é que não doía mais. Mas havia uma mistura de fogo com um nó no meu estomago que só se intensificava enquanto ele estava parado.
—Edward... Por favor... - Meus gemidos cortaram o que eu queria dizer
—Você quer que eu pare Bella?- Vi que ele estava se preparando para sair de mim. Não sei de onde, mas consegui energia para erguer minhas pernas e enrolei em seu quadril e o prender mais junto a mim.
—Mais... Rápido... Por favor... - Ele entendeu o que eu queria porque não estava mais tentando sair. E começou a se movimentar.
Cravei as unhas em suas costas, arqueando meu corpo para cima, como se pudesse puxá-lo mais e mais para dentro de mim. Edward fazia movimentos longos e rápidos,observando meu rosto com cuidado para ver como eu reagia a cada um deles. Quando ele tocou num ponto que fez com que meus lábios se separassem e com que os gemidos ficassem mais altos, penetrou com mais força e intensidade.
—Bella... Minha... Bella... - A essa altura nossos gemidos se misturavam. Enterrei minhas mãos em seus cabelos e Edward começou a me beijar.
—Edward... - Seus movimentos ficaram mais lentos e mais fundos. O apertei com minhas pernas ainda mais. O queria o mais perto possível de mim. Eu não queria que ele parasse, então o apertei com toda a força que ainda tinha em minhas pernas.Começamos a nos movimentar com muita sincronia e suas estocadas em mim ficaram gradualmente mais profundas. Edward gemeu ainda mais e suas mãos voltaram até minha covinha enquanto ele se aprofundava ainda mais dentro de mim.
—Bella... - E quando ele saiu quase que completamente de mim e entrou novamente, atingiu um ponto onde vi estrelas. E nesse momento foi como se a ultima peça de um quebra cabeças se encaixasse e eu finalmente enxergasse o desenho. Lembrei-me de tudo. Eu acertando Edward com a bola quando nos conhecemos. Seus lindos olhos verdes que pareciam esmeraldas gigantes olhando diretamente para mim. Nossos passeios de bicicleta. Edward indo até minha casa depois da aula. Edward fazendo pizza. A guerra de farinha. O ciúme que senti quando pensei que ele gostasse de Tânia. O alivio que senti quando ele jurou que não sentia nada por ela. O momento que percebi que o amava, mas não tinha coragem de admitir. Nossos passeios pela clareira. Nossas idas a cachoeira. O acidente. Fechei os olhos por um momento. Abri meus olhos de repente e Edward deve ter visto alguma mudança.
—Bella...?
—Edward... eu...
—Bella...? – Ele parecia tão preocupado em ainda estar me causando dor.
—Edward... eu... me... lembrei...de ... tudo...- Consegui dizer entre meus gemidos e suspiros e se os olhos de Edward já brilhavam antes. Depois de ouvir isso pareciam luzes de natal.
—Bella...Minha.... Bella... –Ele sempre me chamou assim. Mesmo quando éramos só amigos.
—Edward... eu... vou...- Meus gemidos me cortaram de novo. Mas Edward não precisava de palavras para entender que eu estava perto.
—Vem Bella...- Ele gemia tanto quanto eu- Vem comigo...
—Edward.... Edwaaaard....- Senti o nó do meu estomago se desfazer e minhas pernas pareciam gelatina.
—Bellaaa...- Edward se liberou dentro de mim e desabou exausto, mas se apoiou entre seus braços para não deixar todo seu peso sobre mim. Ele nos deitou de lado e começou a me beijar. E enquanto me beijava saiu de mim delicadamente. Estremeci com a falta que seu corpo fazia ao meu. Ele pareceu percebeu por que me abraçou logo em seguida.
—Eu amo você. Minha Bella.
—Eu também amo você- Edward se levantou e me pegou nos braços.
—O que está fazendo?- Eu não sabia de onde ele havia tirado forças para me levantar porque eu estava exausta.
—Vou cuidar de você. - Disse depositando um beijo em minha testa
Edward me carregou até o banheiro, onde encheu a banheira. Quando a água estava quente, Edward começou a lavar entre minhas pernas com uma esponja. Ele passava a esponja como se estivesse limpando um cristal. Delicadamente com medo de que fosse quebrar. Ele me deixou na água alguns minutos para que eu relaxasse um pouco e foi em direção ao quarto. Depois de alguns minutos ele voltou para o banheiro, me tirou da banheira e me secou gentilmente, me carregando em direção ao quarto. Ele havia trocado os lençóis de sua cama. Deitou-me sobre a cama e se deitou a meu lado.
—Eu amo você. Minha Bella.
—Eu também amo você Edward. Sempre amei. -Me aconcheguei em seu peito enquanto ele me envolvia em seus braços e adormecemos tranquilamente.
Minha vida estava completa de novo. E nunca foi tão boa.
Na manhã seguinte. Acordei com a luz do sol batendo já janela do quarto de Edward, e foi só quando senti sua mão apertando minha cintura, que me lembrei do que fizemos na noite passada. Não estava arrependida, muito pelo contrario, estava muito feliz porque em uma única noite recuperei todas as minhas lembranças e ainda fiquei com o homem que eu amava.
Edward ainda dormia tranquilamente com um sorriso em seu rosto. Uma de suas mãos estava em minha cintura e a outra no meio de meus cabelos.Minhas costas estavam coladas em seu peito e eu sentia sua respiração em meu pescoço. Virei-me devagar para não acordá-lo ainda. Queria estar olhando em seus olhos quando ele os abrisse. Mesmo quando me virei Edward pareceu continuar dormindo. Passei meus dedos delicadamente por seus cabelos e seu aperto em minha cintura ficou mais forte. Foi quando eu percebi que não havia uma única peça de roupa entre nós. Olhei para baixo tentando não corar, quando olhei para Edward, seus olhos estavam abertos e ele me observava com um sorriso preguiçoso em seu rosto.
—Bom dia minha Bella. - Ele parecia tão relaxado e feliz.
—Bom dia amor.
—Eu poderia me acostumar com isso sabia?
—Com o que?
—Acordar ao seu lado todos os dias. Você é ainda mais linda quando acorda.
—Você sabe que é um exagero o jeito que me vê não sabe?
—Eu não penso assim, eu acho que você é a mulher mais linda que eu já vi em minha vida.- Ele foi chegando mais perto para me beijar e eu também estava me aproximando dele, quando me lembrei que ainda não tinha escovado meus dentes. Cobri minha boca na mesma hora.
–Qual o problema?
— Eu ainda não escovei os dentes Edward.
—Eu não me importo com isso. Quero um beijo da minha namorada.
—Mas eu tenho mau hálito matinal.
—Eu também tenho. Mas ainda quero um beijo seu.
—Nesse caso, eu também quero um beijo do MEU namorado. - Disse me inclinando mais em sua direção quando ele me apertou ainda mais em seus braços e com uma mão desenhou círculos em meu ombro e com a outra subia e descia pelas minhas costas. Minhas mãos estavam enroscadas em seu cabelo quando Edward se debruçou sobre mim e começou a beijar meu pescoço. Eu senti um volume no meio das minhas pernas e ouvi um gemido, não sei se meu ou de Edward. Eu ainda estava um pouco dolorida pela noite passada, mas queria muito repetir a dose. Não fazia ideia de que poderia ser tão maravilhosamente intenso.
—Edward... - Quando chamei seu nome praticamente em um gemido, Edward pareceu sair de um transe.
—Desculpe Bella... Eu quero tanto você que nem perguntei se você está com alguma dor. Está machucada?
—Acho que não. Não sinto dor, você cuidou muito bem de mim, mas... - Eu queria terminar a frase sem corar.
—Mas?
—Mas eu gostaria de tomar um banho agora.
—Ah... Tudo bem. - Ele disse se afastando um pouco. Droga, não era isso que eu queria. Eu queria um banho, mas queria Edward comigo. Já estava aqui mesmo. Resolvi chutar o balde.—Me acompanha?
—Sério?- Ele perguntou com um olhar surpreso e sorriso crescendo.
—Claro, quer dizer. Não tem nada que você não tenha visto na noite passada. - Eu queria dizer que não corei, mas não consegui evitar.
Quando entramos no chuveiro, minha intenção era apenas tomar banho, mas vendo Edward molhado em toda sua glória. Não me julguem, vocês fariam o mesmo. Enlacei minhas pernas em sua cintura enquanto ele beijava meu pescoço. Ele me pressionou contra o azulejo frio do banheiro e eu gemi pela sensação fria em minhas costas e ao mesmo tempo o fogo da noite passada que havia retornado. Não usamos nenhuma proteção porque eu tomava pílula fazia dois anos, e como nem eu nem Edward havíamos dormido com ninguém, não teria o menor problema.
Os beijos foram ficando mais urgentes e quando Edward se posicionou entre minhas pernas novamente eu esperava sentir alguma dor, mas tudo que senti foi um prazer que crescia mais e mais. Nossos gemidos se misturavam e enquanto Edward beijava meu pescoço, minhas mãos estavam enterradas em seu cabelo. Como eu amava aquele cabelo bagunçado e... Ahh quem estou querendo enganar? Eu amava absolutamente tudo em Edward, e o melhor é que era tudo meu.
—Bella...
—Edward... - Os gemidos ficaram mais altos, e eu agradeci mentalmente por estarmos sozinhos na casa dos pais de Edward. Se alguém nos ouvisse eu nunca mais conseguiria sair desse quarto.
Depois disso, realmente tomamos banho. Edward lavando meu corpo e eu fazendo o mesmo com o dele. Na hora de sair do chuveiro me enrolei em uma toalha e caminhei primeiro até o quarto. Como planejava passar a noite aqui, minha mochila tinha uma troca de roupa.
Vesti minha camiseta e saia antes que Edward entrasse no quarto, porque se vestido eu já me perdia, apenas com a toalha enrolada em seu quadril eu seria incapaz de fazer qualquer coisa, inclusive me vestir.
Vesti minha camiseta e  saia antes que Edward entrasse no quarto, porque se vestido eu já me perdia, apenas com a toalha enrolada em seu quadril eu seria incapaz de fazer qualquer coisa, inclusive me vestir
Como eu imaginava, quando Edward saiu do banheiro, foi como se meu cérebro parasse. A toalha estava enrolada em seu quadril, e seus cabelos estavam molhados e completamente rebeldes. Seu peito estava úmido e o seu cheiro... Ah o seu cheiro, era como... Eu não tenho uma comparação decente, por sorte já havia me vestido.
—Apreciando a vista?
—Eu... Talvez- Eu corei por ter sido pega, mas o seu sorriso ficou enorme.
—Com fome?
—Um pouco. Eu pensei em sairmos para comer alguma coisa.- Eu não queria realmente sair, mas não seria justo pedir para Edward cozinhar.
—Eu já ia descer e fazer nosso café, queria aproveitar a casa vazia, mas se você prefere sair então...- Nem dei tempo dele terminar a frase.
—Não!!.- Devo ter dito mais alto do que planejava, já que o sorriso de Edward aumentou ainda mais.
—Café da manha caseiro então?
—Com certeza.
Ele já ia em direção a porta, mas parou e voltou me tomando em um beijo ardente e apaixonado. É... hoje vai ser um dia muito bom.