sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 08- Fica comigo?


Edward PDV
Eu sei. É só que eu não sabia como tocar no assunto. E eu não sabia se você estava preparado para isso, na verdade, há pouco tempo não sabia nem se eu estava. Mas agora eu sei que estou. E eu quero saber como você se sente sobre isso.
—Bella. Eu...
Eu não conseguia explicar a Bella o quanto eu queria isso. Mas que eu queria que fosse ao momento certo. Queria que ela quisesse estar comigo. Não porque ela achava que era apenas o que eu queria, eu a amava tanto que não me importava nem um pouco em esperá-la. Eu já venho tendo esse tipo de pensamentos há algumas semanas, tudo bem... Talvez a mais tempo. Muito mais tempo. E quando vi Bella em seu pijama na noite passada, tive que me controlar para não jogá-la em sua cama. E se sem ela dizer que queria isso eu já estava nessa situação, imagine o que eu senti quando ela me perguntou o que eu achava de darmos esse passo em nosso relacionamento.
—Bella. Eu... Eu nem sei por onde começar.
—Edward tudo bem. Eu entendo se você não estiver preparado para isso. Quer saber... Esquece que eu perguntei. Eu só pensei que precisávamos conversar sobre isso.
—Não Bella. Você não entende. Não é assim. Por favor, deixe-me explicar. Eu quero muito isso. Eu acho que nunca terei o suficiente de você, e a ideia de poder tocá-la. Beijar cada parte de você... É indescritível. Eu quero isso. Mais do que posso explicar. Mas eu quero que seja no tempo certo. Pode parecer uma visão meio antiquada, mas eu gostaria que fosse perfeito. Eu quero que você me queira por você. Eu amo você e simplesmente não suportaria se você se arrependesse dessa decisão.
—Edward eu amo você. Eu jamais me arrependeria de qualquer momento que eu vivesse com você. Eu não estou pedindo para fazermos isso essa noite. Eu também quero que seja especial, eu só queria saber como você se sente sobre isso. Eu sei que você jamais me pediria isso. E eu não sei se isso é possível, mas eu te amo ainda mais por isso. Você tem sido tão paciente. Com tudo. Eu sinceramente acho que seria impossível encontrar um namorado melhor que você.
—Bom. Agora que esclarecemos isso. Que tal irmos dormir. Amanhã nós dois temos aula na faculdade bem cedo.
—Essa é provavelmente uma boa ideia.
Bella já estava debaixo das cobertas, e quando me deitei ao seu lado ela abriu seus braços e rodeou meu pescoço enquanto eu me deitava. Eu descobri nos últimos meses que meu som favorito é o som que o coração de Bella faz. Sempre que deitávamos em algum lugar eu me deitava de um jeito que conseguia ouvir as batidas rápidas e compassadas de seu coração. Aquilo era música para meus ouvidos. Enquanto eu estava deitado, Bella passava as mãos pelos meus cabelos. Ela dizia que adorava isso. Eu ainda estava pensando sobre nossa conversa quando percebi que tanto sua respiração quando as batidas de seu coração ficaram mais lentas e suaves. Quando olhei para cima vi que Bella havia adormecido.
Na noite passada, eu havia acordado no meio da noite com Bella se mexendo ao meu lado. Eu fui criado para ser um cavalheiro, então eu estava rezando para que Bella não acordasse naquele momento, porque eu descobri que meu corpo respondia ao dela e eu realmente não queria que ela me visse digamos... Naquela situação. Depois de algum tempo relaxei. Bella continuava aninhada a mim. Ela dormia tão tranquilamente que não conseguia desviar meu olhar. Acho que fiquei observando seu sono por quase uma hora antes de ser vencido pelo meu.
E nessa noite não foi diferente. Eu ficava fascinado com o tanto de coisas que eu gostava nela. Sua voz, seu rosto até seu cheiro. Mesmo quando ela estava apenas dormindo, eu ainda ficava admirando. Eu não entendo como ela não se vê do jeito que eu a vejo. Ela diz que é exagero da minha parte, mas aos meus olhos ela é a mulher mais linda do mundo. Com essa visão de Bella dormindo ao meu lado adormeci tranquilamente.
Bella estava linda. Absolutamente deslumbrante. Vestia um vestido branco longo e seus cabelos desciam em cachos em seu ombro. Ela carregava um buque com flores azuis e amarelas e caminhava em minha direção por um tapete vermelho. Ela caminhava e caminhava. Mas não importava o quanto ela caminhasse ainda não chegava perto de mim. E eu vi que isso começou a assustá-la, então corri em sua direção. Mas não importava o quanto eu corresse, Bella estava cada vez mais longe de mim. Comecei a gritar seu nome, mas ela parecia não me ouvir. Foi quando o cenário mudou. Estávamos na clareira e Bella estava no meio das flores. Isso me tranquilizou um pouco, mas a calma me deixou tão rápido quando veio. Quando me aproximei dela, ela se levantou e começou a caminhar para fora da clareira, a chamei, mas novamente ela não me ouviu. Quando me dei conta estávamos na cachoeira e Bella estava de costas para mim. A chamei e dessa vez ela se virou.
— Bella...
—Sim?
—Por que você estava fugindo de mim?
— Desculpe, mas eu te conheço?
—Isso não tem graça Bella.- Eu já estava apavorado. Foi isso que ela me disse quando acordou no hospital e não se lembrava de mim. Minha Bella nunca brincaria com isso, tinha algo errado. Dei um passo em sua direção e ela se afastou.
—Quem é você?
—Bella. Pare com isso, por favor. Você está me assustando. - Disse isso enquanto pegava em sua mão. Ela puxou a mão de volta.
—Por favor, fique longe de mim.
—Bella... - Eu me aproximava cada vez mais.
—Fique longe de mim. Eu não te conheço.
—Claro que conhece, sou eu... O Edward, e você é minha Bella.
—Não sou sua. Já disse que não te conheço. Fique longe de mim. – Dei mais um passo em sua direção e quando ela recuou se desequilibrou e caiu dentro da água.
—Bellaaaa...
Acordei sobre saltado com o pesadelo. Estava suado e ofegante e quando meus olhos se ajustaram, vi Bella me olhando assustada enquanto me chamava.
—Edward. Edward acorda!
—Bella.. Eu..- Eu estava ofegante. Precisava me acalmar. Tudo não passou de um pesadelo.
—Eu estou aqui amor.
—Bella...
—Foi apenas um pesadelo amor, acalme-se. - Eu precisava ter certeza de que era real, e que ela estava aqui. A puxei para um beijo, e ela não se afastou. Pedi passagem com minha língua e ela deu de muito bom grado. Minhas mãos foram para sua cintura e as suas se enroscaram em meus cabelos.
—Minha Bella.
—Sim... Apenas sua..- Disse ela enquanto suspirava. Já estávamos sem fôlego quando Bella se afastou.—Edward... Você está bem? Você estava gritando.
—Eu estou bem. Desculpe ter acordado você.
—Não se desculpe. Quer conversar?
—Foi só um sonho ruim. Já estou melhor. Juro. Apenas me de um minuto.
—Tudo bem. Vou buscar um copo d'água para você.
—Não!!! Por favor, fique. - Devo ter dito um pouco mais alto do que pretendia, porque Bella não se mexeu. Pode parecer exagero, mas eu não queria que ela saísse do meu lado depois desse sonho.
—Edward qual o problema?
—Nenhum. Eu só não quero ficar sozinho nesse momento. Por favor, fique.
—Tudo bem. Eu não vou a lugar nenhum. Por que não tentamos voltar a dormir. Eu prometo que não sairei do seu lado está bem?- Só balancei a cabeça em um sinal de positivo. Bella deitou e eu me aninhei em seus braços novamente enquanto ela mexia em meus cabelos.
—Eu te amo Edward.
—Eu também minha Bella. Muito. - Depois que me convenci de que era apenas um pesadelo, e que Bella nunca me deixaria consegui me acalmar e adormeci.
Tão rápido quanto peguei no sono, veio o sol em meus olhos me acordando.
Bella já estava acordada e me observava.
— Bom dia. - Disse enquanto passava sua mão em meu rosto.
—Bom dia. - Eu estava um pouco envergonhado por te-la acordado com meu pesadelo. Eu já era um homem adulto. Não devia acordar outras pessoas por causa de um sonho ruim. Ainda mais um sem fundamento. Por pior que tenha sido, foi apenas isso. Um sonho. Um sonho muito muito ruim, mas um sonho.
—Tudo bem?
—Sim. Desculpe por acordar você.
—Já disse que você não tem porque se desculpar Edward. Quer me contar como era?
—Foi apenas um pesadelo. Um realmente ruim. Não tem fundamento, se importa se eu não quiser falar sobre isso. Eu só quero esquecer.
—Claro. Se quiser conversar eu estou aqui. Sempre estarei. Tudo bem?
—Obrigado.
—Você quer faltar à aula hoje? Você não dormiu muito.
—Não. E você tem prova. Eu só vou tomar um banho e podemos ir.
—Tudo bem.
—Te encontro lá embaixo para o café da manhã?
—Claro.
Enquanto tomava banho, lembrei-me do pesadelo. Esse era um sonho que eu não tinha a bastante tempo. Mas depois de assumir meus sentimentos por ela, acho que meus medos voltaram. Medo de perdê-la. Mesmo que ela tenha dito varias vezes que me ama, ainda tenho medo de perdê-la. E se eu disser a ela sobre o que são meus pesadelos, ela se culparia. E essa é a ultima coisa que eu preciso. As coisas estavam indo tão bem. Por que esses sonhos idiotas tinham que voltar agora? Depois do banho estava um pouco mais relaxado. Ao me olhar no espelho vi que estava com olheiras.
. Eu não as via aí desde que Bella havia acordado do coma.
Descendo as escadas, já estava indo em direção a cozinha, mas parei ao ouvir Minha mãe e minha Bella conversando.
—Não culpe Alice querida. Eu a coloquei contra parede porque pensei que houvesse algo errado.
—Alice gosta de fazer grande caso Esme. De qualquer forma, Edward e eu já conversamos.
—Nisso eu concordo com minha filha. Isso é uma coisa que os dois tem que entrar em acordo.
—Esme. Você sabe que eu te considero como uma mãe não é?
—E eu certamente de considera uma filha Bella. Espero que saiba disso.
—Eu sei sim. Eu amo seu filho, e eu realmente...
Antes de terminar de ouvir senti uma mãozinha no meu ombro e saltei com a surpresa.
—Sabe querido irmãozinho. Não é bonito ficar bisbilhotando a conversa dos outros.
—Meu Deus Alice. Isso é jeito de chegar. Quase me matou de susto. Faz algum barulho quando estiver chegando perto.
—Você não teria se assustado se não estivesse tão concentrado na conversa de outras pessoas.
—Eu... Eu não queria bisbilhotar. Foi uma longa noite, eu queria saber como Bella estava se sentindo.
—Você não parece ter dormido muito mesmo. E suas olheiras voltaram. O que aconteceu?
—Aquele pesadelo voltou. - Disse olhando para baixo.
—O mesmo de quando Bella estava em coma?
—É. Pensei que tinha me livrado dele, mas parece que me enganei.
—Ah Edward. E se bem te conheço você não contou para ela sobre o que era o pesadelo não é?
—Ela se sentiria culpada Alice. E eu não tenho motivos para isso.
—Eu não entendo. Por que os pesadelos voltaram agora? Vocês parecem tão bem.
—Mas é exatamente por isso Alice. As coisas estão maravilhosas entre nós. E eu acho que tenho medo de perde-la de novo. Eu sei que não faz sentido. E ontem ela disse que vocês conversaram. Sobre darmos mais um passo. Eu realmente quero isso Alice, mas eu quero que a Bella queira também. Não quero que ela se sinta pressionada ou algo assim.
—Eu vou dizer a você o mesmo que disse para Bella. Isso é uma coisa que vocês tem que decidir, entre vocês. Sem ninguém se metendo. Eu também disse a Bella que isso é muito importante, vocês tem que conversar entre vocês. Essa é uma decisão que vocês têm que tomar juntos. Eu sei que minha amiga ama você Edward. E eu nem preciso dizer que você é louco por ela. Isso está na sua cara irmãozinho.
—Eu sei que ela me ama Alice, e eu sou completamente apaixonado por ela. Eu só quero ter certeza de que ela esteja certa sobre essa decisão.
—E eu concordo com você Edward. Mas eu também acho que Bella tem mais do que certeza sobre isso. E se não acredita em mim, pergunte a ela. Eu sei que ela ficaria muito feliz em acabar com suas duvidas. Sério Edward, converse entre vocês.
—Obrigado Alice.
Minha irmã já havia ido embora quando decidi entrar na cozinha e mais tarde conversaria com Bella sobre isso.
—Bom dia meu filho.
—Bom dia mãe.- Eu não sabia se Bella havia contado sobre meu pesadelo, mas acho que nem seria necessário graças as olheiras que estavam em meus olhos.
—Eu fiz café. Eu sei que você gosta do seu bem forte.
—E ela também fez panquecas Edward. As melhores que eu já comi.- Disse Bella enquanto se deliciava com uma panqueca cheia de chocolate.
—Só o café está ótimo amor- Disse sorrindo.- Obrigado mãe.
—Vocês vão para a faculdade ainda?
—Sim. Só vamos terminar o café e já saímos.
Minha mãe deve ter notado que eu queria conversar com Bella porque com seu café nas mãos em direção ao jardim.
—Bella.
—Sim?
—Eu queria conversar com você. Sobre algumas coisas. Mas não sei como começar.
—Pode falar Edward. Pode falar comigo sobre qualquer coisa.
—Eu sei. É só... Complicado. - Bella se levantou e veio em minha direção pegando em minha mão e olhando dentro dos meus olhos.
- Ei. Eu amo você e espero que saiba que como você mesmo disse ontem, que pode falar sobre qualquer coisa comigo.
—Eu sei. Eu também amo você. Mais do que consigo explicar.
—Então me conta qual o problema.
—É só...
—Bom dia crianças.
—Bom dia Carlisle.
—Bom dia pai.- Meu pai percebeu que estamos no meio de alguma conversa séria porque já estava se desculpando e saindo da cozinha.
—Eu interrompi alguma coisa meninos? Eu só vou pegar meu café e já estou saindo.
—Tudo bem pai. Não era nada não.- Vi que Bella me observava com a expressão meio perdida. Carlisle pegou seu café e se juntou a minha mãe no jardim.
—O que você dizia Edward?
—Deixa para lá Bella. Não é nada de mui importante. Podemos falar sobre isso mais tarde? Vamos nos atrasar assim.
—Tem certeza?
—Tenho sim.
—Tudo bem então. Mas a noite conversamos sobre isso. Sem falta. - Seu olhar dizia que não teria como fugir dessa conversa.
Saímos de casa em cima da hora. Estudávamos na mesma faculdade. Eu cursava medicina e Bella literatura inglesa.
Nossas aulas não eram no mesmo horário então eu só a veria depois do almoço. Mas Bella disse que Alice e Rose haviam a chamado para umas horas de garotas. Combinamos de almoçar juntos e de lá ela se encontraria com as meninas. Alice a levaria até em casa e eu só a veria lá.
Ainda estava na minha segunda aula, mas meus pensamentos estavam viajando para outro lugar. Como eu explicaria para Bella meu pesadelo sem que ela se sentisse culpada? Eu sei que ela não deixaria as explicações dessa noite, mas ainda tinha esperanças de que ela deixasse para lá. Mas eu também sei que minha Bella é extremamente teimosa, e quando cisma com alguma coisa, nada nem ninguém tira isso de sua cabecinha.
Estava saindo da aula e indo em direção a próxima quando senti meu celular vibrar em meu bolso. Vi que era uma mensagem de Bella, o que era estranho porque depois de todo esse tempo, ainda não havíamos trocado menagens ainda.
De: Bella
Para: Edward
Como anda seu dia até agora?
De: Gasparzinho
Para: Minha Bella
Parado. Saudades suas. Muitas.
De: Bella
Para: Gasparzinho???
Também estou morrendo de saudades. Fiz Alice prometer que não demoraria mais que duas horas.
P.s. Gasparzinho???
De: Gasparzinho
Para: Minha Bella.
Ainda parece muito tempo longe de você.
Essa é uma longa história. Posso te contar hoje a noite lá em casa. Se você quiser passar a noite lá é claro.
De: Bella
Para:Edward
Alice não aceitou menos tempo que isso. Essa é sem duvida uma história que quero ouvir.
Nosso almoço ainda está de pé?
De: Gasparzinho
Para: Minha Bella.
Claro. Minha ultima aula acaba primeiro que a sua, então te encontro na porta da sua sala ok?
De: Sua Bella
Para: Edward
Para mim parece ótimo. Tenho que ir agora. O professor chegou.
Até mais tarde. Eu amo você. Bjs!!
De: Gasparzinho
Para: Minha Bella
Até mais tarde amor. Também amo você. Beijo!!
Sorri feito um bobo ao ler o nome que Bella usou em sua ultima mensagem. Sua Bella. Será que ela poderia fazer com que eu me apaixonasse ainda mais? Aparentemente sim.
Minha ultima aula terminou e como prometido eu fui buscar Bella em sua sala para que fossemos almoçar, mas não consegui sair da sala antes que a louca da Tânia me cercasse. Ela sabia que eu namorava com Bella, mas isso nunca a impediu de se insinuar para mim ou para qualquer outro cara do campus.
—Hey Edward... Você está ocupado agora? É que eu não entendi uma parte da matéria e queria que você me explicasse algumas coisas. Eu sei que o tema de hoje foi anatomia, mas eu ainda tenho algumas dúvidas. - Disse isso enquanto chegava cada vez mais perto e eu me afastando cada vez mais.
—Eu estou ocupado Tânia. Tenho planos com a minha namorada. Talvez devesse pedir ajuda a outra pessoa. - Com a rejeição Tânia pareceu um pouco abalada e se afastou o suficiente para que eu saísse da sala. Ela não era o tipo de garota que estava acostumada a ouvir um não dos caras.
Cheguei à porta da sala de Bella e a vi apanhando seu material e já vinha em direção a porta. Só estava tirando uma dúvida com seu professor. Eu nunca gostei muito desse professor dela. Seu nome era Riley, ele era alguns anos mais velho que ela e era filho de um grande amigo de seu pai. Então eles se conheciam antes da faculdade. Ele olhava para ela de um jeito diferente. Eu reconhecia esse olhar. Era desejo. Mas Bella era muito inocente demais para perceber.
Ela se despediu dele e veio em minha direção. Quando me viu na porta abriu um largo sorriso.
—Oi
—Oi- Disse lhe dando um beijo. Fazendo questão de manter a porta meio aberta para que o professor nos visse. Não sou possessivo, mas ele quer o que é meu. E se eu dissesse isso para Bella ela diria que eu estou apenas com ciúmes, e não tenho motivos para me preocupar.
—Pronta para o almoço?
—Sim. Aonde vamos?
—É uma surpresa. - Bella sempre odiou surpresas, mas ultimamente ela tem ficado tão feliz com as que eu tenho lhe preparado que ela pareceu relaxar um pouco.
—Você tem feito muito isso viu.
—Isso o que?
—Essas surpresas. Você sabe que eu não gosto muito de surpresas.
—Você pareceu ter adorado as ultimas que eu preparei.
—E eu realmente amei, mas isso não quer dizer que eu goste da ideia de você gastando dinheiro comigo.
—Bella. Eu gosto de lhe dar as coisas. Mesmo que as mais simples.
—Eu sei que gosta, mas assim você vai acabar me mimando.
—Você é minha namorada. Se eu não puder mimar você, vou mimar quem?
—Ainda sim Edward. Eu fico feliz em fazer apenas um passeio com você. Nada muito extravagante. Uma volta no parque já me deixa muito feliz amor.
—Eu sei que deixa. - Dei mais um beijo em seus lábios- E é exatamente por isso que eu preparei um almoço que eu sei que você vai adorar.
—O que é?
—Boa tentativa. Ainda não vou dizer.
—Nem uma dica?
—Paciência minha Bella.
—Tudo bem. Vamos então, antes que sua irmã resolva me sequestrar.
Eu já havia planejado tudo. Eu sabia que Bella não gostava de restaurantes caros ou coisas desse tipo. Mesmo eu gostando de mimá-la, ela na se sentia muito confortável nesses lugares, então para nosso almoço eu planejei um belo piquenique no parque. E logo depois eu a levaria até em casa, onde minha irmã a levaria para a tarde com as garotas, então eu só veria minha Bella bem mais tarde. Isso se ela optasse por passar a noite na minha casa novamente.
Estávamos quase chegando ao parque, e Bella não parava que se mexer no banco. Parecia nervosa. Quase como se estivesse planejando alguma coisa. Ela bem que tentou fazer mais perguntas para descobrir onde seria nosso almoço. Depois de varias tentativas frustradas, ela desistiu e decidiu espera.
Ela não tinha como suspeitar, já que a cesta estava no porta malas do carro.
Finalmente chegamos ao parque e quando parei o carro Bella me olhou com u olhar confuso. Desci do carro e abri a porta para que Bella descesse também. Fui até o porta malas e peguei a cesta. Quando Bella viu a cesta em minhas mãos seus olhos brilharam quando ela entendeu onde seria nosso almoço.
—Um piquenique?
—Sim. Gosta da ideia?
—Não poderia ser melhor. - Disse enquanto sorria aliviada, mas abaixava a cabeça um pouco envergonhada- Confesso que estava meio preocupada em você me levar em algum lugar muito sofisticado.
—Eu sei que você gosta muito mais de lugares mais simples do que lugares caros e sofisticados. Então achei que um piquenique seria perfeito.
—Sim. Absolutamente perfeito. Eu sei que você está acostumado a lugares mais sofisticados, mas eu realmente gosto da simplicidade do parque. A grama, as folhas caindo, o sol em meu rosto, a brisa que passa os sons de crianças correndo e brincando. Eu realmente gosto disso.
—Ei. Não é porque meus pais sempre frequentaram esse tipo de lugar, que eu os prefira. Se quer saber, eu gosto muito mais dos passeios ao campo que fazemos, do que aqueles restaurantes caros que meus pais me levavam quando eu era criança.
—Sério?
—Claro. Além do mais, em um restaurante eu não poderia fazer muitas coisas que posso fazer aqui no nosso piquenique.
—E que coisas seriam essas?
—Eu não poderia deitar minha cabeça em seu colo como fazemos quando estamos aqui.
—Isso é verdade- Disse sorrindo. A vergonha já tinha ido embora e eu estava muito aliviado com isso. Parecia que minha Bella tinha realmente gostado da surpresa do piquenique.
Encontramos um lugar debaixo de uma arvore dentro do parque, e eu estendi a toalha que havia levado. Arrumei nosso almoço enquanto Bella se recostava em uma arvore e olhava as crianças brincando. Havia uma menininha que brincava com seu pai, e percebi que Bella ficou um pouco balançada, ela sentia muita falta do pai, mesmo que não tocasse no assunto. E logo mais a frente tinha outra menininha, só que dessa vez a menina havia acabado de se machucar e era consolada por sua mãe. Bella não tinha sua mãe. Não sabia o que era correr para os braços de uma mãe. Eu queria saber como ela estava, mas não queria interromper seu momento.
—Tudo bem?
—O que? Ahn... Desculpe. Eu estava um pouco distraída. Disse alguma coisa?
—Tudo bem? Você parecia estar longe.
—Tudo. Eu só... Eu vi a menininha brincando com o homem e me lembrei do meu pai. E a moça confortando a outra menina. Eu só imaginei por alguns minutos como teria sido. Sabe? Ter tido esse tipo de consolo quando era pequena.
—Eu entendo o que quer dizer. Você sente falta do seu pai. É completamente normal, vocês eram muito ligados. E sua mãe? Você não sabe muitas coisas sobre ela não é.
—Eu não sei quase nada da minha mãe, só tenho as fotos dela que te mostrei. Meu pai não falava muito sobre ela, nunca entendi o por que. E Emmett só tinha dois anos quando ela morreu. Meu pai e eu éramos muito ligados, e conforme o tempo vai passando eu me dou conta de tudo que ele perder. Isso me entristece um pouco.
—Como o que?
—Eu percebo que ele não vai me ver formada como era seu sonho, não vai poder implicar com meu namorado, nem me levar até o altar ou segurar seus netos quando eles nascerem.
—Você tem o desejo de ser mãe?
—Muito. Eu adoro crianças. Sempre adorei, e eu quero ser uma mãe perfeita, mesmo não tendo tido uma. Sabe. Eu gostaria de ser uma mãe tão incrível quanto Esme é para você e Alice. Sempre apoiando, brigando quando necessário, mas que meus filhos saibam que sempre podem contar comigo. Que eu sempre estarei lá para eles.
—Eu sei que você será uma mãe maravilhosa.
—Eu quero muito isso, mas também tenho medo. Não tive um modelo quando pequena, tenho medo de errar com eles. Medo de não poder estar presente mesmo sendo o que eu mais desejo.
—Não tem porque se preocupar. Você será uma mãe perfeita e se você quiser eu sempre estarei do seu lado.- Bella me surpreendeu com um beijo intenso e apaixonado. Como se ela quisesse me mostrar que ela me queria do seu lado.
—Como se eu não fosse te querer ao meu lado. Seu bobo. Quem você acha que vai ser o pai dos meus filhos?- Assim que disse isso levou suas mãos a boca como se quisesse capturar as palavras que lhe escaparam.- Eu...
—Sério?
—Eu não quis dizer assim. Eu...
—Bella. Tudo que eu mais quero é te-la em minha vida enquanto eu viver. Fazê-la minha esposa e um dia me tornar o pai dos seus filhos. E eu nem preciso dizer o quão feliz eu me sinto por saber que você pensa em nós da mesma forma que eu.
—Eu amo você sabia?
—Isso me deixa muito feliz também. Porque eu amo você.- Disse lhe dando um beijo apaixonado que provasse que eu falava sério.- Agora vamos comer antes que minha irmã se materialize aqui para te levar embora.
—Isso com certeza é uma possibilidade se tratando da Alice.
Terminamos nosso almoço quando ouvi meu telefone tocar. Vi que era minha irmã ligando, o mais inteligente seria atender, porque Alice não faz o tipo de garota que desiste fácil, então ela continuaria ligando até conseguir falar comigo ou mais precisamente com Bella.
—Alô?
CADEABELLAA.
—Alice. Respira. Ela ta aqui comigo. Estamos terminando de almoçar e já vou levá-la para casa.
—ELA JÁ ME DEU POUCAS HORAS EDWARD. QUERO ELA AQUI AGORA MESMO IRMÃOZINHO, OU VOU FICAR LIGANDO!! ENTENDEU??
—Já estamos indo Alice. –Disse desligando o telefone.- Parece que nosso tempo acabou.
—Por que ela estava no viva voz?
—Não estava. Ela estava gritando.
—Meu Deus... Então temos menos tempo do que eu pensei.- Disse voltando a me beijar.
—Isso é culpa sua. Quem mandou prometer que sairia com ela. Você sabe o quão a sério ela leva suas compras.
—Eu sei. Mas mais tarde podemos terminar isso.- Disse enquanto se levantava.- E não pense que eu esqueci da nossa conversa de mais cedo. Quando eu chegar quero que me conte o que vem te preocupando.
—Que ótimo- Disse revirando os olhos. Eu não queria ter essa conversa. Porque teria que lhe dizer sobre o que era o pesadelo e eu não queria.
—Não faz essa cara. Eu amo você e me preocupo. Quero saber o que te preocupa Edward.
—Eu sei. Desculpe. É só um assunto delicado.
—Quando eu chegar na sua casa você pode me contar tudo. Tudo bem?
—Tudo bem.- Eu sei que eu sou teimoso, mas acredite, Bella é cem vezes pior. Quando coloca alguma coisa na cabeça nada a faz mudar de ideia.
—Agora vamos, antes que Alice venha nos buscar. Isso será muito pior.
—Vamos.
Levei Bella para minha casa e fomos recepcionados por uma Alice muito impaciente. Bella só teve tempo de trocar de roupa antes de ser arrastada para fora. Eu não tinha plano nenhum para a tarde. O que eu realmente queria fazer era passar um tempo com a minha linda namorada, mas minha irmã disse que era estritamente proibida a presença de alguém do sexo masculino nesse passeio que elas fariam.
Pensei em ligar para Emmett, mas ele ainda estava no trabalho e Jasper estava viajando também a trabalho. Jasper era policial, mas eu acho que ele viaja muito para um simples policial. E Alice disse que em algumas noites ele é chamado para seu serviço. Como não entendia como funcionava nunca questionei nada. Mas era um pouco estranho. Decidi me sentar um pouco em meu piano e dedilhar algumas melodias. Fazia algum tempo que não tocava nem escrevia nada. A ultima musica que escrevi foi uma para minha mãe em seu aniversario, mas isso já faz quase dois anos.
Passei os dedos pelas teclas por alguns minutos, quando uma melodia começou rondar minha cabeça. Há alguns meses pensei em escrever uma musica para Bella, mas tantas coisas aconteceram esse ano que eu deixei esse projeto de lado por um tempo. Quando me dei conta já havia se passado quase uma hora e eu já tinha a melodia e uma parte da letra. Acho que a música estava dentro de mim. Eu só precisava colocá-la para fora.
 Eu mostraria a Bella em uma ocasião muito especial
Eu mostraria a Bella em uma ocasião muito especial. Olhei para o relógio e ainda faltava algum tempo antes da minha irmã trazer Bella de volta, então decidi tomar um banho e assistir um filme. Não que eu fosse conseguir assistir o filme todo. Eu estava exausto, com o pesadelo não dorme quase nada noite passada.
Subi até meu quarto e peguei um boxer preta na gaveta e fui em direção ao banheiro. Enquanto tomava meu banho algumas coisas começaram a passar por minha cabeça de novo. Todas elas relacionadas a minha Bella. Era uma boba mesmo, como poderia pensar que eu não a desejava. Nem sei mais quantos banhos frios tive que tomar de madrugada nos últimos meses, depois de acordar de sonhos nada inocentes. Mas minha opinião continuava a mesma. Mesmo eu a querendo, desejando e amando mais do que sou capaz de explicar. Eu queria que ela me quisesse. E não que fizesse algo só porque eu quero. E em alguns minutos o banho quente que eu havia planejado precisou se tornar um banho muito frio para me acalmar. Sai do banheiro apenas com minha boxer. Mesmo eu tendo um banheiro só meu, criei o habito de levar minhas roupas e me vestir no banheiro. Isso depois de certa vez eu sair do banheiro e encontrar Alice espalhada em minha cama. Eu amo minha irmãzinha, mas ela definitivamente não sabe o significado de privacidade. Depois disso só saia do banheiro devidamente vestido. Como ela não estava em casa, não precisava me preocupar com isso. Depois de vestir meu pijama acabei desistindo do filme, e decidi terminar de ler meu livro. Eu estava lendo pela terceira vez "Orgulho e Preconceito de Jane Austen". Sempre adorei literatura clássica. Isso é mais uma coisa que Bella e eu temos em comum.
Deitei-me na cama e comecei minha leitura. Depois de um tempo ouvi alguém me chamando e uma mão balançando meu ombro.
—Edward. Acorde amor.- Abri meus olhos e esperei que se ajustassem. Devo ter adormecido com o livro nas mãos. Bella já havia chego e estava tentando me acordar.
—Bella.
—Você pegou no sono enquanto estava lendo.
—Sim. Eu estava esperando você.
—Agora estou aqui.- Ao ouvir suas palavras a puxei e lhe dei um beijo apaixonado. Eu realmente precisava disso. Senti-la, tocá-la, beijá-la. Estar perto dela já era bom.- Uau... Alguém sentiu minha falta.
—Pode ter certeza- Disse sorrindo.
—Eu também senti sua falta. Alice quer sair para dançar com todos. Está desanimada com Jasper longe.
—Temos direito de escolha?
—Háha. Como se você não conhecesse sua irmã.
—Eu havia me esquecido que o livre arbítrio e ela nunca estão no mesmo ambiente ao mesmo tempo.
—Mas eu conversei com ela, ela nos liberou dessa noite. Seu pai levou sua mãe para jantar fora e Emmett e Rose vão com ela.
—Então não precisamos ir?- Perguntei meio surpreso. Bella deve ter tido um argumento muito bom para impedir Alice de nos arrastar para uma pista de dança.
—Não. Não precisamos.
—E como você conseguiu isso?
—Isso não importa. Podemos conversar agora.- Suspirei mais alto do que pretendia. Eu não queria ter essa conversa com Bella agora. Tudo o que eu queria era aproveitar nossa noite sozinhos.
—Claro.- Ela colocou suas pequenas mãos em meu rosto e olhou no fundo dos meus olhos.
—Edward. Qual o problema?
—Nenhum.
—Isso não é verdade. Se não houvesse problema, você teria me contado sobre o pesadelo mais cedo.
—Não é nada Bella. É sério.
—Eu não acredito. Alice disso que não é a primeira vez que você os tem.
—Então foi assim que conseguiu nos deixar em casa? Contou para Alice?
—Isso não vem ao caso Edward. - Baixei a cabeça. Ela se preocupava comigo. Eu não estava zangado por ela ter contado a Alice. Eu já havia feito. Eu só queria mudar de assunto. - Olhe para mim amor. - Quando não me mexi ela tentou de novo.- Por favor.
—Não é nada Bella. Não podemos deixa para lá?
—Não amor. Não podemos. Se a situação fosse ao contrario, e eu acordasse aos gritos por varias noites você não faria de tudo para me ajudar com isso? E se eu não lhe contasse qual o problema? Então o que faria?
—Claro que sim. Eu tentaria descobrir qual o problema e ajudá-la com isso.
—Então por que não me deixa fazer o mesmo por você?
—Tudo bem. É só... É um pesadelo que eu tenho há algum tempo.
—Quanto tempo?- Não queria responder, então me calei até que ela perguntou novamente. - Edward. Quanto tempo?
—Desde o acidente.
—Mas... Edward isso já faz quase dois anos. Você não pensou que devesse contar para alguém?
—Não. Eu pensei que estava bem com isso. Que eventualmente eles iriam embora.
—E como é ?
—Bella eu realmente não...
—Amor. Para que eu possa te ajudar preciso saber o que esta acontecendo.
—Tudo bem. No sonho eu vejo você. E você está caminhando para mim. Mas nunca me alcança. Você parece assustada então eu tento correr em sua direção. Eu a chamava, mas você não ouvia. Então estávamos na clareira e você estava no meio das flores.
E quando eu me aproximei você começou a correr como se tivesse medo de mim. Chegamos até a cachoeira e você ainda não me ouve e...
—E?
—E o sonho acaba.- Eu não queria contar a parte onde ela não sabia quem eu era, mas infelizmente minha Bella já me conhecia bem demais.
—Edward. Você está editando. Me conta o sonho completo.
—E quando eu me aproximei de você na cachoeira, você não fazia ideia de quem eu era. E quando a chamei de minha Bella você disse que você não era minha e começou a gritar que queria que eu fosse embora. Eu me aproximei de você para tentar te acalmar e você recuou. E quando deu um passo para trás caiu dentro da cachoeira e eu só tive tempo de chamar seu nome como no dia do acidente. - Olhei em sua direção e ela parecia perdida em seus pensamentos. - Bella?
—Então minha falta de memória está causando isso?
—Não. Claro que não. São só minhas inseguranças amor. Não é culpa sua. Viu por que eu não queria contar? Eu sabia que você culparia quando eu...
—Você?
—Eu a amo tanto. E esses pesadelos estúpidos são só o medo de te perder. Apenas isso.
—Você não vai me perder Edward. Nunca.
—Eu sei disso. Foi só... Muito aterrorizante vê-la tão vulnerável e não poder fazer nada. Isso quando éramos apenas amigos. Agora a ideia de ficar longe de você me mata.
—Ei.. –Disse colocando suas mãos em meu rosto mais uma vez. - Eu amo você. Eu estou aqui com você e nunca vou deixá-lo. Entendeu?-Sem conseguir me segurar mais, beijei seus lábios. O beijo começou calmo, mas foi ficando mais urgente. Um segundo depois Bella estava em meu colo com uma perna de cada lado enquanto eu beijava seu pescoço. E suas mãos bagunçavam ainda mais meu cabelo. Ouvi um suave gemido saindo de sua boca.
—Eu amo você minha Bella. Mais do que consigo me expressar em palavras.
—Me mostre então... Hum...
—Como... Posso... Provar... Que a amo... Mais... Que minha... Própria vida?- Consegui dizer entre os beijos que lhe dava em seu pescoço.
—Fica comigo Faz amor comigo?