sábado, 4 de março de 2017

Fanfic Remember Me - Capítulo 01 Isso não pode estar acontecendo

Edward  PDV
“-Nenhuma melhora ainda pai? - Pergunto para Carlisle, com esperança de que ele me de alguma boa noticia.
—Infelizmente ainda não meu filho, o caso de Bella é mais complicado do que parece.
—Mas ela vai acordar não é? –Pergunto lutando para segurar as lagrimas, mas como ele não ousa me responder, refaço minha pergunta um pouco mais alta dessa vez- Não é?
—Edward, como eu disse o caso de Bella é mais complicado do que parece, e já faz quase um ano desde o acidente.”
O acidente...
Quando me lembro desse dia sinto muitas coisas, culpa sem duvida é a maior delas.
“– Você não vem? A água ta uma delicia, não sabe o que ta perdendo! - Eu tento mais uma vez convencê-la a entrar na água, como se isso fosse fazer-la mudar de ideia.
— Claro que eu não vou entrar aí, ou você esqueceu que eu não sei nadar?
— Eu sei disso Bella, eu estava pensando em te segurar – Tentei não corar, falhando miseravelmente quando as palavras me escaparam, não era para ter saído assim, não seria a primeira vez que eu a segurava. Eu estava apaixonado pela Bella já fazia algum tempo, mas ela nunca pareceu sentir o mesmo, então tive medo de contar a verdade e ela se afastar. E ter Bella como minha melhor amiga era melhor do que não te-la em minha vida.
— Edward, a cachoeira é muita mais funda do que a piscina na casa dos seus pais, você não vai conseguir me segurar e nadar ao mesmo tempo.
— Claro que eu consigo te segurar Bella boba, vamos lá, pula.”
Se eu não tivesse insistido, ela estaria bem. Se eu a tivesse segurado, ela estaria bem.
Isso é o que mais me causa insônia durante as noites. O se...
A Imagem que mais me atormenta durante as noites é a de Bella correndo em minha direção, e de repente ela escorrega e bate a cabeça. A única coisa que tenho tempo de fazer é gritar seu nome.

“-Bellaaa”
Quando me aproximo ela esta inconsciente, respirando, mas inconsciente. Não tem sangue em parte alguma, eu chequei duas vezes. Acho que nunca corri tanto em toda minha vida. A embrulho na toalha e a levo em direção de meu Volvo. Agradeço mentalmente por ela ter insistido em vir de carro, já que eu queria vir caminhando.

Enquanto dirijo em direção ao hospital mil coisas se passam pela minha cabeça, mas um só pensamento predominava “Por favor, por favor, esteja bem”.
Meu pai Carlisle é médico, então ligo para ele enquanto dirijo até o hospital.
“- Alô?
— Pai, pai, por favor, por favor, me encontre no hospital eu... - Mas antes que eu conseguisse explicar ele me interrompeu.
— Edward, qual o problema? Você está ferido meu filho?
— Não pai, é a Bella. Estávamos na cachoeira e ela escorregou. Por favor, por favor, me encontre no hospital, ela não acorda pai.
—Se acalme meu filho, estou a caminho do hospital, encontro vocês lá.”

10 meses, 3 semanas e 5 dias... Esse é o tempo que já se passou desde o acidente.
Ela não precisa mais da ajuda dos aparelhos para respirar, mas por alguma razão que nem eu nem meu pai conhecemos, ela não acorda.
Carlisle disse que clinicamente falando não há nada de errado com Bella, mas ela simplesmente não acorda. E como ela não acorda os médicos não podem dizer se a lesão que ela sofreu pode ter causado alguma seqüela.
Às vezes eu me pegava imaginando ela acordando comigo ao seu lado na cama de hospital, e meu pai sabia disso.
Por isso quando pensei ter sentido um movimento de seus pequenos dedos sobre os meus a 2 semanas atrás e contei para Carlisle, ele pensou que eu estava delirando.
A essa altura todos sabiam do acidente de Bella. Seu irmão Emmett e sua avó Marie eram tudo que Bella tinha quando se tratava de família. Seus pais Charlie e Renée morreram já há alguns anos, em circunstâncias diferentes. Charlie era policial, e morreu quando sofreu uma emboscada no trabalho, sei que  Bella sente muita falta do pai, que morreu faz apenas 3 anos. Quanto a sua mãe, Bella não sente exatamente saudade, já que Renée morreu durante o parto de Bella. Ela nunca admitiu, mas eu sei que Bella se culpa pelo que aconteceu.
Bella podia não ter muitos familiares, mas tinha bons amigos. Rose que era namorada de Emmett, Jasper que era um bom amigo e minha irmãzinha caçula Alice. Todos aguardavam ansiosamente por noticias sobre o caso de Bella, inclusive eu.
Depois que Bella chegou ao hospital e foi internada, meu pai me pediu para que ligasse para Emmett e para a avó de Bella.
Eu estava evitando esse telefonema por uma mistura de medo e culpa. Mas quando Carlisle disse que Bella precisaria ser submetida a uma cirurgia, logo imaginei que precisaria também de um doador de sangue. Eu mesmo teria me oferecido para isso se eu já não soubesse que o tipo sangüíneo de Bella é raro, então só seu irmão poderia fazer essa doação.
Como as mãos ainda tremendo peguei meu celular e disquei o numero.
“-Eddiee, já cansou de passear com minha irmãzinha? – Eu realmente precisava contar que aconteceu, os médicos estavam perdendo tempo e Bella precisava entrar em cirurgia imediatamente.
— Emmett, me escuta, aconteceu um acidente, Bella e eu estávamos na cachoeira e ela...
—Como assim aconteceu um acidente, Edward? Cadê a Bella? Ela se machucou? Quero falar com ela.
— Calma Emmett, ela... - Mas ele não me deu chance de explicar nada.
—Não me peça calma, eu quero falar com minha irmã... AGORA. Onde vocês estão?
— Eu a trouxe para o hospital, e ela precisa passar por uma cirurgia, mas precisa de sangue, e o hospital não tem o suficiente do tipo dela.
— Estou indo parai agora.”
Eu realmente não queria contar que Bella estava nessa situação por minha culpa. Não por medo do que o  Emmett provavelmente faria comigo, porque eu merecia. Mas porque me matava saber que eu coloquei a vida da garota que eu amo em risco, e o pior, por uma estupidez.
“- Onde ela está? - Nunca vi Emmett tão desesperado.
—Ela vai entrar em cirurgia, mas precisa do sangue.”
Uma enfermeira levou Emmett para recolher o sangue que Bella precisaria. Mas uma hora depois, ele volta e o olhar dele só diz uma coisa. Ele quer respostas.
“- Eu não entendo Edward, ela não sabe nadar. Por que estava tão perto da água? - Foi quando vi que não tinha mais como adiar a verdade.
— Eu sinto muito Emmett, muito mesmo, ela não queria entrar. Se eu soubesse que isso aconteceria eu nunca... - Um soluço me escapou, não percebi que lagrimas escorriam até ouvir meus soluços.
—Sente por que Edward? Foi um acidente, não foi?
—Bella não queria entrar, eu disse que a pegaria, e seguraria como eu faço na casa dos meus pais. Ela não queria, mas eu insisti. E ela resolveu entrar. Mas no ultimo passo antes de entrar na cachoeira ela escorregou. Eu sinto muito, é tudo minha culpa eu...” 
A única coisa que me lembro depois disso foi o punho de Emmett vindo em direção ao meu nariz. Eu merecia aquilo.
Emmett só voltou falar comigo normalmente depois que retiraram os aparelhos de Bella.
“- Edward, eu... eu queria me desculpar
—Está tudo bem Emmett.
—Não, não está. Eu não devia ter te batido aquele dia, eu só perdi a cabeça e...- Emmett parecia tão envergonhado, mas eu não o culpava. Eu mereci aquele soco. Foi minha culpa.
—Emmett, de verdade, está tudo bem. Eu entendo que você estava nervoso e perdeu a cabeça por um segundo.
—Obrigado Edward, eu espero que agora que tiraram os aparelhos dela, ela não demore pra acordar.
—Eu também espero Emmett. Eu também espero.”

“-Nenhuma melhora ainda pai? - Pergunto para Carlisle, com esperança de que ele me de alguma boa noticia.
—Infelizmente ainda não meu filho, o caso de Bella é mais complicado do que parece. Ela pode acordar hoje, daqui um mês ou anos Edward.
—Mas ela vai acordar não é? –Pergunto lutando para segurar as lagrimas, mas como ele não ousa me responder, refaço minha pergunta um pouco mais alto dessa vez- Não é?
—Edward, como eu disse o caso de Bella é mais complicado do que parece, e já faz quase um ano desde o acidente. Vamos esperar e torcer para o melhor meu filho."
Eu venho para o hospital todos os dias desde o acidente, eu estou no primeiro ano de medicina, então venho depois das minhas aulas e só vou embora a noite, já que como não sou da “família”  não posso passar a noite.
Eu tinha saído para comprar um café, mas quando voltei percebi um tumulto na ala do hospital onde Bella estava internada, todos estavam a sua volta e meu coração se encheu de alivio, alegria e amor.
Bella acordou...
Quando me aproximo a vejo conversando com Rosálie e Alice, que estão abraçadas a seus namorados.
“-Bella?- Chamei por ela quando percebi que os outros estavam com umas caras estranhas, mas não me importava, tudo que me importava era que minha Bella estava acordada. 
—Sim?- Ela parecia estar com um olhar tão confuso.
—Bella, eu... - Quando comecei a falar e seu olhar confuso não passava, tudo que eu pensei foi que ela se lembrava do acidente, e me culpava por tudo que aconteceu, mas o que eu ouvi de seus lindos lábios rosados foi um milhão de vezes pior.
—Desculpe, mas eu te conheço?”