quinta-feira, 23 de março de 2017

Fanfic I Will Love You Forever Capítulo 05- 1864

Ano de 1864 – Tenese
—Então vai pedi-la em casamento mesmo meu amigo?
—Certamente que vou Dale
—E o pai dela já sabe disso?
—Falei com le ontem a noite. Pretendo fazer o pedido hoje mesmo.
—Quem diria hein? Anthony Cullen casado.
—Muito engraçado. E você? Quando pretende fazer o pedido para Rosa?
—Ora, Rosa é tão complicada.
—O que quer dizer com isso?
—Uma hora ela está um amor, e logo em seguida parece que tentei arrancar seu vestido de tão nervosa que ela fica.
—Rosa tem uma personalidade forte.
—Você fala como se Marie não fosse 100 vezes mais teimosa.- Ele disse rindo.
—Sim, mas eu ainda a amo. Só tenho medo de não ser o bastante para ela. Ela tem opções tão melhores do que eu.
—Voltou a ter problemas com o principezinho?
—E um certo Major também. Ela recebeu flores na manhã passada.
—Eu lhe disse. Eu conheço uns homens que ficariam felizes em lhe ensinar uma lição.
—Oh claro, porque ser preso por agredir o príncipe e um major é  tudo que desejo. Não, está tudo bem. Quando nos casarmos pretendemos sair da cidade. Juntamos algumas economias e temos o bastante para isso.
—Acho que faz bem. Se pudesse é o que eu faria com Rosa.
—Tenho que ir agora.
—Nem preciso perguntar onde não é? Sempre que vai vê-la fica com essa cara de pastel.
—Pare de  agir como se não fizesse a mesma cara quando vai visitar Rosa.



—Ei.- Anthony disse puxando Marie para um beco e a rodeando com seus braços.
—Por Deus Anthony! Você me assustou.
—Sinto muito. Não pude mais ficar longe de você.
—Também senti sua falta.
— Como um passeio pelo rio lhe parece?- Ele perguntou ainda a mantendo junto ao seu corpo.
—Muito bom.- Ela sorriu e o beijou, mas antes que puderam ouvir alguém pigarreando.
—Major Whitlock...- Anthony disse mal humorado.
—Sabe senhorita, não é de bom tom para uma senhorita solteira ficar tão próxima de um cavalheiro.
—Sabe Major, perseguir moças comprometidas também não.- Anthony respondeu petulante.
—O senhor tem consciência que posso prende-lo por desacato senhor Cullen?
—Não vejo porque disso Major. Eu estava aproveitando meu tempo com a minha noiva.
—Noiva?- Ele perguntou olhando para Marie.
—Sim Major Whitlock,  senhorita Marie é minha noiva. Algum problema?
—De modo algum. Meus parabéns aos dois.- Ele disse com um olhar triste para Marie e saiu.
—Noiva é?
—Bem... Eu faria o pedido a noite, mas não pude me controlar quando vi como aquele cabeça de vento a olhava.- Ele disse tirando do casaco uma caixinha simples.
—Oh Anthony!! – Ela disse o beijando e olhando o anel.- É tão lindo!!
—Era de minha mãe. Antes de morrer ela disse para presentear a mulher que eu amo.
—Eu realmente adorei. Não posso acreditar!! Nós vamos nos casar!
—É tudo que mais quero. Agora, que tal o passeio?- Ele segurou sua mão e foram caminhando até o rio.


—Eu adoro o tempo que passamos aqui, mas mal posso esperar para que tenhamos nossa cama. - Ela disse sorrindo enquanto arrumava o espartilho.
—Quando esse dia chegar, pretendo mante-la por lá por muito tempo.- Ele disse a beijando e tentando desfazer os nós do espartilho novamente.
—Eu falo sério Anthony. Se alguém nos pega, ambos seremos presos.
—É por isso que nós ficamos aqui. Ninguém vem tão longe. Este lugar é só nosso.
—Só nosso. - Ela disse o empurrando e montando em cima dele.

Voltando para sua casa Mari começou a sentir algumas tonturas. Já não era a primeira vez que isso acontecia, mas ela pensava que era nervoso ou algo do tipo.
—Eu já lhe disse que devia chamar o médico Marie.
—Eu agradeço a preocupação Theodora, mas isso não passa de um mal estar. Logo estarei bem.
—Eu... Eu posso lhe perguntar uma coisa minha amiga?
—Mas é claro.
—Eu não quero ser indiscreta nem nada, mas...- Ela a olhou hesitante.
—Diga de uma vez Theodora.
—Eu imagino que você e Anthony já tenham...
—Oh... Isso. Promete não contar a ninguém?- Theodora assentiu.- Sim. Eu já me entreguei a ele. Em todo caso, logo nos casaremos.
—Eu entendo, mas não é isso que quero dizer. Lembra-se da minha prima Enedi?
—Sim, o que tem ela?
—Logo depois que se casou, ela começou a se sentir... Indisposta. E alguns de seus sintomas eram bem parecidos com o seus Marie.
—E o que ela tinha? Alguma virose?
—Ela estava esperando um herdeira Marie.
—Oh- Marie disse cobrindo a boca. Ela não estaria grávida, estaria?- Você acha que eu...
—Os sintomas são muito parecidos Marie. Não sei o que pensar... Você nunca fica doente.
—Minhas regras...
—Estão corretas?
—Não. Pensando agora, estou com cerca de quinze dias de atraso. Theodora, acho que posso estar grávida.- Ela disse chorando.
—Se desesperar agora não fará nenhum bem Marie. Procure se acalmar. Eu vou buscar o Anthony.- Ela assentiu e Theodora saiu.

—Marie?- Anthony chegou assustado.
—Eu estou aqui. Theodora, o que disse para ele? Acalme-se Anthony.
—Eu lhe disse apenas que você precisava dele. Com licença. Vocês tem muito o que conversar.
—O que houve Marie? Por que está de cama? Está doente?
—Tenha calma. Talvez você queira se sentar.- Ela disse e ele se sentou ao seu lado.
—Vai me dizer o que está acontecendo?
—Primeiro, eu quero que saiba que não fiz de propósito, está bem. E que eu amo você, mas eu também o amo, então por favor, por favor não me obrigue a...
—Ei, ei..- Ele disse afagando seu rosto.- Tenha calma. Devagar . O que você não fez de propósito? Se livrar de quem?
—Eu estou grávida.- Ela disse chorando olhando para baixo e esperando gritos ou qualquer outra reação, mas elas não vieram. Então ela olhou em seus olhos e viu um sorrio brotar em seu rosto.
—Você está grávida?- Ele perguntou sorrindo e ela assentiu.
—Não está zangado?
—Marie, como poderia estar zangado? Você ficaria zangada se soubesse que desejei isso no dia em que lhe conheci?
—Realmente?- Ela perguntou e ele assentiu a beijando.
—Só teremos que antecipar o casamento.
—Tudo bem por mim.


Naquela noite, eles haviam combinado de se encontrarem no antigo celeiro para comemorar a noticia entre eles, mas quando Marie se aproximou, viu uma multidão por perto.
—Major Whitlock? O que está havendo?
—Um incêndio, no celeiro.
—No celeiro? Anthony!!- Ela disse olhando em direção as chamas.
—Eu sinto muito senhorita. Não há nada que possamos fazer. As chamas estão muito fortes.
—Não.- Ela disse correndo em direção ao celeiro, mas o Major segurou seu braço.
—Não seja tola senhorita. Não vá se matar por um cuidador de cavalos. Um pobre coitado.
—Você não sabe nada... Sobre ele.- Ela disse o empurrando e correndo para as chamas.
—Anthony!!
—Marie?- Ele disse olhando através das chamas. –Não Marie! Saia daqui.
—Onde você está? – Ela perguntou olhando pelo celeiro e o avistou. Havia uma viga de madeira prendendo suas pernas o mantendo preso. - ANTHONY!- Ela disse correndo em sua direção.
—Marie, eu estou preso. Você tem que sair daqui.
—Eu não vou deixar você!
—Por favor... Saia, ou nós dois morreremos.
—Não!- Ela gritou se ajoelhando ao lado de Anthony.- Vamos sair daqui. Vamos nos casar e viver uma vida longa e feliz Anthony,por favor.
—Não há nada no mundo que eu queira mais minha Marie.
—Então lute.
—Está tudo bem pequena. Eu estou preso amor. – Ele segurou seu rosto.- Mas você não está. Você tem que lutar e você tem que viver. Por mim, por você e pelo nosso filho.- Ele disse e ela negou com a cabeça. -Marie por favor, por favor, não há outro jeito.
—Não... Por favor, não me faça deixá-lo.- Ela pediu chorando.
—Eu amo você. Sempre amei e sempre amarei você. Agora vá!!
—Eu amo você Anthony.- Ela disse o beijando e se levantando, mas um pilar caiu bloqueando a saída e a atingindo em cheio.
—Marie não!!!