sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me Capítulo 04- Tente se lembrar


Edward PDV
Pensei que Bella fosse recusar minha carona, mas isso não aconteceu. Quando estávamos a caminho da casa de Bella começou a chover. Senti que Bella estava meio tensa por estar sozinha comigo no carro. Eu nunca faria nada contra ela, mas eu entendia seu ponto. Para ela eu era um estranho, já que ela obviamente ainda não se lembrava de mim. Então tentei puxar assunto para ver se ela relaxava um pouco.
-Então... Você se sente melhor?
—Ahn, me sinto bem. Só um pouco confusa sobre algumas coisas ainda. - Percebi que ela não queria falar sobre sua falta de memória, mesmo não sabendo quem eu era. Ela continuava sendo minha Bella. A garota que se importava com todo mundo e ela era sensível aos sentimentos de todos, sendo assim ela certamente percebeu que me machucou saber que ela tinha me esquecido. Então tentei outra tática.
—Emmett disse que interditaram a ponte, então ele vai demorar um pouco. - Estávamos quase chegando na casa de Bella, mas entenda, aqui é Forks. Quando chove CHOVE, então quando chegamos, o mundo estava desabando pelo céu.
—Ah, tudo bem.
Chegando na casa, parei o carro o mais perto da porta que consegui. Não queria que Bella se molhasse. Eu pensei em entrar com ela, mas achei que ela não se sentiria confortável com isso. Então decidi acompanhá-la até a porta e se ela decidir me convidar ótimo, senão eu iria embora e pronto.
Desci do carro para abrir a porta do carro para ela como eu costumava fazer. Ela pareceu meio surpresa com essa atitude, e isso me deixou um pouco triste, porque percebi que ela não se lembrava das coisas mais simples que fazíamos.
Emmett ainda não havia chego e eu não queria deixar Bella sozinha, mas também não queria impor minha presença. Foi como se alguém tivesse escutado meus pensamentos, porque a chuva que já estava muito ruim piorou.
- Emmett ainda não chegou, e eu realmente não acho que você deveria dirigir nessas condições. Está chovendo muito, é perigoso. - Eu não gosto de me vangloriar, mas eu era um ótimo motorista, e adorava dirigir na chuva. Mas aparentemente Bella não se lembrava disso e como eu queria que ela me convidasse para ficar não disse nada- Talvez fosse melhor você esperar a chuva passar, não quer entrar?
—Acho que você tem razão, se não for te incomodar eu gostaria de esperar a chuva passar.
—Não incomoda Edward, entra. Eu vou tomar um banho, fica a vontade. Emmett não deve demorar a chegar. - Eu não me orgulho desse pensamento, mas desejei que Emmett demorasse o Maximo de tempo possível.
—Tudo bem.
Enquanto Bella subia, resolvi preparar alguma coisa para ela comer. Bella adorava minha comida, pensei que se eu fizesse coisas que ela gostava ou coisas que fazíamos juntos, aos poucos sua memória voltaria e ela se lembraria de mim.
Decidi fazer pizza, já que era uma das comidas favoritas de Bella, e sempre preparávamos juntos. Claro que com o tempo ficamos melhores, já que a primeira que tentamos fazer fizemos mais bagunça do que pizza.
-Edward eu não acho que é uma boa ideia eu cortar os legumes, sabemos que eu iria acabar cortando uma parte de mim junto. - Eu concordei imediatamente. Bella podia se atrapalhar com as coisas mais simples do cotidiano.
—Acho que você tem razão, por que não pega a farinha para mim então?- Antes de me entregar o pacote de farinha, Bella tropeçou em seus pés. O saco de farinha foi para o alto e voltou em sua cabeça, a cobrindo de farinha.
—Por que essas coisas acontecem comigo?- Eu queria responder, mas não conseguia dizer uma palavra, já que não conseguia parar de rir.
—Acha engraçado? Veja se é engraçado agora. - Não tive tempo de desviar. O punhado de farinha que Bella jogou em minha direção me acertou em cheio.
—Você não devia ter feito isso. - Peguei o restante de farinha e comecei a andar até ela, mas Bella notou minhas intenções e começou a correr, e eu fui atrás dela.
-Edward? - Fui tirado de meus devaneios, quando ouvi Bella me chamar.
—Na cozinha, eu fiz o jantar.
—Não precisava ter se incomodado. Mas obrigada.
—Incomodo nenhum Bella, eu gosto de cozinhar e sei que Emmett não sabe fazer nada na cozinha. E você deve estar com fome, não?
—Morrendo de fome, obrigada. - Um sorriso tímido apareceu em seu rosto e não pude evitar sorrir também.
—Eu fiz pizza.
—O cheiro está ótimo mesmo.Você vai comer também não é?- Sorri mais ainda, se ela me perguntou isso, é porque queria minha companhia, por se sentir confortável o bastante na minha presença ou por começar a se lembrar das coisas.
—Claro.
Durante o jantar recebi uma mensagem da Rose dizendo que a antiga ponte foi interditada. E como Emmett trabalhava daquele lado da cidade, ele e o outros ficariam presos lá até liberarem a ponte. O que aconteceria amanha de manha se a chuva passasse. Como a chuva tinha piorado muito Bella disse que se eu quisesse poderia passar a noite e dormir na sala. Tenho certeza de que ela fez esse convite quando tinha certeza de duas coisas. Primeira. Emmett estaria aqui e segunda, ela me considerava inofensivo. Mas agora que Emmett não voltaria para casa essa noite, fiquei como medo de que ela retirasse a proposta. Não por ser perigoso dirigir na chuva, mas porque não queria deixá-la sozinha. Se ela me mandasse embora eu acho que ficaria no carro esperando. Não conseguiria ir embora.
- Rose mandou mensagem.
—Ela vai vir com Emmett?
—Não. Interditaram a antiga ponte...Emmett não pode passar.- Já estava esperando ela me mandar embora.Mas ela me surpreendeu como só ela consegue.
—Ahh. Talvez seja melhor mesmo. É perigoso dirigir com um tempo desses. Vou arrumar a cozinha, estou um pouco cansada.
—Eu te ajudo.
—Como Emmett não vai voltar pra casa essa noite. Você pode dormir no quarto dele se quiser. Você não vai ficar muito confortável no sofá.- Ela baixou os olhos.
—Tudo bem pra você se eu ficar? – Queria ter certeza de que ela estava confortável com isso. Essa é a casa dela.
—Claro. É como eu disse. Não quero que Emmett dirija com esse tempo. E não seria certo te mandar embora também.
—O sofá está ótimo Bella.
Enquanto arrumávamos a cozinha. Minha Bella sendo minha Bella tinha que derrubar o pacote de farinha quando foi guardá-lo no armário. Foi quando as memórias daquela noite de pizza pairaram na minha cabeça de novo. Parecia ter sido a vidas atrás.
-Olha a bagunça que você fez.
—Eu fiz? Quem jogou farinha em mim foi você. - Ainda estávamos limpando o chão coberto de farinha depois da nossa pequena guerra. Guerra essa a qual Bella se rendeu depois de eu ter a encurralado e a coberto de farinha.
—Emmett vai matar nós dois quando ele chegar- Ela ainda sorria. Como ela ficava linda sorrindo...
—Nós dois sabemos que é você que mantém essa casa arrumada Bella. Emmett nem sonharia em brigar com você por ter feito alguma bagunça.
—É você está certo. De qualquer jeito a culpa foi sua. Eu não teria jogado farinha se você não tivesse rido de mim.
—Não pude evitar Desculpe. - Disse rindo ainda mais por lembrar da cena.
—Vou me limpar. E você deveria fazer o mesmo Gasparzinho.- Bella ria enquanto subia as escadas.
Eu teria rido da situação. Mas como Bella não se lembrava da nossa guerra de farinha, teria se sentido constrangida. Então peguei um pano e a ajudei a limpar o chão.
Bella estava abaixada e foi quando eu vi o colar que dei a Bella em seu aniversario de 16 anos. Nele dizia I Love You e To The Moon & Sun. Que era uma representação minha e da Bella. Eu gosto dos dias e Bella sempre adorou as noites. Um de seus hobbies favoritos é admirar as estrelas e a lua. Por isso achei o colar perfeito. Quando terminamos de limpar a bagunça, decidi perguntar a Bella sobre o colar. Queria saber até onde ela se lembrava dos momentos que vivemos.
-Bonito colar.
—Ah é sim. Ele é. Eu adoro a noite e a lua... –Ela fez uma pausa como se tivesse tido um estalo- Mas você já sabe disso não é?
—Sei –Sorri meio envergonhado.
—Enfim. Estava mexendo nas minhas coisas e o encontrei dentro de uma caixinha de música.
—Sabe quem te deu?- Perguntei com uma pequena gota de esperança de que ela se lembrasse pelo menos que eu havia dado o presente.
—Foi.. –E foi como se o cérebro dela tivesse parado por um momento. Porque ela olhou para o vazio como se estivesse vasculhando a cabeça atrás de informações.-Foi... Droga de falta de memória.
—Tudo bem não se lembrar. Eu sei quem deu. Gostaria de saber?
—Claro. Quem me deu deve saber o quanto eu adoro ver as estrelas e...- Ela parou por um segundo.- Foi você não foi? Que me deu o colar?
—Você se lembra?- Aquela gota de esperança cresceu ainda mais. Será que ela se lembrou?
—Não. Não lembro. Mas você é tecnicamente meu melhor amigo pelas historias que Rose e Alice me contaram. E aí você perguntou do colar. Você me dar o colar foi a única coisa que faria sentido.Estou certa? Foi você?
—Foi. Eu dei a você no seu aniversario de 16 anos. Era uma representação de nós dois.Você sempre adorou a lua e eu gosto da luz do sol.
—É muito bonito. E caso eu não tenha dito antes. Eu adorei. Obrigada.- Não pude deixar de sorrir e um som me escapou- O que foi?
—Nada- Eu sabia que devia estar corado, mas não pude evitar o sorriso.
—Então por que está rindo?
—Pelo que você disse. Acredite. Você disse que gostou. Muito.
—Ah eu...- Um olhar de frustração passou por seus olhos. Era como se ela quisesse se lembrar, mas não conseguia.
—Gostaria de ouvir a historia?- Aquele olhar foi substituído por um largo sorriso quase que no mesmo instante em que as palavras deixaram minha boca.
—Gostaria sim. Por favor.
Contei a Bella como ela havia reagido quando eu lhe dei o colar e como ela disse que havia adorado e nunca mais tiraria. Contei que ela fez questão de mostrar a todos e não parava de dizer o quão perfeito era. Ela ficou assim por semanas, até que Emmett havia ameaçado esconder o colar se ela não parasse de falar nele. Então ela finalmente parou de falar sobre o colar, mas nunca o tirava de seu pescoço.
No dia do acidente ela também estava usando. Mas precisaram tirar de seu pescoço para realizar a cirurgia. Depois de algum tempo conversei com meu pai sobre o que havia acontecido e ele me disse que Bella sofreu um traumatismo craniano e que só poderíamos saber se ela teria alguma sequela quando acordasse.
Terminei de contar a historia do colar para Bella e seus olhos brilhavam, não me parecia reconhecimento ou lembranças, mas felicidade em imaginar como as coisas eram entre nós. E quando pensei que ela estava cansada de me ouvir falando. Minha Bella me surpreendeu novamente.
- Edward?
—Sim?
—Pode me contar mais historias. Sabe? Como essa do colar. Historias de ...- Ela parou como se estivesse com vergonha. Não entendi a princípio. Mas depois percebi que ela queria que eu contasse histórias de nós dois. E não pude evitar sorrir.
—Nós dois?
—É. Histórias de nós dois.
— Claro que posso contar Bella. Deixe me pensar por qual começo.
Contei como nos conhecemos. Com ela me acertando em cheio com a bola de baseball, sobre quando passeávamos de bicicleta pelo parque e ela sempre se ralava, mas não queria parar porque gostava de sentir o vento em seu rosto. Contei quando fingi ser ruim em matemática só para ter uma desculpa para ir até a casa de Bella depois da aula, já que ela era ótima. Contei da vez que tentamos fazer pizza mas acabou virando uma guerra de farinha.Nossos passeios pela clareira que havia perto da casa da avó de Bella. E por ultimo nossas idas até a cachoeira. Quando terminei vi que seus olhos estavam marejados e parecia que ela estava segurando as lagrimas.
- Bella? Eu disse algo errado? Me perdoa eu não queria. - Pensei que ter mencionado nossos passeis pela cachoeira devia ter causado algum tipo de dor psicológica nela. Ela não se lembrava do acidente. Mas como todas as nossas lembranças. As lembranças do acidente ainda estavam lá. Mesmo que escondidas.
—Não. Você não fez nada Edward. Sou eu. Essas historias que você contou. Eu quero me lembrar delas. E não consigo. Isso é só... Muito frustrante. É como se faltasse uma parte de mim. E eu odeio isso.
— Não queria que se sentisse assim. Machuca-me te ver sofrendo. Quer que eu pare com as historias?
—Não. Continue por favor.
Continuei contando todas as nossas historias com o maior numero de detalhes que me lembrava. Foi quando percebi que Bella havia adormecido no sofá.
Eu sabia que seu sono era pesado. Mas e seu eu a carregasse e ela acordasse no meio do caminho? Isso sem duvida destruiria a confiança que conquistei até agora. Mas também não podia deixá-la no sofá. Então resolvi arriscar.
A carreguei até seu quarto como já havia feito outras vezes. E eu tinha razão porque ela nem se mexia em meus braços de tão pesado que seu sono era. A coloquei gentilmente na cama e a cobri.
Não pude resistir e depositei um beijo em sua testa enquanto desejava boa noite.
-Durma bem Minha Bella.
Era tão bom dizer isso em voz alta novamente. Desde que descobri que ela não se lembrava de mim. Vinha evitando chamá-la assim para não confundir sua cabeça ou envergonhá-la. Mas finalmente pude dizer. Minha Bella.
Depois de fechar a porta de seu quarto deitei no sofá e adormeci, ainda pensando nas historias que contei a Bella hoje. E só desejava que um dia as coisas voltassem a ser como eram.
O aniversario de Bella seria dali a duas semanas então resolvi pedir ajuda da minha irmãzinha Alice para poder realizar meu plano para o presente de Bella.
Eu só esperava duas coisas. Que Alice e Rose me ajudassem porque sozinho não conseguiria fazer tudo. E que Bella gostasse da surpresa.