sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me - Capítulo 02 Parece que falta alguém

Bella PDV
Peguei impulso e corri em direção à cachoeira, mas eu sendo eu, tinha que escorregar no último passo. A última coisa que me lembro é de ouvir alguém gritando meu nome, bater a cabeça e então a escuridão de dominou.
Eu não sentia dor, só um cansaço que parecia que nunca ia embora.
Eu estava sonhando com meu pai, Charlie. Ele era chefe de policia aqui em Forks, mas eu sabia que era um sonho. Não tinha como ser real, ele morreu em uma emboscada em seu trabalho há alguns anos.
Eu tinha 14 anos e meu irmão Emmett tinha 16. Ele e meu pai estavam jogando baseboll e quando eu pedi para jogar, Emmett disse que eu era muito atrapalhada e iria acabar me machucando ou acertando alguém. 
Meu pai era u m homem justo, então fez Emmett me deixar rebater uma vez, e era tudo que eu precisava.

Emmett lançou a bola, e eu estava tão determinada a acertar aquela bola e provar para meu irmão que eu não era tão desastrada quanto ele dizia, que quando consegui rebater, não vi o garoto que passava de bicicleta na rua até que a bola acertou direto em sua cabeça.

“-Eu disse que você ia acertar alguém baixinha.
—Cala a boca Emmett, eu não vi – Já estava indo em direção ao garoto, e quando me aproximei notei muitas coisas sobre ele. Ele era alto, não tão alto como meu irmão, mas ninguém que eu conheço é tão alto quanto Emmett. Meu irmão tinha só 16 anos e parecia um armário.

Mas enfim, quando fui chegando mais perto, reparei que esse garoto tinha os cabelos de uma cor que eu nunca tinha visto, era meio acobreado, pensei nunca ter visto nada tão bonito, até que ele abriu os olhos e revelou duas esmeraldas gigantes.

“- Desculpa eu não te vi, eu sinto muito. Você está bem?
—Você tem uma boa rebatida. - Se ele estava fazendo piadas sobre isso, não deve estar machucado, mas perguntei de novo.
—Você está bem?
—Vou sobreviver. Alias meu nome é Edward, me mudei aqui para a rua essa semana. E você?
—Eu moro aqui já faz alguns anos. – Eu entendi o que ele quis dizer mas se ele estava brincando, eu também poderia entrar no jogo.
—Engraçadinha, quis dizer qual o seu nome. - disse isso enquanto se levantava.
—Meu nome é Bella.
—Bom Bella, essa não foi à melhor das boas vindas, mas foi legal de te conhecer- Ele me olhou com aqueles lindos olhos verdes e foi embora”

“- Eu sinto muito Bella... Volta pra mim- Eu ouvia, mas o som parecia estar tão longe, e eu não reconheci o dono da voz.”
Então eu me vi em um campo, meu pai já não estava comigo. La longe desse campo tinha um tipo de luz, mas quanto mais perto eu chegava, mais cansada me sentia. Mesmo assim continuei caminhando.
Quando finalmente cheguei até a tal luz, uma escuridão me envolveu. Tentei abrir meus olhos, mas não consegui. E no momento que tentei chamar por alguém senti minha garganta seca. Forcei-me a abrir os olhos mais uma vez, e dessa vez fui cegada por uma claridade insuportável. Tentei novamente e dessa vez deixei que meus olhos se ajustassem a claridade.
Quando olhei em volta vi meu irmão sentado em uma cadeira perto da cama onde eu estava. Tentei chamar por ele, mas tudo que saiu da minha garganta foi um som esganiçado.
Ele olhou direto em minha direção, e abriu o maior sorriso que vi em seu rosto desde a época que nosso pai morreu.

“– Baixinha você acordou. - Ele me chamava assim desde que eu me lembrava, era um apelido carinhoso, então não me importava.
—Hey...- Queria dizer mais coisas e perguntar o que aconteceu, mas minha garganta não me deixou dizer mais nada.
— Não se mexe muito baixinha, vou chamar uma enfermeira. - Ele saiu do quarto enquanto eu tentava me lembrar o que aconteceu.”
Enquanto eu esperava tentava me lembrar de alguns fatos sobre minha vida.
Eu sabia meu nome, sabia que tinha 19 anos, sabia que tinha meu irmão Emmett, sabia que meu pai tinha morrido fazia uns 3 anos e minha mãe morreu me dando a luz. Isso era o que eu consegui juntar até agora.
“-Então mocinha, como se sente- A enfermeira perguntou depois de me dar um pouco de água.
—Me sinto bem, eu acho. - Vi que tinha um crachá em seu pescoço, ela se chamava Ângela.
—Isso é bom, vou chamar o Dr. Cullen, para que ele possa fazer alguns exames.”
Cullen...Esse nome não me era estranho, mas parecia que tinha algum bloqueio que não me deixava pensar muito mais sobre isso.
Um médico de cabelos loiros bem aparados entrou no meu quarto, então ele deve ser o Dr. Cullen.
“-Bella, finalmente acordou- Não sei dizer o porquê, mas pelo tom que ele chamou pelo meu nome parecia que ele me conhecia alem dessa cama de hospital.
— Parece que sim.- Então vi seu crachá de identificação e um nome veio em minha cabeça “Carlisle”, acho que seu nome era esse.- Carlisle?
—Sabe meu nome, isso é uma coisa boa. Vou fazer alguns exames em você, tudo bem Bella?
—Acho que sim. – Como demorei para reconhecê-lo, estava meio inquieta para descobrir o que mais estava faltando dentro da minha cabeça. Só que quanto mais eu pensava sobre o motivo de estar aqui, mais minha cabeça doía.”
Depois que Carlisle foi embora, meu irmão voltou para meu quarto e ele estava acompanhado por uma garota loira, que era tão linda que poderia ser facilmente considerada uma modelo.

“- Bella se lembra da Rose não é? - Rose, Rose, esse nome ficou rodando na minha cabeça, então percebi o olhar de preocupado de Emmett e a garota estava a ponto de chorar. Então me forcei a lembrar Rose, Rose, e do mesmo jeito que foi com o Carlisle, a parede se rompeu do nada. Rose, a namorada do meu irmão.
—Claro que me lembro da Rose. - Sorri meio constrangida por ter demorado tanto para reconhecê-la.
—Ah Bella, você me assustou por um momento garota, você está bem mesmo? Sente dor em algum lugar? Lembra-se de alguma coisa?
—Calma Rose, deixa a Bella organizar as idéias.
—Emmett Swan não me peça para me acalmar, minha melhor amiga acabou de acordar e eu quero saber como ela está.
—Eu sei amor, mas precisa dar um tempo pra ela.
—Eu estou bem Rose, não sinto dor e não me lembro do que aconteceu.
—Ah querida eu vou-te contra tudo. - Mas antes que ela me explicasse qualquer coisa uma baixinha de cabelo escuro entrou no quarto feito um furacão. Eu não pensei que alguém tão pequena pudesse ser tão animada. Ela estava acompanhada por um rapaz loiro, que do jeito que estavam de mãos dados, presumi que fosse seu namorado. Mas aquele paredão idiota surgiu de novo, então não me lembrava de seus nomes.
—Beellaaaaa você acordou! – Ela veio em minha direção, mas o garoto loiro a segurou.
—Alice querida, acho que a Bella não pode ter toda essa animação por enquanto, por que não se acalma?
—Me desculpe Jasper, você tem toda razão, é que eu estou tão feliz que ela finalmente acordou, que nem pensei que ela podia estar com alguma dor. Você está bem Bella?- Então seu nome era Alice e o garoto era Jasper. Pensa Bella... Claro, Rose e Alice eram minhas melhores amigas, e Jasper era seu namorado.
—Estou sim Alice, é bom te ver também Jasper.”
Muito bem, então eu sabia meu nome, sabia que tinha 19 anos, e pelo tempo que Emmett me disse que eu fiquei em coma, meu aniversario seria daqui duas semanas, sabia que tinha meu irmão Emmett, sabia que meu pai tinha morrido fazia uns 3 anos e minha mãe morreu me dando a luz. Minhas melhores amigas eram Rose e Alice e eu tinha meu amigo Jasper também. Mas eu sentia que faltava alguma coisa.
Rose estava me contando o que havia acontecido, parece que eu estava em uma cachoeira e escorreguei e bati a cabeça. E estava em coma desde então. Já se passou quase um ano, mas antes que ela me contasse mais coisas, um garoto entrou no quarto e chamou por mim.
“-Bella?
—Sim?- Eu respondi forçando minha cabeça a lembrar pelo menos o nome dele, porque parecia que ele me conhecia, mas eu não tinha a menor idéia de quem era ele.
—Bella, eu... -Ele começou a falar e eu não sei explicar, mas o olhar dele parecia uma mistura de culpa, alivio e alegria, tudo isso junto. E essa parede não tinha caído ainda, e ninguém disse seu nome para me ajudar, então não tive outra escolha se não de perguntar.
—Desculpe, mas eu te conheço?- Assim que essas palavras saíram da minha boca, parecia que o pobre garoto tinha levado um chute, também vi que tanto Rose quanto Alice pareciam estar a ponto de chorar.
—Bella, é o Edward, você não se lembra dele?- Alice fez a pergunta que o garoto não conseguiu formular. Então Edward era seu nome, com essa informação esperei a parede cair. Mas aconteceu uma coisa muito estranha. Ela não caiu, eu não me lembrava dele. Eu vi que ele não parava de me encarar, então tive que contar que não me lembrava.
— Eu não sei, minha cabeça está um pouco confusa agora, deve ser o remédio que a enfermeira aplicou- Eu não sabia mais o que dizer, só sabia que o lindo garoto ainda estava com a cara petrificada e eu pensei que ele estava em choque até que ele finalmente disse alguma coisa.
— Bella, sou eu. Edward. Você realmente não se lembra de mim? Eu sinto muito você estar aqui, isso é tudo minha culpa. - Quando ele disse que era sua culpa, a principio não entendi. Rose disse que eu escorreguei e cai, mas ele disse essas palavras com tanta certeza que por um segundo eu acreditei. Então quando ele se aproximou da minha cama eu me retraí. Não me leve a mal, foi um reflexo.
—Edward já concordamos que tudo isso não passou de acidente estúpido não foi?- Rose disse ao garoto enquanto ele se afastava depois de perceber que eu não estava confortável com sua aproximação.
—Por que não deixamos Bella descansar?- Disse a pequena Alice depois de perceber que eu me sentia mal por não me lembrar de Edward, e por perceber que ele parecia tão chocado quanto os outros. Tudo que eu pensei dessas reações é que Edward devia ter um papel muito importante na minha vida. Mas se isso era verdade, então por que não me lembrava dele?
—Acho que você tem razão Alice, é melhor ela descansar mesmo. - Disse Edward depois de algum tempo sem conseguir formular nenhum comentário. - Vejo você mais tarde Bella.
—Tudo bem Edward- Tentei confortá-lo pronunciando seu nome, mas acho que não fiz um bom trabalho, porque ele saiu do quarto com a cabeça baixa.”
Todos foram saindo do meu quarto aos poucos, o único que ficou foi meu irmão. Eu sabia que ele faria perguntas as quais eu não queria ou não sabia como responder.
“Você realmente não se lembra dele Bella? – Com ele, eu sabia a quem meu irmão se referia. Edward é claro.
—Não, mas como eu disse, estou um pouco confusa ainda. Deve ser pelos remédios que a enfermeira aplicou.
—Você se lembra de alguma coisa do acidente?- Eu não estava mentindo sobre os remédios, só a parte que eles me impediram de lembrar-me Edward, mas eu já estava meio sonolenta.
—Não me lembro de muita coisa, só de correr e escorregar. Eu não tenho certeza, mas acho que me lembro de alguém chamando meu nome e mais nada, só um apagão. - Emmett deve ter percebido que estava cansada então parou com as perguntas.
—Tudo bem baixinha, vou deixar você descansar agora.”
Assim que fechei os olhos adormeci. Quando acordei já era de noite e vi minha avó sentada na cadeira perto da minha cama.
“Está tudo bem querida, vovó está aqui. - Eu devia parecer meio desorientada para ela ter dito isso.
—Que horas são vovó? Cadê todo mundo?
—Ainda é madrugada meu amor, todos foram para casa. Eles vão voltar pela manhã. Sabe querida, Edward é sempre o primeiro a passar aqui no hopital.Durante todo esse tempo ele tem vindo bem cedo, vai para a faculdade e depois volta, eu não acreditei quando Emmett me disse que você não se lembrava dele.
—Eu tentei me lembrar vovó. Não entendo o que aconteceu. Que Emmett não descubra, mas tive dificuldade para lembrar de todo mundo.
—Mas você se lembrou não foi?
—Depois de ouvir seus nomes foi como se uma parede tivesse sido derrubada, mas mesmo quando ouvi o nome de Edward a parede continuava lá- Não tinha motivos para mentir para minha avó. Desde que meu pai se foi, ela tem sido minha confidente em tudo.
—Ah querida, tenho certeza de que com o tempo você vai se lembrar.
—É o que eu mais quero vovó.
—Agora volte a dormir querida, amanhã é um novo dia. Boa noite Bella.
—Boa noite vovó.”
E minha avó tinha razão, quando acordei me sentia muito melhor. Não me sentia tão cansada e tudo estaria muito bem, se não fosse o mesmo problema desde quando eu acordei. Ainda não me lembrava quem era  Edward e em que parte da minha vida ele se encaixava.
“-Bella, trago ótimas noticias. Os resultados dos seus exames saíram e você esta muito bem. Vai receber alta hoje à tarde. - Fiquei muito animada com a noticia que Carlisle me deu. Não agüentava mais essa cama de hospital.
—Que ótima noticia Carlisle. Meu irmão vai vir me buscar então?
—Isso eu não sei Bella, mas eu vou ligar para ele e perguntar.
—Tudo bem então. - E ele saiu do quarto.”
Mais tarde Carlisle disse que Emmett estava preso no trânsito e não ia conseguir vir me buscar e como Edward já estava perto do hospital Emmett pediu que ele me levasse para casa. Rose me garantiu que Edward não tinha culpa nenhuma do acidente como ele havia dito no outro dia, mas mesmo assim, para mim ele ainda era um desconhecido. E meu pai sempre me ensinou a nunca pegar carona com desconhecidos.
Por isso quando ele veio me buscar tentei explicar que preferia esperar meu irmão, foi quando aquela expressão de alguém que foi chutado retornou a seu rosto.
“-Ainda não se lembra de mim não é?
—É como eu disse ontem Edward, minha cabeça ainda está confusa e eu não me lembro de muitas coisas. Não leve pro lado pessoal, tenho certeza de que logo vou me lembrar. - Eu já estava quase reconsiderando a idéia da carona quando aquela expressão não deixava seu rosto. E foi quando ele se mostrou tão compreensivo, que eu decidi que ele não poderia me fazer mal, e resolvi aceitar sua carona.
—Não faz mal Bella- Ele disse com um sorriso meio triste- Eu entendo se você não quiser aceitar minha carona. Eu posso ligar para Rose ou Alice se você quiser.
—Não, não precisa. Você veio até aqui para me buscar. Eu aceito sua carona- Dei o melhor sorriso que consegui para tentar convencê-lo que estava tudo bem, mas de novo  não devo ter feito um bom trabalho, porque ele me olhou como se tivesse tantas duvidas quanto eu.
—Tem certeza?- Ele me olhou com aqueles olhos verdes... Aqueles olhos, não me eram estranhos. Mas minha cabeça ainda doía muito quando eu tentava me lembrar, então resolvi deixar para lá por um tempo e aceitar sua carona por agora.
—Tenho sim.