terça-feira, 28 de março de 2017

Fanfic Come Back to Me Capítulo 09 -Volte para mim.

Edward PDV
Já fazia semanas desde o nascimento precoce de Maggie. Ela tinha ganho pouco peso. Bem menos do que o esperado e nesse período sofreu uma parada cardiorrespiratória. Bella se culpava e se afastava cada vez mais. Eu dei a ela de aniversario de casamento a estufa de flores, e hoje me arrependo. Bella passa noventa por cento de seu tempo lá dentro.
Em seus dias mais difíceis, ela se recusava até a comer. Ela chorava todas as noites e sempre que eu tentava consolá-la, mas ela me afastava mais e mais. Não sabia mais o que fazer.  
Cheguei ao meu limite quando um dia, depois de chegar do hospital, encontrei Elena e Charlie no quarto. Charlie chorava baixinho enquanto Elena o consolava.
—Charlie, a mamãe não acha isso.
—Ela pode não dizer... Mas eu sei que é assim.
—Papai já falou que foi um acidente Charlie. Agora pare de dizer isso antes que ele chegue e...
—O que foi Charlie? Por que está chorando?
—Não é nada papai. - Disse Charlie tentando enxugar as lagrimas.
—Se não fosse nada, meu garotão não estaria chorando. Qual o problema?- Perguntei me sentando em sua cama.
—Charlie acha que Maggie estar no hospital é culpa dele, e que mamãe está ficando doente por isso.
—Elena! Sua dedo duro!
—Isso é verdade Charlie?
—Ela estava bem antes. Eu não devia ter gritado, mas tinha uma aranha e... - Começou a chorar e soluçar em meu colo. Ele tinha apenas sete anos e tinha fobia de aranhas. Não deveria nem por um segundo pensar que isso foi culpa dele.
—Charlie... Isso tudo foi um acidente. Tenho certeza de que a mamãe não acha que é sua culpa. Ela só está muito triste agora, mas ela vai melhorar.
—Vai?- Perguntou levantando seus olhinhos ainda úmidos pelas lagrimas em minha direção.
—Claro que vai. Vai demorar um pouquinho, mas logo Maggie estará em casa, enquanto isso vamos ficar ao lado dela. E vamos ajudá-la a melhor. Não vamos?
—Claro papai!
—Ótimo. Então, por que não faz um desenho bem bonito para a mamãe?
Depois que Charlie se acalmou, pouco tempo depois minha mãe apareceu para buscá-los. Eles passariam a noite com meus pais. O que era bom porque encontrar Charlie chorando me fez chegar ao meu limite dessa situação. Eu precisava conversar com ela. Ela tinha que voltar a viver. Se não por mim, ao menos pelas crianças.Fui até a estufa para tentar mais uma vez conversar com Bella. encontrei do mesmo jeito que ela estava quando saí. Na estufa, sentada, olhando para as flores. Estava começando a pensar em pedir um tempo no trabalho, para me certificar de que ela estava se alimentando.
—Bella...-Ela nem me ouvi entrar. Tive que chamá-la mais uma vez e tocar em seu ombro.-Bella?
—Oi...Você já chegou? Que horas são?
—Quase cinco.Você está aqui desde a hora que eu sai?
—Acho que sim. Esme disse que viria pegar as crianças para passarem a noite com eles para que eu pudesse ir ao hospital.-Me ajoelhei ao seu lado e peguei em sua mão desenhando círculos nas costas da mão com meu polegar.
—Amor... Eu preciso falar com você.
—Se é sobre eu passar o dia aqui dentro, por favor, nem comece Edward. Já tivemos essa conversa milhares de vezes durante esses meses.
—Mas é exatamente isso Bella. Nós já tivemos essa conversa milhares de vezes, e você parece não ter entendido ainda. Ficar aqui, isolada não vai fazer com que ela venha mais rápido para casa. Eu queria mudar isso, mas não posso. E sabe o que eu não posso mudar também? O tempo que você está perdendo com as crianças.Nós ainda temos nossos dois filhos aqui Bella. E você parece ter se esquecido disso.
—Não seja absurdo Edward. É claro que não me esqueci deles.
—Não é o que parece. Sabia que quando cheguei, Elena estava com confortando Charlie? Ele estava chorando porque pensa que você está desse jeito por culpa dele.
—Culpa dele? Como poderia ser culpa dele?
—Ele pensa que você caiu da escada porque ele gritou. Passei a ultima meia hora convencendo-o de que isso era um absurdo. Que você estava triste porque a irmãzinha dele não poderia vir para casa.Mas que nada disso era culpa dele. Que não foi culpa de ninguém. - Bella estava com lagrimas nos olhos, mas não disse nada. - Bella olhe para mim. - Ela levantou os olhos lentamente me observando.—Estamos nisso juntos lembra? Você parece ter se fechado em um casulo. Deixe-me entrar amor. Porque sinceramente eu não sei por quanto tempo mais consigo sozinho. – Bella negou com a cabeça ainda entre os joelhos.—Por que?- Ela ergueu os olhos em minha direção. Aqueles lindos olhos chocolate que um dia foram iluminados e brilhantes, estavam apagados e cheios de lagrimas.
—Porque assim é mais fácil.
—Não é não Bella.
—Assim a dor fica presa, adormecida dentro de mim. Eu quero que ela vá embora Edward. Eu preciso que a dor vá embora. Eu quero meu bebê, aqui, comigo.
—Não funciona assim amor. Se isolar e ficar aqui. Não vai fazer doer menos Bella. E não vai traze-la mais rápido.
— Pensar nela lá. Sozinha, presa aqueles fios. Tudo o que eu vejo é ela partindo. Pouco a pouco, e a cada dia, a cada parada ela está mais longe, e isso dói tanto, que não consigo respirar. Não posso... Não sei lidar com isso.
—Você não tem que lidar com isso sozinha Bella.-Ela desviou o olhar como se não quisesse mais me ouvir.- VOCÊ NÃO ESTÁ ME DANDO ESCOLHA. Eu juro que estou tentando. Te dando tempo para se reerguer, mas eu preciso de você Bella.Nossos filhos precisam. Nós somos uma família. Não tem que passar por isso sozinha.- Depois de ouvir isso ela voltou a olhar para as rosas, como se resolvesse ignorar minha presença ali. 
Sai da estufa e fui em direção ao meu escritório. Sempre que as crianças não estavam em casa eu passava a maior parte do tempo no escritório. Estava frustrado, com raiva. Eu não devia ter gritado com ela Chegando ao escritório, havia um porta retrato que foi a primeira coisa que vi. O arremessei em direção ao espelho o partindo em vários pedaços.
Eu não sabia mais o que fazer. Minha esposa estava no fundo de um poço e não deixava ninguém puxá-la para cima,  meu filho sentia- se culpado por isso, as chances de Maggie diminuíam a cada dia e Elena tão nova tentava cuidar de tudo e se manter forte. Eu queria que as coisas voltassem a ser como eram, mas estava tão cansado de tudo. Depois de todos esses anos, e todos os problemas que enfrentamos, eu ainda era completamente apaixonado por Bella, mas essa situação com Maggie parece ter acabado com a luz de sua vida. Ela parecia viver na escuridão e comecei a duvidar de que tivesse forças para puxá-la de volta.
 Here we are
Painting pictures of a war
Maybe I don't get it all
So here we are again
So cold
Maybe there's another way
Maybe words don't have to play
Another part
Tell me what I could have done
Looking back I tried my best
To carry on
But the feeling we once had
Starts to fade beneath the bad
And it's everything, it's everything
And I'm losing you
Yeah, I'm losing you
And I'm almost at the point of giving it up
Yeah I'm losing you
And I'm losing you
But I don't think you can see there's no other love
Here I am
Staring back at what we were
Just remember it was her
That made me
Now I'm crawling
To stop from falling
Will I ever understand?
You're what I want
Tell me what I could have done
Looking back I tried my best
To carry on
But the feeling we once had
Starts to fade beneath the bad
And it's everything, it's everything
And I'm losing you
Yeah, I'm losing you
And I? M almost at the point of giving it up
Yeah I'm losing you
And I'm losing you
But I don't think you can see there's no other love
And you say
That it's hard
But you walk away again
And you say
That it's hard
You're still walk away in the end
I'm losing you
Yeah I'm losing you
I'm losing you
Ooh oh oh
Aqui estamos nós
Estou pintando quadros na parede
Talvez eu não compreenda tudo
Então aqui estamos nós de novo
Tão frio
Talvez exista um outro jeito
Talvez as palavras não precisem interpretar
Outros papeis
Diga-me o que eu poderia ter feito
Olhando para trás, eu dei o meu melhor
Para seguir em frente
Mas o sentimento que tínhamos
Começou a sumir debaixo da cama
E é tudo, é tudo
E estou perdendo você
Sim, estou perdendo você
E estou quase no ponto de desistir
Sim, estou perdendo você
E estou perdendo você
Mas não acho que você consiga ver que não há outro amor
Aqui estou eu
Relembrando o que éramos
Apenas lembre-se que foi ela
Que me fez
Agora estou me rastejando
Para parar de cair
Algum dia entenderei?
Você é o que quero
Diga-me o que eu poderia ter feito
Olhando para trás, eu dei o meu melhor
Para seguir em frente
Mas o sentimento que tínhamos
Começou a sumir debaixo da cama
E é tudo, é tudo
E estou perdendo você
Sim, estou perdendo você
E estou quase no ponto de desistir
Sim, estou perdendo você
E estou perdendo você
Mas não acho que você consiga ver que não há outro amor
E você diz
Que é difícil
Mas você se afasta de novo
E você diz
Que é difícil
Mesmo assim você se afasta no final
Estou perdendo você
Sim, estou perdendo você
Estou perdendo você
Ooh oh oh
Duas semanas depois...
Acordei de madrugada ouvindo gritos. Vinham do quarto de Charlie, e ele chamava por Bella, que também acordou sobre saltada ao meu lado.
—Mamãe!!! Mamãe!!- Levantei rapidamente da cama e Bella veio atrás de mim. Chegamos no quarto Charlie estava com os olhos fechados se mexendo e gritando na cama.
—Mamãe!! Mamãe!!
—Charlie?- O chamei esperando que ele acordassem, mas ele continuava gritando até que Bella correu até ele.
—Shiiu. Mamãe está aqui pequeno.- Disse ajoelhando- se ao lado de sua cama e passando as mãos sobre seu cabelo.- Tudo bem querido. Ai Meu Deus Edward. Ele está ardendo em febre.
 Charlie sofria de epilepsia e já sofreu muito com as febres e convulsões quando era pequeno, suas idas ao hospital eram muito freqüentes. Eu era cardiologista, não havia nada que eu pudesse fazer. Então sempre corríamos com ele até o hospital.
O peguei em meus braços enquanto Bella pegava algumas peças de roupa para ele. Na ultima fez que essa crise aconteceu ele teve que passar alguns dias no hospital. Elena havia pedido para passar a noite na casa de Alice, o que era bom, porque se ela estivesse aqui, ou teríamos que levá-la ao hospital ou esperar que alguém viesse ficar com ela. No caminho do hospital, eu estava dirigindo enquanto Bella estava no banco de trás com Charlie em seus braços, e ela sussurrava algumas palavras para ele.
Na porta do hospital, Charlie começou a tremer e convulsionar.
—De novo não!- Bella começou a se desesperar.
—Fique calma amor. Já chegamos, e meu pai esta nos esperando junto com o Dr. James
—Tragam ele para emergência agora. - Disse  James. Ele era a médico de Charlie. Especializado em Neurologia Pediátrica. Depois do susto, James disse que Charlie teria que passar a semana em observação. Fazia muito tempo que isso não acontecia, e essa crise foi muito forte. Bella também estava mais calma, e estávamos no quarto onde Charlie estava internado.
—Já fazia tanto tempo. Pensei que isso tinha acabado.
—Eu também. James acha que foi algum estresse que desencadeou essa nova crise.
—Estresse? Mas ele não...- Bella parou de falar como se alguma coisa tivesse feito sentido.- Eu fiz isso...
—O que? Não. Não seja absurda Bella. Como você poderia ter feito isso.
—Claro... Eu pensei que me fechando eu não machucaria ninguém. Como eu fui estúpida.
—Bella. Explique. Eu não entendo.
—Você disse que pegou Charlie chorando. Porque ele pensava que eu tinha me fechado por culpa dele. E essas ultimas semanas eu fiquei ainda mais afastada. Pensei que se me mantivesse reclusa, não poderia fazer mal nenhum a eles.
—Acha realmente que era isso que eles precisavam ou queriam?
—Deus...Eu sou pior do que a Renee!- Segurei seu rosto entre minhas mãos enquanto olhava em seus olhos.
—Não você não é. E nunca mais repita isso. Você é uma mãe extraordinária. Não existe comparação com a Renee. 
—Ela pelo menos manteve a imagem de boa mãe. Abandonou meu irmão e eu, mas sem que soubéssemos. Eu fiz isso com meus filhos, mas estava presente.
—Bella... Você só passou por um período difícil. Charlie e Elena ainda são pequenos. Você ainda pode recuperar o tempo perdido amor.
—Como? – Perguntou cobrindo o rosto com as mãos.
—Começando por não passar todo seu tempo dentro da estufa. Eu estou quase arrependido de ter a lhe dado de presente quando nos casamos.
—Eu sei que tenho passado muito tempo lá. Eu sei disso. Mas quando eu estou lá, é como se eu estivesse com ela.
—Bella... Não haja como se ela já tivesse partido. Ela não vai.
—E por que não sinto que seja isso?- Disse baixando seu rosto.
—Porque você tem medo do futuro. Eu não a culpo por isso. Eu também tenho as vezes, mas Charlie e Elena precisam mais de você também.
—Eu quero seguir em frente Edward, mas é tão dificil. Eu quero me reerguer para quando Maggie ficar boa e vier para casa eu esteja bem. Quero que meus filhos tenham orgulho da mãe, mas tem sido tão difícil.
—Eu disse a você Bella, mas você parece não ter entendido.- Peguei seu rosto entre minhas mãos e olhei em seus olhos.- Você não está sozinha. 
—Eu sei disso.- Disse isso deixando que eu a envolvesse em meus braços.
—Eu juro que vou tentar Edward. Pelo Charlie, pela Elena, pela Maggie ...E por nós dois.